Desenvolvido por: Capcom
Publicado por: Capcom
Série: Mega Man X
Lançamento: 24 de julho de 2018
Gênero: Ação / Plataforma
Modos: Single Player
Versões: PlayStation 4, X-box One, Nintendo Switch e PC

Em comemoração aos 25 anos da série X e 30 anos da série clássica, a Capcom lançou em 2018 uma coletânea dividida em 2 volumes para a série Mega Man X, contrariamente ao que a empresa havia feito em 2006, onde havia lançado todos os games em disco único, com exceção dos 2 últimos da série, em 3D, para PS2. Talvez como uma forma de a empresa lucrar em dobro dos fãs carentes pelo blue bomber.

A interface das coletâneas é bastante agradável, com vários bônus, incluindo material de artes originais, as trilhas sonoras de cada game e fotos de merchandising da franquia. Há também um novo modo de jogo chamado X Challenge, em que você enfrenta 2 chefes de uma vez, variados entre os games de 1 a 6, não havendo chefes dos 2 últimos games da série nesse modo, justificado pelo formato de jogo em planos diferentes dos últimos games (3D e não 2D). Os desafios nesse modo nos 2 volumes são bastante semelhantes, com as mesmas lutas, mudando apenas a luta final dos estágios de cada volume. Cada desafio é composto de 3 lutas, contra 2 chefes cada, em que você pode escolher até 3 tipos de armas, de 9 disponíveis dentre os 6 games. O jogador conta ainda com uma armadura exclusiva para este modo, de cor branca, baseada na Ultimate Armor, tendo opção de usá-la ou não. No modo normal, o jogador conta com 2 vidas extras, entre cada luta de cada desafio, o HP e a energia das armas não se regeneram, sendo que as 3 lutas têm de ser concluídas em até 10 minutos. No modo easy, porém, o HP e a energia das armas, entre as lutas, se regeneram.

Já a qualidade da emulação dos games presentes na coletânea oscila bastante, sendo que a trilogia original de SNES, X1-X3, sofre com o pior imput lag de qualquer port feito dos referidos games, o que é até estranho dada a capacidade de processamento superior dos consoles atuais. O que acaba prejudicando nos momentos de maior necessidade, principalmente nos que requerem dash e pulo, pior ainda os que requerem dash, pulo e tiro.

No volume 1, a vergonha máxima acaba ficando para a versão escolhida do X3, a de Super Nintendo, quando poderia ser a de PlayStation ou, melhor ainda, a do Sega Saturn. Diferente das dos consoles de 32 bits citados, a versão escolhida não conta com as animações de abertura e introdução dos chefes, efeitos sonoros melhorados e possui apenas trilha sonora com midis. Para quem cresceu com as músicas em qualidade CD, ouvir essa versão midi faz sangrar pelos ouvidos.

Felizmente, os games a partir do X4 estão mais responsivos, não sofrendo do imput lag citado acima. O volume 2 da coletânea, para muitos (não o meu caso), é descartável. Contando com X4 e X5, que dividem opiniões entre os fãs, e os execráveis X7 e X8, tido por muitos como verdadeiros lixos, contando com notas no Metacritic de 58 e 68, respectivamente.

Um detalhe interessante que vale a pena ser citado é que: os games contam com opção de mudar a região do jogo, escolhendo entre versões japonesas, americanas, europeia e afins. Cada volume conta também com sua lista própria de troféus, incluindo platina (no PS4). As coletâneas também contam com opções de mudança de aspect ratio, ilustrações das bordas da tela e opções de filtros gráficos.

A impressão que fica no final é de que a Capcom tentou agradar aos fãs, carentes por um game da série há bastante tempo, mas pecou em alguns detalhes, sendo que poderia ter corrigido com facilidade os erros fazendo uso do poder dos consoles modernos. Usando das capacidades de armazenamento do Blu-ray, por exemplo, poderiam ter incluído as diferentes versões de cada título (SNES, PSX, Saturn) e alguns outros games que também fazem parte da série X: o remake do primeiro game, Maverick Hunter X, de PSP; o RPG Command Mission, de PS2; e os dois Mega Man Xtreme, de Game Boy Color. Isso sim deixaria o pacote completo.

Se você busca diversão aliada a nostalgia da década de 90, vale a pena investir em ambos os volumes da coletânea, é um título que vale a aquisição, mas talvez não valha por full price, mas nada que uma promoção não resolva.