REVIEW | Jogo: Resident Evil 3 Remake

Resident Evil 3 Remake nos faz relembrar porque a série conquistou tantos corações ao longo de sucessivas gerações e plataformas. Venha ficar por dentro dessa reimaginação que deve agradar tanto a velha guarda, quanto novos jogadores.

Ficha Técnica:

  • Desenvolvido por: Capcom.
  • Publicado por: Capcom.
  • Série: Resident Evil.
  • Lançamento: 3 de abril de 2020.
  • Gênero: Survival Horror.
  • Classificação indicativa: 16 anos.
  • Modos: 1 Jogador.
  • Disponível para: PlayStation 4, Xbox One, Microsoft Windows.

Há mais de 20 anos atrás

Em 1999 é lançado Resident Evil 3: Nêmesis, continuação da série de jogos Resident Evil criada pelo famoso Shinji Mikami, uma das maiores referências quando falamos do gênero Survival Horror. Com uma câmera travada, munição limitada e um monstrengo enorme podendo aparecer a qualquer momento, Resident Evil 3 definitivamente marcou presença na memória de todos os jogadores que puderam experimentar o título naquela época.

Resident Evil 3 Remake

Nêmesis se tornou um dos maiores vilões dos vídeos games, mas talvez não tivesse conquistado tanta fama sem uma combatente a altura, como Jill Valentine. Uma das protagonistas do primeiro jogo da série que conseguiu escapar viva da mansão nas Montanhas Arklay. Mas não estamos mais em 1999, estamos em 2020 e a partir de agora vamos falar de Resident Evil 3 Remake.

Ainda é Survival Horror?

Sim! Ainda é, e muito. Lógico que existem caminhos mais fáceis, mas se você adotar uma dificuldade mais alta, poderá sofrer na mão de diversas criaturas de tirar o fôlego. Os zumbis é claro, são os clássicos, aqueles lerdos que só dão realmente trabalho se estiverem em bando e num espaço fechado. Mas vamos poder contar com os pálidos (zumbis comuns que se regeneram), cérberos (os cachorros do inferno), hunters (répteis humanoides) e esses por sinal ficaram lindos! Se é que uma criatura nojenta pode ser considerada bonita. Alguns inimigos já conhecidos não aparecem em relação ao original, mas novos também entram em cena.

Entretanto, é claro que o jogo ficou mais frenético. Existem cenas de ação que vão te forçar a ficar com o analógico a postos para sair correndo, tamanho o desespero. Portanto, não é um ingrediente que trocou o gênero do título, mas que o incrementou.

Enredo Imersivo

Uma das maiores vantagens para os jogadores de hoje em dia é poder contar com toda uma interface em PT-BR. Resident Evil 3 Remake não possui dublagem em nosso idioma, mas todo o resto está localizado. Muito mais do que interpretar o que acontece durante as cenas, é ler todos os documentos presentes no jogo e poder ir desvendando tudo o que ocorreu naquela pandemia através do relato de diversas pessoas. Além é claro, de poder desvendar o segredo de cofres e quebra cabeças, de forma muito mais eficiente.

É verdade que muita coisa mudou, afinal, estamos falando de uma reimaginação. Isso significa mudanças. Logo podemos ver que até mesmo Jill está diferente, não só nos seus trajes (muito mais condizentes que uma saia e uma jaqueta amarrada na cintura), como também na sua personalidade. Ela ainda é uma heroína, ainda é altruísta, porém trocou um pouco do medo por determinação desde os momentos iniciais. Destemida é a palavra certa, e não é algo que prejudicou sua imagem, mas que ficou até mais acertado, de acordo com sua experiência e por ser uma “super policial”.

Resident Evil 3 Repaginado

Além na mudança do aspecto físico dos personagens, como podemos ver em Carlos de forma mais atrevida (que a propósito parece muito mais um brasileiro agora do que antes). Também podemos apreciar os cenários, que não estão todos lá e nem apresentam a mesma disposição que o original. No entanto mantém a maior parte dos lugares e monumentos mais famosos, nos deixando satisfeitos com o resultado final.

Outra grande mudança foi no próprio Nêmesis, a maior dor de cabeça do jogador ganhou um visual ainda mais assustador e novas habilidades. O bichão possui agora um poder de locomoção sobrenatural, podendo surgir ou sair de cena com uma espécie de teia, além de correr muito mais rápido que nós e possuir um “Get Over Here” de deixar até o Scorpion com inveja. Esse último é tão irritante, que mesmo dentro de um local seguro, você não pode dar bobeira com a porta aberta! Mudanças essas muito bem vindas, que ajudaram a garantir que continuássemos aflitos, mesmo na atual geração.

