Devido sua popularidade o Cabeça de Teia sempre teve diversos jogos nas mais diversas plataformas, mas verdade seja dita, os últimos jogos protagonizados pelo Spider não foram tão bons assim, basta analisar os quatro últimos jogos lançados: The Amazing Spider-man 2 (2014), The Amazing Spider-man (2012), Spider-man: Edge of Time (2011) e Spider-Man: Shattered Dimensions (2010), todos estes jogos são, na melhor das hipóteses, razoáveis, não estando à altura de um dos heróis mais importantes e cativante do universo Marvel. Entretanto, para alegria dos fãs do Spider e dos jogadores de Playstation em geral, a Sony e a Insonmanic anunciaram na E3 2016 um novo jogo do Amigo da Vizinhança, Marvel’s Spider-man. Logo no anúncio vimos o quão promissor o jogo era, a cada novo trailer e atualização ficava cada vez mais difícil não ser tomado pelo hype. Finalmente chegou setembro de 2018 e pudemos jogar esta obra prima. Este é o review do Teoria Geek, como de costume, iremos analisar: Jogabilidade, Gráfico/visual, Trilha sonora e Enredo.

Ficha Técnica: Marvel’s Spider-man

  • Desenvolvedora(s): Insomniac Games;
  • Publicadora(s): Sony Interactive Entertainment;
  • Disponível para: PlayStation 4;
  • Data(s) de lançamento:7 de setembro de 2018;
  • Gênero(s): Ação e aventura;
  • Modos de jogo: Um jogador / single player.

JOGABILIDADE

Simplesmente incrível, fluída e divertidíssima. Tudo aqui funciona muito bem,  toda movimentação e mecânica torna qualquer atividade dentro do jogo prazerosa, desde a exploração pela cidade de New York, utilizando as teias para se movimentar entre os diversos arranha-céus, quanto os combate utilizando as mais diversas habilidades e gadget disponíveis no jogo. No decorrer do jogo temos dois tipos de confrontos, que são: furtivos, bem ao estilo dos jogos do Batman da saga Arkham, e os combates direto, com direto aos mais variados combos. Durante a jogatina, além de controlarmos o Spider-man, também passamos algumas partes apenas como Peter Parker (como já era esperado), seja visitando a tia May ou ajudando o Dr. Otto no laboratório, mas o mais interessante é que também controlamos outros personagens (Miles e Mary Jane) em partes específicas, dando um equilíbrio a gameplay – já que fazem um contraponto ao gameplay mais frenético do Spider. Além das missões principais, o jogo possui diversas missões secundárias, crimes, fortalezas, desafios e coletáveis espalhados pelos bairros/distritos de New York. Se você é daqueles jogadores que gostam de fazer tudo de possível dentro de um jogo, Marvel’s Spider-man vai irá lhe proporcionar diversão por aproximadamente 25 à 30 horas, tempo bem elevado considerando o estilo do jogo.

GRÁFICO / VISUAL

Visualmente o jogo é fantástico, os mais céticos e difíceis de agradar podem dizer que houve downgrade nos gráficos, ok, mas isso não o torna menos espetacular no que diz respeito à este aspecto. Não temos grande variações nas paisagens/cenários, afinal o jogo se passa todo dentro de uma cidade, sendo assim não tem montanhas com gelo ou florestas densas, obviamente ninguém esperava por isso. De toda forma, a cidade de New York é representada com riqueza de detalhes incríveis, além de diversas referências ao universo Marvel, como: a torre dos Avengers, a corporação Roxxon e o Sanctum Sanctorum, estas são apenas às referências existentes no cenário, no decorrer do jogo existem muitas outras. Vale ressaltar que assim como todo jogo sandbox/mundo aberto, nem todos os NPCs são detalhados com o mesmo nível de qualidade dos personagens principais, provavelmente você encontrará algum transeunte nas ruas de New York aquém da qualidade gráfica do jogo, mas nada que atrapalhe sua experiência. Por fim, como de costume nos jogos desta geração, Marvel’s Spider-man possui um modo fotografia muito interessante, além de permitir que o jogador configure diversos parâmetros, tais como: saturação, profundidade, granularidade, entre outros; este modo também disponibiliza diversas perspectiva/ângulos, molduras e filtros. Confira abaixo algumas das capturas feitas pelos jogadores usando o modo fotografia:

[rl_gallery id=”3760″]

TRILHA SONORA

A trilha sonora está à altura do game, sendo responsável por criar uma imersão ainda maior nos jogadores. Composta originalmente e exclusivamente para Marvel’s Spider-man, tendo como compositor responsável ninguém menos que John Paesano, figura já carimbada na indústria do entretenimento, entre seus trabalhos temos: Daredevil (tema de abertura da série do Netflix), The Defenders, Maze Runner e Mass Effect Andromeda. Paesano criou uma playlist com toda Original video game soundtrack de Marvel’s Spider-man  em sua página oficial do Spotfy, caso queira conferir basta clicar no link. Concluindo, não sei se este é o tópico mais apropriado, mas um dos recursos de áudio mais interessante (e muito engraçado) dentro do jogo é o podcast JJJ, sim o famigerado John Jonah Jameson, antigo chefe de Peter Parker, que sempre faz suas transmissões falando sobre os problemas da cidade e aproveita para alfinetar o Teioso.

ENREDO

Assim como outros jogos do Spider, em Marvel’s Spider-man temos um enredo original. Obviamente existem algumas inspirações e/ou referências à uma ou outra história já publicada, mas certamente está longe de ser um enredo adaptado. A trama é bem consistente e cumpre sua função: “prender” nossa atenção do início ao fim. Mesmo com diversas missões secundárias e atividades extras disponíveis para o jogador, em nenhum momento esquecemos a história principal do game, problema bem recorrente em alguns jogos que seguem essa mesma mecânica. Outro ponto de destaque é que mesmo com tantos personagens apresentados em uma única história, nenhum deles deixa aquela sensação de “tá ali só pra encher linguiça”, todos tem seu papel de destaque para o desenrolar da trama e para o futuro dela (com certeza teremos uma sequência). O desenvolvimento dos personagens é muito bem trabalhado – especialmente o do Dr. Otto – e a relação entre eles também. Ademais, o game possui ótimos plots e um final muito emocionante, com direito a cena pós-crédito – seguindo o padrão da Marvel no cinema.

CONCLUSÃO

Depois de tantos elogios, certamente Marvel’s Spider-man merece nosso selo de Obra-prima Teoria Geek, jogo obrigatório para todos os donos de PS4. A Insonmanic está de parabéns pelo belíssimo trabalho, conseguindo agradar tanto os fãs mais antigos do Spider, quanto a nova geração. Além de muito bem recebido pelos jogadores e pela crítica, alcançando média 87 no Metacritic, Marvel’s Spider-man tornou-se o exclusivo da Sony que mais vendeu em menos tempo. Em apenas três dias o game atingiu a incrível marca de 3.3 milhões de unidades vendidas em todo mundo, ultrapassando o recorde estabelecido por outro incrível jogo lançado no mesmo ano, God of War (3.1 milhões).