Desenvolvido por: Namco
Publicado por: Namco
Série: Klonoa
Lançamento: 11 de dezembro de 1997 (Japão), 10 de março de 1998 (EUA) e 5 de junho de 1998 (Europa)
Gênero: Plataforma
Modos: Single Player
Versões: PlayStation (original); PlayStation 3, PlayStation Portable e PlayStation Vita (PlayStation Classics), Nintendo Wii (Remake).

Klonoa: Door to Phantomile é um game desenvolvido e publicado em 1997 pela Namco (atualmente Bandai Namco) para o PlayStation original. A jornada do jogo se concentra em Klonoa, uma criatura mamífera antropomórfica parecida com um cachorro de orelhas grandes, habitante de Phantomile e seu companheiro Huepow, um “espírito” encapsulado em um anel. Klonoa vive em Breezegale e foi criado por seu avô, o atual ancião da aldeia. Os personagens de Door to Phantomile são fantasiosos e falam em uma linguagem fictícia estruturada.

 

O game é do gênero de plataforma side-scrolling, visto de uma perspectiva 2.5D. O jogador move o protagonista ao longo de um caminho em um plano bidimensional, mas os arredores do jogo são renderizados em três dimensões. O jogo é dividido por níveis chamados “Visions”, onde o jogador progride seguindo um caminho com inimigos e quebra-cabeças que devem ser resolvidos. Se o jogador segurar o botão de pulo, Klonoa flutua no ar por um curto período de tempo, batendo as orelhas, o que aumenta o comprimento do salto. Fatores ambientais como pequenos tornados e trampolins localizados lançam Klonoa para cima ou para frente, permitindo que o jogador supere obstáculos. O jogador derrota os inimigos utilizando a arma de Klonoa, o “Anel do Vento”, um anel que dispara uma rajada de vento chamada “Bala do Vento”. Se a bala do vento atinge um inimigo, Klonoa levanta o inimigo acima de sua cabeça. A partir desta posição, ele pode jogar o inimigo em outro inimigo para derrotá-los ou usar o inimigo para realizar um salto duplo, permitindo que novos locais sejam alcançados. No final de alguns níveis, o jogador deve derrotar um chefe.

 

A história começa com a lenda de Phantomile, um lugar misterioso que é alimentado pelos sonhos que as pessoas têm à noite. Como resultado, ninguém consegue lembrar claramente dos sonhos que tiveram, mesmo que tenham ocorrido recentemente. No entanto, Klonoa sonha com uma misteriosa aeronave negra caindo em uma montanha próxima, e pode se lembrar de todos os detalhes dela.

 

Um dia, uma nave misteriosa de fato colide com a montanha, e Klonoa e seu amigo Huepow, decidem investigar. Depois de lutar contra várias criaturas, eles alcançam o topo da montanha, apenas para encontrar duas figuras misteriosas: Ghadius, principal antagonista do game, espírito sombrio que visa transformar Phantomile em um mundo de pesadelos;  e seu cúmplice Joka, uma criatura semelhante a um bobo da corte. Juntos, eles estão procurando por um pingente que possui certas propriedades mágicas. Os vilões sequestram uma mulher chamada Lephise, e depois de voltar para sua aldeia, Klonoa e Huepow decidem persegui-los. Apesar de seu visual bastante infantil, em certos momentos o game aborda questões bastante pesadas para o público alvo do game.

Utilizar-se das balas de vento como o foco central de cada interação no jogo compensa muito para o game. Enquanto ele pode mergulhar em alguns gimmicks das fases que não são o foco do game devido à sua breve interseção com o jogo, o arremesso e a captura de inimigos são aperfeiçoados muito bem em uma mecânica presente em todo o jogo, além dos controles simples sendo testados por cada level design e novos tipos de inimigos que não requerem mecanismos mais complexos. Com uma história que tenta ser um pouco mais do que apenas uma estrutura para a ação que a suporta, Klonoa: Door to Phantomile tem uma identidade mais pronunciada que permite que o jogo se junte em um pacote perfeito de jogo, feito com carinho. O design do mundo de Phantomile é uma opção perfeita para Klonoa, e suas habilidades são ótimas para navegá-lo, tornando-se uma aventura de jogo bem focada e bem estruturada.

Klonoa: Door to Phantomile foi revelado publicamente na E3 1997 com um trailer. A Namco afirmou que seu público alvo era uma audiência mais jovem, esperando que as artimanhas de Klonoa parecessem atraentes para as crianças. A empresa sentiu que o jogo seria atraente para um público amplo, pensando que os aspectos de aventura seriam agradáveis para as crianças e as reviravoltas emocionais seriam apreciadas pelos adultos. O diretor Hideo Yoshizawa traçou a história usando os sonhos como um conceito importante – “Fiquei impressionado com a ideia de que quando você acorda de manhã e sabe que teve um sonho, mas não consegue lembrar o que era, obviamente o sonho foi para algum lugar, pelo menos na minha maneira de pensar. Pensei: ‘Eu me pergunto para onde vão esses sonhos. E se todos esses sonhos que são perdidos quando as pessoas acordam, mas não conseguem se lembrar, são levados e recolhidos em algum lugar como algum tipo de energia?'”. Os personagens e cenários foram implementados com coisas que Yoshizawa achava que poderiam aparecer nos sonhos de qualquer um, com os estágios aparecendo como sonhos agradáveis e outros como pesadelos. “Tentamos imaginar um mundo de sonhos com o qual as pessoas pudessem se relacionar a partir de seus próprios sonhos e experiências.”

