No início dos anos 1990 o mundo dos games de luta eram dominados por Street Fighter II e suas variantes e Mortal Kombat 2. Existia um ou outro game de luta aqui ou ali, mas o que fazia as casas de arcades ferverem eram esses dois games. Isso até chegar 1994 e com ele, The King of Fighters 94, o game que mudou tudo o que era conhecido em games de luta.

Ficha Técnica
Desenvolvido por: SNK
Publicado por: SNK
Gênero: Luta 2D
Série: The King of Fighters
Lançamento: 1994
Classificação indicativa: 12 anos
Modos: 1-2 Jogadores
Disponível para: Arcade MVS, Neo Geo AES, Neo Geo CD

 

Antes de tudo, um pouco de curiosidades

Depois da criação de Street Fighter, os criadores do game de luta da Capcom acabaram saindo da empresa e entraram na Shin Nihon Kikaku, ou como é conhecida, SNK e na nova empresa eles logo de cara resolveram criar o primeiro game de luta da companhia, chamado de Garou Densetsu, ou conhecido por aqui como Fatal Fury. Nesse primeiro game, Terry, Andy e Joe participam do torneio “King of Fighters” que é organizada pelo vilão do sub-mundo Geese Howard. O engraçado aqui é que nos games da franquia Fatal Fury, Terry usa o boné com os dizeres King of Fighters e no jogo The King of Fighters ele usa o boné com os dizeres Fatal Fury.

De início, KOF 94 seria um Beat ’em Up no estilo de Final Fight e Streets of Rage, mas o projeto foi ficando cada vez maior e então resolveram mudar para um game de luta.
O game seria de luta “1×1”, mas como já existia uma tonelada de games nesse mesmo formato, a SNK resolveu inovar e colocou três personagens contra outros três.
O Sub-chefe do game seria Mr. Big, vindo de Art of Fighting e o boss final seria Gesse, vindo de Fatal Fury, mas a SNK criou o vilão do jogo Rugal para que ele fosse uma junção de Geese com Krauser (Fatal Fury 2), por isso o vilão tem golpes de ambos os personagens, além claro de golpes próprios.

Para fechar as curiosidades, KOF 94 acontece em um universo alternativo totalmente separado dos outros games da franquia. Isso é percebido ao vermos que Art of Fighting acontece no início dos anos 1980 e Fatal Fury no começo dos anos 1990, sendo que em KOF 94 Ryo e Terry (protagonistas de ambos os jogos) possuem a mesma faixa de idade e isso seria impossível sendo que Ryo deveria ter 35 anos e Terry teria por volta dos 21 anos.

The King of Fighter’s 94

Agora sim, a história do game

Rugal, um homem muito influente no submundo do crime e um tanto quanto cansado da monotonia do seu dia, resolveu inovar. Resolveu que iria se divertir um pouco e para isso ele não iria fazer maratona de séries ou mesmo empilhar coquinho na descida, ah não, ele resolveu ressuscitar o antigo torneio King of Fighters e convidar os melhores lutadores do mundo para esse torneio. O vencedor poderia ficar com todo o seu império, já o perdedor iria ser transformado em estátua e ficaria exposto em seu museu particular ( e que tem uma estátua do Guile em sua coleção). Com isso, ele pede para as suas duas secretárias Mature e Vice para entregar os convites para cada participante ao redor do mundo. Mas não se engane achando que o verdadeiro pretexto de Rugal era passar o tempo, com toda a certeza não, ele queria testar suas habilidades para conquistar um poder maior que veremos somente em The King of Fighters 95.

Sobre o jogo

KOF 94 realmente foi um estouro em seu lançamento, pois como dito antes, trazia lutas de trio contra trio em cenários que variavam conforme a localidade em que o trio estava. Vale ressaltar que não é porque o trio de personagens estão lutando em um determinado país signifique que eles são daquele local, na verdade eles lutam no local aonde receberam o convite. Por exemplo: Terry e Andy são americanos e Joe Japonês, mas ele lutam na Itália, que era o local na qual eles estavam quando receberam o convite. Infelizmente nesse primeiro momento nós não podemos editar o nosso trio, ou seja, temos que escolher o trio já definido pelo jogo e ir até o final, ou pegar continue e escolher outro trio. Novamente, cada trio tem o seu próprio cenário e isso era uma constante nos games de luta de antigamente e infelizmente não vemos hoje em dia, na qual o cenário pode ser aleatório para os lutadores.

