REVIEW | Jogo: Xenosaga Episode II: Jenseits von Gut und Bose

Xenosaga II

Nesse novo episódio Xenosaga expande sua narrativa e melhora o entendimento de sua fantástica história. Também houve uma grande melhoria na parte gráfica e cinematográfica. Abaixo vamos continuar a esmiuçar essa grandiosa jornada.

Ficha Técnica:

  • Desenvolvido por: Monolith Studios
  • Publicado por: Namco
  • Série: Xenosaga
  • Lançamento: 24 de junho de 2004
  • Gênero: JRPG
  • Classificação indicativa: Teen
  • Modos: Single Player
  • Disponível para: PlayStation 2

Enredo

Xenosaga Episode II: Jenseits von Gut und Bose continua a história introduzida pela primeira edição do jogo, que contamos no primeiro review da série Xenosaga, para conferir a primeira parte e não perder nada, clique aqui.

A história desse episódio desenvolve a participação de Albedo, Nigredo/Gaignun e Rubedo/Jr. Todos esses personagens tem sua importância realçada durante o jogo, sendo ainda mais cruciais até o final da trilogia.

O foco desta versão é a procura pelo Zohar. Pra quem chegou até aqui e ainda não voltou lá no nosso primeiro review, Zohar é uma fonte misteriosa de poder que se acredita ser incomparável no universo de Xenosaga.

O Zohar original é chamado “Marienkind”, que significa “Filho de Maria”, em alemão. Esse nome representaria Jesus Cristo. O banco de dados da UMN no primeiro Xenosaga fornece outra referência, no entanto, dizendo que isso também se refere a um conto de fadas dos irmãos Grimm sobre uma garota que recebe as chaves das 13 portas do céu de Maria, a mãe de Jesus.

Os grupos e organizações continuam a lutar para ganhar o controle do Zohar, like Ormus, U-TIC Organization, Immigrant Fleet, Galaxy Federation e Dmitri Yuriev’s Salvator Faction.

Melhorias e novidades

Xenosaga Episode II trouxe algumas melhorias no que se diz a batalhas e posicionamento de inimigos na tela. Ainda é possível encontrar inimigos, como entidades visíveis na tela. Você pode tentar evitá-los, e agora envolvê-los ou aprisioná-los em uma armadilha, que pode ser ativada nas proximidades em alguns casos.

Mas não pense que isso vai facilitar a sua vida no jogo, mesmo com a possibilidade de visionar inimigos com armadilhas, o espaço para desviar dos inimigos e ativar essas armadilhas ficou bem menor.

Outro detalhe a se considerar aqui é que o número de batalhas pode aumentar, pois pode-se perceber um número maior de inimigos na tela e a possibilidade de desviar deles ficou bem menor. Sendo assim, prepare-se para um número maior de batalhas.

Batalhas e mais batalhas

Para nossa sorte, mesmo com tantas batalhas como descrito acima, a melhoria no sistema acaba fazendo com que essa rotina de batalhas não fique tão monótona. O sistema passou por aprimoramentos, proporcionando uma ampla variedade de opções que você pode usar para derrotar até os inimigos mais difíceis.

Agora os membros do seu grupo podem desencadear ataques contra inimigos de acordo com uma “zona” específica desse inimigo, como a zona A, B ou C, bem como os ataques “mágicos” do éters. Todas as zonas causam algum dano, mas cada inimigo tem zonas “fracas” que, se forem atingidas em uma determinada ordem, infligirão status de quebra a eles.

Quebrar um inimigo faz com que esse ataque cause mais dano e, se você usar o comando de reforço para dar iniciativa aos membros do seu grupo, isso poderá encadear ataques a oponentes vulneráveis por bônus.

Seus personagens também podem armazenar até três ataques extras “estocando” seus turnos na batalha. Alguém que ganha ações não pode agir no mesmo turno, mas então eles têm um ataque adicional salvo que você pode usar quando desejar. O estoque geralmente é necessário para ataques duplos, que são uma ofensiva combinada lançada por dois personagens que agem juntos.

Ademais, você também pode estocar ao pilotar um dos robôs mecha gigantes do jogo, que agora são conhecidos como robôs ES, em vez de AGWS. Essas máquinas são controladas por dois personagens por vez, e as habilidades dos robôs refletem as dos seus pilotos. Por exemplo, apenas um ES conduzido por MOMO pode usar feitiços de éter.

Uma parte que deixou a desejar é o sistema de evolução dos personagens, se antes você conseguia distribuir os pontos de evolução da forma que você queria, agora a coisa mudou.

Xenosaga II

Gráficos

Nos gráficos foi onde o jogo teve as suas melhorias mais significativas, principalmente na concepção dos personagens que agora tem um pouco mais de expressão facial. Durante os diálogos do jogo, você consegue perceber uma riqueza maior de expressões, não apenas aquela coisa estática e repetitiva que vemos no primeiro episódio de Xenosaga, por exemplo.

Você também perceberá a mudança nos trajes dos personagens principais da trama, como por exemplo Shion, que abandonou o seu traje que era quase um uniforme da Vector  por roupas mais casuais que dão um ar mais despojado à personagem.

Outra personagem que teve uma mudança significativa foi Kos-Mos. A personagem está muito mais viva devido à intensidade das cores de seus cabelos. Além disso, algumas mudanças nas características físicas da personagem, a tornaram mais sexy e com o corpo um pouco mais robusto.

Ademais, também houve melhoria gráfica nos ambientes em que o jogo se passa, notoriamente é possível ver que um pouco mais de tempo e uma prática mais aguçada no desenvolvimento do jogo fez muito bem aos gráficos. As paisagens industriais, cidades e principalmente o interior das naves mostram uma intensidade de cores muito melhor do que apresentada no primeiro episódio.

As cenas em CG também tiveram a sua melhoria e mostram muito mais qualidade em relação ao primeiro episódio. A fluidez e dinâmica das cenas estão bem mais naturais, mostrando que o desenvolvimento do primeiro episódio poderia ser melhor.

Sonoridade

Na parte sonora o jogo teve melhorias pouco significativas com relação ao seu antecessor. As músicas na sua maioria são baixas e com um tema nostálgico com trilhas influenciadas por temas Sci-Fi.

Principalmente durante as batalhas a música não empolga e faz com que o jogo que já é cadenciado fique mais lento ainda pois não passa um clima de euforia ao jogo.

Quanto às vozes, seguem o mesmo ritmo da música, com pouca inspiração e em alguns momentos se tornando irritantes devido à pouca inspiração. Ao avaliar a terceira parte, veremos que essa melhoria foi, assim como no primeiro jogo, algo a se trabalhar, pois, no terceiro e último episódio da série Xenosaga, veremos que as vozes estão bem melhores.

Xenosaga II

Resumo

Se você curtiu o primeiro episódio da trilogia de Xenosaga, você provavelmente irá gostar do segundo, pois mantém tudo aquilo que funcionou no primeiro jogo, e melhorou o que precisava ser melhorado.

Para quem não conhece a série e acabou por conhecer a partir do episódio 2, talvez o jogo não empolgue, principalmente pelo fato da história estar intimamente ligada ao primeiro jogo.

Contudo, o ponto forte de Xenosaga Episode II continua sendo a sua história, que é extremamente fantástica, e cheia de reviravoltas, mantendo o diálogo no âmbito religioso e filosófico.

°°Marcelo Paganrace


Inscreva-se no canal do Teoria Geek no Youtube e nos acompanhe também nas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.