Algumas pessoas reclamam muito que o Nêmesis não é tão perseguidor quanto o Mister X é no RE2 Remake. Concordamos com isso em partes pois no RE2R o jogo se passa boa parte dentro do RPD, idas e vindas são mais necessárias. No RE3R o jogo é para ser um “Last Scape”, então, não tem tantas  idas e vindas como antes e com isso fica difícil fazer o Nêmesis te perseguir com mais frequência do que o script manda.

Certamente a nostalgia fará parte dos sentimentos presenciados pela velha guarda. Afinal, podemos presenciar diversas explorações e objetivos que já havíamos vivenciado no passado. Além da trilha sonora nos pontos de salvamento continuarem nos causarem calafrios.

Jogabilidade

Os controles e câmera estão muito parecidos com o que já vimos em Resident Evil 2 Remake, porém com o acréscimo de uma esquiva mais precisa. Essa esquiva inclusive, deverá ser muito utilizada pra escaparmos de inimigos, seja por que estamos com pouca munição ou porque é a nossa única opção para não apanhar. Ademais foi acrescentado uma espécie de QTE para você não ser mordido por um zumbi quando é agarrado.

Resident Evil 3

Há também partes na aventura que podemos denominar como momentos de fuga, onde a sua função é apenas escapar! Contudo isso se torna um pouco confuso nas dificuldades mais fáceis, pois a munição te dará segurança para tentar enfrentar algumas situações, ocasionando em algumas mortes, pois o inimigo não irá morrer naquele momento, por mais que você queira.

Resident Evil 3 Horas

Todavia, nem tudo é perfeito. Com alguns cortes em relação ao Resident Evil 3 clássico, e a diminuição de quebra cabeças presentes na campanha, o conteúdo encurtou. Jogadores mais arrojados já conseguiriam finalizar a aventura em menos de 1 hora. É claro que se você for com calma, vasculhando tudo e curtindo as cenas da história, deve gastar em torno de umas 5 horas, mas ainda é pouco. Queríamos mais! Ficamos sedentos por mais! Ainda mais com o preço base atual dos jogos lançamentos hoje em dia.

Sobre a falta do Park e da Clock Tower. Não sentimos tanta falta assim desses locais, entendemos que a produtora não colocou porque talvez não entraria no contexto atual. Mas torcemos para que alguma DLC traga essa parte perdida do game. Outro ponto a falar é sobre o Carlos, a parte do hospital com ele ficou excelente, melhor até do que a original, pois transformou a parte mais chata do jogo, em algo interessante.

Resident Evil 3

No entanto, devemos ressaltar que a Capcom incluiu o jogo Resident Evil Resistance nesse pacote, trazendo todo um jogo a parte, talvez na intenção de substituir o modo Mercenaries. Para quem não conheceu, o modo Mercenaries era voltado a realizar alguns objetivos em determinado tempo com armas e munição limitadas, a pontuação podia ser convertida em benefícios como armas com munição infinita para serem aproveitadas na campanha principal. Apesar da inexistência do modo, o jogo possibilita desafios agora dentro da própria história. Esses desafios ao serem conquistados geram pontos que podem ser gastados em uma loja no jogo, que surge após completarmos a campanha pela primeira vez.

Vale o investimento?

Para os fãs da franquia, certamente. Quem está acostumado a aproveitar o máximo do jogo, vai poder repeti-lo diversas vezes e tornar essa aquisição compensadora. Principalmente se o jogo a parte “Resident Evil Resistance” lhe agradar. Esse jogo a parte possui até mesmo uma lista exclusiva de troféus, com sua própria platina, algo bem atraente para os caçadores de troféus.

RE3R poderia ter ficado melhor? Poderia. Nêmesis poderia ter sido mais implacável? Poderia. Poderiam dar mais tempo de tela para o Nicolai e mostrar o quanto pilantra um russo pode ser? Poderiam. Mas para os padrões de hoje, achamos que o game ficou muito bom e divertido.

De qualquer maneira, no dia 28 de setembro, Jill ainda estará viva de alguma maneira e os monstros tomaram conta da cidade.

Review com colaboração especial de Ricardo Dias.

Ígara Ferreira
Gamer desde sempre e Caçadora de Troféus faz uns bons anos, conhecida como laddyvalentine no Playstation e “a Monstra” no Youtube.