O game é super bem animado e digo com folga que era o game mais bonito da época pois era possível ver nos rostos dos personagens expressões como dor, alívio, sorriso, tristeza etc. Isso sem contar os golpes especiais que eram muito bonitos e impactantes.
Existe algumas diferenças entre as versões MVS, AES e CD. Na verdade, as versões MVS e AES são idênticas e não possuem diferenças entre as duas. Podemos dizer que a versão do Neo Geo AES é o “Arcade Perfect”. Já a versão do Neo Geo CD possui suas diferenças. A primeira delas é os loadings, que por se tratar de um game em mídia de CD, possui um tempo de carregamento e isso pode demorar um pouco pois o Neo Geo Front Loader (versão primária e extremamente rara) e o Neo Geo Top Loader (versão mundialmente conhecida), possuem um drive de apenas 1x de velocidade e isso fazia os games demorarem muito para carregar. O Neo Geo CD tem as mesmas especificações do console AES, mas por causa do tempo de loading, algumas coisas tiveram de serem cortadas, como a animação dos personagens quando era escolhido a ordem de quem iria entrar primeiro, ou a animação de fundo quando os dois personagens ficavam se mexendo enquanto o terceiro personagem estava na luta. São coisas básicas mas que fazem uma pequena diferença.

The King of Fighter’s 94

Na jogabilidade, KOF 94 pega um pouco de Art of Fighting na qual podemos segurar os botões A, B e C para carregar a barra de POWER e ai executar o DM (Desesperation Moves), e um pouco de Fatal Fury na qual quando a barra de Life/HP chega nos 80%, ela pisca em vermelho e ai podemos realizar os DM’s a vontade.

Uma coisa que KOF 94 peca um pouco e mesmo na época era uma coisa um tanto quanto ruim de se fazer eram os DM’s dos personagens. Lutadores como Heidern pro exemplo tinha que se segurar para Trás, Frente e depois para Cima e o botão C+B para realizar o seu golpe e isso tira toda a dinâmica das lutas. Outro fator que não envelheceu bem é o peso dos personagens, isso mesmo, os personagens possuem peso. Isso é fácil de se ver, ou sentir, quando lutamos com uma personagem rápida como a Athena e depois jogar com o Chang, que é grande, Gordito e pesado. O problema que em KOF 94 os controles são muito pesados, meio duros sabe, e isso prejudica um pouco as partidas.

A parte sonora é espetacular e todas as músicas do game são empolgantes e combinam perfeitamente com o cenário em que iremos lutar. Importante dizer que nas versões MVS e AES as músicas são todas no formato MiDi, já na versão Neo Geo CD essas músicas foram arranjadas com instrumentos de verdade, com qualidade de CD e no caso do cenário da China, a música da Athena é totalmente cantada.

Já as vozes são uma delícia e todas elas passam um impacto enorme que infelizmente foram se perdendo com o decorrer dos anos. Escutar o Ryu falar “Haoshokuken” é maravilhoso.

The King of Fighter’s 94

Diferenças entre as versões

The King of Fighters 94 possuem poucas diferenças nessas três versões, ficando apenas para os loadings da versão do Neo Geo CD, sendo que este é o único game da franquia que possui um load para carregar todos os seis (6) personagens que irão lutar, ou seja, o loading é mais lento, mas depois que carrega, ele não tem outro até a conclusão de todas as lutas dos dois trios. Algumas perdas de animações propositais para evitar mais telas de carregamentos e a opção de simplificar a tela de seleção de personagens para deixar a partida mais dinâmica. As músicas, como dito antes, estão melhores na versão CD por serem mais nítidas, de alta qualidade e ter músicas cantadas. Já na jogabilidade temos os botões padrões da SNK que é A,B,C e D e que no console AES podemos jogar no controle arcade do console, que é um controle gigante e excelente para games de luta e no NEO CD temos o controle pequeno, com os mesmos botões e tão bom quanto para games de luta.

Outras versões oficiais

Além do Arcade MVS, AES e Neo Geo CD, Kof 94 também apareceu de forma oficial no remake comemorativo de 10 anos do game, chamado de The King of Fighters 94 Re Bout, lançado em 2004 para Playstation 2 e uma versão finalizada, porém nunca lançada também para o Xbox Clássico. Essa versão eu farei uma análise mais para frente. O game também apareceu no portátil Neo Geo X, No PSP/Vita, Wii e Playstation 2 na coletânea The King of Fighters: The Orochi Collection, que tem análise aqui na página. Também apareceu no Playstation 3, mas somente em versão digital e ficou disponível apenas na PSN Americana e Japonesa. Por fim, a SNK lançou para o Playstation 4, Swtich e Xbox One o ACA Neo Geo: The King of Fighters 94 que é uma versão 100% emulada do arcade MSV, sem nenhum extra que existia na versão Neo Geo CD, mas com o acréscimo de ter suporte para troféus e conquistas no PS4 e XB1.

Conclusão

The King of fighters 94 é o primeiro de uma enorme franquia que fez muito sucesso do início ao fim dos anos 1990. Com uma jogabilidade trucada, gráficos bonitos e um áudio fenomenal, KOF 94 é um excelente game que infelizmente não envelheceu muito bem, mas que serve para que os novos jogadores possam ver de onde é que surgiu o game de luta mais amado da América Latina. E fique esperto, KOF 94 por vezes entra em promoção no PS4 e XB1 chegando a custar por volta de R$16,99 (atualmente ele custa R$28,99).