Tigre, tigre que flamejas
Nas florestas da noite.
Que mão que olho imortal
Se atreveu a plasmar tua terrível simetria?
(O Tigre – William Blake)

Você não pode se considerar nerd/geek se não tiver um seriado pelo qual é apaixonado e ninguém conhece e no meu caso essa serie é, The Mentalist (O Mentalista, PT/BR).

A melhor série policial de todos os tempos.

Se você nunca ouviu o poema acima, não sabe quem é Red John e não conhece Patrick Jane (Simon Baker), Teresa Lisbon (Robin Tunney), Kimball amor da minha vida Cho (Tim Kang) e companhia, só lhe digo uma coisa, está perdendo a melhor série policial de todos os tempos, só acho!

The Mentalist, conta a historia de Patrick Jane, que após ter sua família fria e cruelmente assassinada pelo covarde, inescrupuloso, nazarento – sim, tomei partido! assista e vai entender –  Red Jonh, torna-se consultor da CBI para que possa capturar o antagonista invisível da série enquanto usa seus talentos especiais para ajudar a Agência de Investigação da Califórnia a resolver os casos mais intrigantes.

No decorrer de 7 temporadas , 151 capítulos e inúmeros crimes dignos de Sherlock Holmes , vemos Jane enlouquecer sua unidade – e a nós, telespectadores –  com sua personalidade narcisista, egocêntrica, sarcástica e, por vezes, infantil, ao mesmo tempo em que somos conquistados pelo seu carisma, charme, inteligência e perspicácia. Ficamos revoltados com o dedo podre da Van Pelt e a bananice do Rigsby e encantados pelo Cho e a diva Lisbon.

O Mentalista é, sem dúvida, a melhor opção pra quem busca a dose certa de comédia, drama e espionagem. Sim, ao contrário do que muitos pensam, The Mentalist não é uma série de paranormalidade – motivo pelo qual talvez ela não seja tão popular no Brasil – Jane na verdade é um charlatão que cresceu em um circo onde aprendeu truques de mágica, a arte da enganação e a “leitura de mentes” pela observação das reações das pessoas. Seus poderes são extraordinários, contudo nada sobrenaturais.


E se você acha que, a minha nada humilde opinião 😉 , não merece credibilidade e que O Mentalista é só mais um seriado policial, está redondamente engando, meu caro Watson 😎 . Diferentemente das demais séries policiais como CSI e NCIS, o fio condutor da trama é o caminho que Patrick Jane percorrerá para conseguir pistas sobre Red John ao longo das temporadas sendo sua narrativa sequenciada, onde cada episódio há uma nova peça desse enigma. E as diferenças não param por ai, longe das “concorrentes” citadas onde há uma impressionante tecnologia à disposição dos detetives e profissionais com grande habilidade técnica para utilizá-la, a série criada por Bruno Heller é bastante plausível. Os agentes trabalham muito, com poucos recursos, e, não raro, ainda enfrentam barreiras burocráticas que atrapalham suas investigações.

Apesar de tratar-se de uma série policial, seus episódios são leves, focando em Jane e seus métodos nada convencionais de solucionar os casos, passando pela sua evolução pessoal e relacionamento com sua equipe.


O elenco é formidável e mega entrosado, mas Simon Baker não é o protagonista à toa (se você assistiu O Diabo Veste Prada, sabe que tenho razão em dizer que Baker é um brilhante ator). E em The Mentalist é possível enxergar sua angústia, sua revolta e até mesmo imaginar a chacota em que ele está pensando só de observar seus olhos. Ele é capaz de levar o público dás lágrimas às gargalhadas em um mesmo episódio

E se nada do que eu disse até agora foi capaz de convence – lo, talvez você queira assistir o final do ep. 18 da terceira temporada e me dizer, humanitário ou monstruoso?

Tigre, tigre…