O jogo foi mais tarde apresentado no Tokyo Game Show de 1997 com uma demo jogável. Klonoa: Door to Phantomile foi publicado pela Namco no Japão em 11 de dezembro de 1997 e na América do Norte por volta de março de 1998. O jogo foi publicado pela Sony Computer Entertainment Europe em áreas da região PAL em 5 de junho de 1998, com os idiomas inglês, alemão, francês, italiano e espanhol.

O jogo foi elogiado pela crítica e as vendas no Japão chegaram a 51.441 cópias, ficando em quarto lugar nas paradas semanais, também tornando-o um best-seller da Namco. O jogo permaneceu no top 50 por mais 10 semanas, quando as vendas atingiram um total de 159.284. As vendas nos Estados Unidos, no Canadá e na Europa foram baixas.

A GameSpot  e IGN na época elogiaram o game em seus reviews, considerando-o um dos melhores games de plataforma e side-scroller, com o game recebendo inclusive o selo de escolha do editor em ambas análises, assim como a EGM o considerou um game fantástico e uma obra-prima das plataformas, conferindo-o o selo de ouro. Alguns pontos criticados foram a perspectiva da câmera bloquear alguns pontos importantes do cenário para progressão e o game ter o aspecto de “fofo” demais.

Klonoa foi premiado como “Melhor Personagem” na Tokyo Game Show pela Consumer Electronic Software Association. Os editores da PSM, uma revista independente da PlayStation, classificaram Door to Phantomile como o 19º melhor jogo de PlayStation em 1998, enquanto o GamesRadar + o classificou como o 25º melhor jogo de PlayStation de todos os tempos. A Nintendo Power o chamou de “indiscutivelmente o melhor jogo de plataforma lançado para o PlayStation” e a GameSpy o classificou como o 5º melhor jogo de PlayStation de todos os tempos, além de o melhor jogo de plataforma de sua geração e o melhor jogo 2.5D de todos os tempos.

Outras aparições: Klonoa teve participações jogáveis ​​em Moto GP, Alpine Racer 3 e World Kicks; Klonoa e seu rival Guntz, de Klonoa Heroes, também aparecem como uma dupla jogável no RPG da Namco, Namco x Capcom, desenvolvido pela Monolith Soft, além de easter eggs em Tales of Symphonia, Tales of Hearts, Tales of Vesperia, Tales of Destiny 2, Ridge Racer 6, 7 e Type 4; Soul Calibur V, Smash Court 3, Famista 2003; e em Tekken 7, como parte do painel de arte para download junto com outros personagens da Bandai Namco.

Shippuu Tengoku Kaze no Klonoa é um mangá de dois volumes que, diferente do tom mais sério dos videogames, mostra Klonoa como um garoto de boa índole, desajeitado e estúpido obcecado em ser um super-herói. Suas tentativas de fazer boas ações tendem a fracassar ou causar o efeito oposto, devido a seu excesso de entusiasmo, seu hábito de tirar conclusões precipitadas e, às vezes, apenas por causa da má sorte. Os volumes foram lançados em 2002 e 2003. Já no ocidente, Klonoa: Dream Traveler of Noctis Sol foi uma série webcomic publicada pela ShiftyLook, escrita por Jim Zub e desenhada por Hitoshi Ariga. Começou em agosto de 2012 e durou duas temporadas com novas páginas sendo lançadas toda quarta-feira, depois quartas e sextas-feiras, antes de parar abruptamente em meados de 2014 com o fechamento da ShiftyLook.

Klonoa: Door to Phantomile é lembrado por sua mistura de jogabilidade 2D e visual 3D. Os críticos elogiaram por manter a jogabilidade clássica de side-scrolling enquanto ainda reconhecia a transição do setor para 3D. O jogo gerou uma série de sequências, incluindo uma sequência direta chamada Klonoa 2: Lunatea’s Veil (2001) para o PlayStation 2, e outros títulos para o Game Boy Advance, além de um game de vôlei de praia, ainda para o PS1, Klonoa Beach Volleyball.

O jogo original recebeu um remake em 2008 para o Wii, chamado apenas de Klonoa no Ocidente. O remake foi desenvolvido com membros-chave da equipe de desenvolvimento original, incluindo o diretor Yoshizawa. Um filme de anime ambientado no mesmo universo de Door to Phantomile foi anunciado em 2016 e, infelizmente, cancelado em 2019.

 

A estrela de Klonoa foi se apagando ao longo dos anos, embora seja difícil dizer por que Klonoa nunca decolou como a Namco queria, considerando que seu primeiro jogo foi definitivamente bem-sucedido em termos de qualidade, às vezes, coisas à parte da qualidade de um jogo podem matar algo promissor. Seja marketing mínimo ou uma questão de apelo subjetivo do personagem, é uma pena que Klonoa: Door to Phantomile não tenha conseguido o amor que merece.

Apesar de passados 21 anos desde seu lançamento original, e considerando o console para qual foi lançado, com a maioria dos games para este já estando bastante datada, a aventura original de Klonoa permanece indiscutivelmente como um dos melhores games de plataforma de todos os tempos, sendo perfeitamente apreciado nos dias de hoje. Uma gema subestimada, que, infelizmente, não teve seu devido reconhecimento pelo público e permanece no limbo junto de muitos outros tesouros.

Referências:

//klonoa.fandom.com/wiki/Klonoa:_Door_to_Phantomile

//klonoa.fandom.com/wiki/Klonoa_(character)