Olá pessoal, Tudo bem por aí? Alex Luthor aqui. Trazendo um review desse clássico, The King of Dragons.

A história é algo bem simples, nossos cinco heróis estavam em uma taverna quando escutam uma história falando que o grande dragão vermelho Gildiss despertou de seu longo sono e agora está atacando a região norte do reino, ao ouvir isto sem pensar duas vezes eles partem para a grande aventura.

 

Ficha Técnica
Desenvolvido por: Capcom
Publicado por: Capcom
Gênero: Ação/ aventura
Série: The King of dragons
Lançamento: 1992/ 1994
Classificação indicativa:
Modos: Solo/ Multiplayer
Disponível para: Consoles, Pc, Celulares

 

Início da jornada

 

A Capcom tinha uma pequena coisa com RPGs de espadas e arcadas de feitiçaria, começando com o Black Tiger de 1987 e evoluindo para o Magic Sword de 1990 . Em 1991, The King of Dragons faz o mesmo, embora afastando-se da ação de side-scrolling e colocando a forma de um beat-em-up estilo Final Fight . O objetivo é se aventurar pelo reino e destruir o grande dragão Gildiss. Como a maioria dos beat-em-ups de arcade da Capcom pós- Final Fight , o jogo permite três jogadores simultaneamente.

Diversão não vai faltar!

 

Você assume o papel de um dos cinco arquétipos de RPG de fantasia, que têm nomes no material suplementar, mas são chamados pela classe de personagem dentro do jogo. Cada um tem diferentes habilidades, variando de força, velocidade, HP, força mágica e nível. O lutador (Derek) e o clérigo (Aldo) são semelhantes, empunhando armas corpo-a-corpo, com o lutador tendo uma vantagem na força e o clérigo tendo maior defesa. O Mago (Lejei) tem ataques de projéteis mágicos, que começam bem fracos, mas se fortalecem ao longo do jogo. O Elfo (Rabel) empunha um arco e flecha para ataques de longo alcance, mas é bastante fraco de outra forma. E o anão (Vargas) é semelhante ao lutador, mas mais curto, então suas armas não são tão longas, mas ataques de certos inimigos sobrevoam sua cabeça.

 

A pontuação do personagem atua como seu medidor de experiência, aumentando o nível ao atingir certos marcos e aumentando seu medidor de vida. Há também atualizações de armas e defensivas rotineiramente encontradas ao longo da jornada para fortalecer essas habilidades. Como não há exploração ou habilidade de voltar atrás, a velocidade do nivelamento é determinada apenas pela sua eficiência em marcar pontos, embora existam alguns itens bônus ocultos (como o ícone da Capcom, Yashichi) para ganhar bônus. Já que os outros power-ups são concedidos de qualquer maneira, independentemente da sua pontuação, os elementos de RPG fora do combate são mínimos e parecem mais para o show do que para qualquer coisa. Esses toques são bem-vindos – suas vidas extras também são indicadas como ervas curativas, por exemplo. O layout da tela é bem parecido com o Magic Sword., com a barra de status na parte inferior (em vez do topo, como outros beat-em-ups da Capcom) e até mesmo a barra de status parece bastante semelhante, com um indicador HP numérico extra ao lado da barra de vida.

Mapa do Game

Vários níveis para sua diversão

 

Existem dezesseis níveis juntos, o que parece ser bem longo, mas os estágios são curtos, então o comprimento acaba sendo padrão para esses tipos de jogos. O que isto significa é que há muito mais encontros com chefes, o que, por sua vez, torna isso bastante difícil, mesmo pelos já altos padrões de outros beat-em-ups da Capcom. Eles são mais interessantes do que a maioria, especialmente os Wyverns, que levam os céus para atacar. Gildiss, o chefe final, é monstruoso comparado a estes, com seu corpo gigantesco incapaz de caber no fundo, então você só pode realmente atacar sua cabeça e braços. O chefe do estágio 11, o Dragon Knight, também é retirado do Black Tiger , conectando vagamente os jogos.

Como o jogo ainda é tecnicamente baseado no Magic Sword , a ação em si não se parece muito com o Final Fight.. Não há ataques combinados, apenas golpes de arma única ou ataques de magia / flecha. Muitos dos primeiros inimigos são eliminados com um único golpe ou são repelidos quando recebem dano, o que faz com que a ação pareça um pouco pior do que em outros beat-em-ups. Há controle de multidões padrão, ataques mágicos que drenam a saúde para cada um dos personagens, além de orbes flutuantes ocasionalmente encontrados em baús de tesouro que também podem ser atacados para lançar uma magia similar sem ter que usar qualquer um dos seus medidores de vida. O Fighter, o Cleric e o Dwarf também podem bloquear ataques inimigos, acertando de trás para a frente antes de receber um golpe, mas isso é tão difícil de se conseguir consistentemente que não é tão útil assim.

King of Dragons é muito bom, com o mesmo nível de qualidade de referência que outros jogos da Capcom, com visuais atraentes e uma excelente pontuação de Yoko Shimomura. Posso dizer também que sua trilha sonora é ótima, e com toda certeza posso dizer que está entre as melhores dos vários games lançados ate hoje.

Versão Super Nintendo

 

O jogo foi portado para o SNES e, além dos downgrades gráficos e da mudança de três jogadores simultâneos para dois, é uma conversão bastante decente, ou seja, nada tão grave. Isso também mapeia os ataques mágicos e ataques de defesa para seus próprios botões, então é realmente um pouco mais fácil de jogar do que o lançamento de arcade. Enquanto isso, uma versão emulada do jogo arcade é apresentada na  Capcom Classics Collection Vol. 2  (PS2 / XB),  Capcom Classics Collection: Remixed  (PSP) e Capcom Beat’em Up (PS4 / XB1 / Windows / Switch). Enquanto a mágica recebe seu próprio botão aqui, infelizmente a habilidade de bloqueio não.

 

Personagens

 

Fighter: O mais equilibrado de todos os personagens é um bárbaro com ataque, defesa e HP (vida) medianos.
Cleric: Se você quer upar rapidamente e ter boa defesa esta é sua escolha, porém, ele é meio lento por ser grande.
Wizard: Personagem lento, ruim no início, mas devastador em níveis mais altos.
Elf: Bem ágil e tem o maior alcance dentre todos os personagens, porém tem a defesa mais baixa de todos.
Dwarf: Pequeno, lento e forte ele só não é melhor porque ele upa mais devagar que os outros personagens.

 

O Jogo também possui umas das melhores OST já criadas, você pode conferir por aqui, siga-me os bons! AQUI!

Bem, por fim, só posso dizer o quanto esse jogo é incrível, jogo sempre que tenho vontade, jogo com a mesma alegria e diversão e recomendo para aqueles que ainda não tenham jogado. Para mais Reviews, venha por AQUI!


NOTA: