F1 2021 é sobre a história de um novato querendo mostrar o seu valor como piloto e um novo passo na modalidade automobilística da série nos videogames.

Ficha Técnica
Desenvolvido por: Codemasters
Publicado por: Electronic Arts 
Gênero: Corrida
Série: Fórmula 1
Lançamento: 16 de julho de 2021
Classificação indicativa: Livre para todas as idades
Modos: Offline e Online
Disponível para: PS4, PS5, Xbox One, Xbox Series X/S e PC

 

Atenção, preparar, já!

A temporada virtual de F1 2021 The Official Videogame começou e está repleta de novas adições no mais recente capítulo da modalidade automobilística mais rápida do mundo desenvolvido pela Codemasters, agora publicado pela EA Sports — uma divisão do cenário esportivo da EA com FIFA, NBA Live, Madden NFL, NHL, entre outros.

A temporada real se destaca a cada Grand Prix com corridas emocionantes e momentos polêmicos que ficam guardados para sempre nas memórias dos fãs de alta velocidade. O exemplo mais recente é de Max Verstappen e Lewis Hamilton dois dos grandes figurões da F1 —, que no último domingo (18) durante o GP da Inglaterra, no Circuito de Silverstone, tivemos uma polêmica batida entre o piloto holandês e o britânico. Mas, e em relação a emoção da versão da Codemasters?

Toda história tem um começo

O modo Ponto de Frenagem (Braking Point) é o principal destaque. O modo história apresenta Aiden Jackson, um novato que busca mostrar ao mundo o seu valor como piloto da Fórmula 1, parecido com aquelas introduções de Alex Hunter em FIFA 17 e Modo Carreira de F1 2019, só que agora muito mais completo, e claro, narrando uma história do começo ao fim. Williams, Haas, Alfa Romeo, Alpha Tauri e Racing Point — onde mais tarde acaba se tornando em Aston Martin — são as equipes iniciais assim que o jogador subir da categoria F2 para a F1.

O interessante é que a história coloca você em meio às tensões da F1 como entrevistas à imprensa que elevam ou baixam sua fama como piloto e também Casper Akkerman, um veterano holandês com uma carreira vislumbrante, parceiro de equipe, mas cabeça-dura. Além disso, o rival Devon Butler, antagonista em F1 2019, agora possui um papel com mais holofotes mostrando brigas nos bastidores, estopim de vários assuntos entre os pilotos e muito mais.

No modo Ponto de Frenagem, o novato Aiden Jackson terá que mostrar suas habilidades automobilísticas contra o seu parceiro de equipe Casper Akkerman e seu inimigo Devon Butler. É literalmente um filme da Netflix.

Literalmente um filme da Netflix! (Foto: Reprodução/Codemasters)

Motores de nova geração e o futuro de F1

Uma emoção em dose dupla! Na versão 2021, a Codemasters retornou o modo Tela Dividida. Seja offline ou online, a diversão fica melhor quando compartilhada com um amigo(a). Além disso, o Modo Carreira também possui essa possibilidade, tanto sendo de uma mesma equipe por exemplo, ou como “rivais”. Disputa amigável, rivais somente na pista. Positivo? Afinal, mesmo que seja uma disputa amigável, assim como dizia Ayrton Senna: “O importante é ganhar. Tudo e sempre. Essa história de que o importante é competir não passa de pura demagogia.”

Um jogo para todos. Fórmula 1 é um simulador do mais perto que podemos ter da experiência de um piloto real. As opções de acessibilidade disponibilizadas pelo estúdio como Casual, Padrão ou Especialista, te ajudam a definir qual a melhor configuração. Por exemplo, o jogador novato é recomendável utilizar a opção casual mesmo que você não saiba se quer algo sobre o jogo, com freios automáticos, entre outras coisas. Por sua vez, a opção padrão lhe dá a possibilidade de customizar tais opções, como retirar a saída automática do grid de largada, câmbio manual, e dificuldade da IA. Por fim, a especialista, que não precisamos nem comentar nada a respeito, pois o próprio nome já resume a experiência. Portanto, escolha aquela opção que você mais se identifica e pé no acelerador.

O fato de possuir carregamentos praticamente instantâneos, que são graças a tecnologia de nova geração do SSD, elevam a experiência. Outro fator que é válido mencionar e que dá vida a máxima imersão de “pilotar um carro de Fórmula 1”, é sobre os recursos do DualSense que a Codemasters colocou no título. Por exemplo, o gatilho do L2, no caso o freio, o gatilho é muito forte e te dá uma imersão “real” como se estivesse mesmo em altíssima velocidade dificultando a frenagem do veículo. No caso da resposta tátil, conseguimos “sentir” o RPM da criança na palma das nossas mãos, e cá entre nós, é só na prática que você terá essa sensação e ela é surreal.

Mas, tudo o que é bom ainda assim peca em alguns problemas técnicos. Desde casos raros de crashes, até bugs de áudio, esses que no caso são muito mais azucrinantes. O jogador por exemplo, só consegue ouvir o barulho da turbina do motor e nada mais. Possivelmente isso deva ser corrigido em algum futuro patch.

Grand Prix de Mônaco como sempre muito bem feito! (Foto: Reprodução/Lucas Menegheti)

O futuro está aqui! Essa foi a mensagem da revelação do design dos novos carros reais da F1, compartilhado no perfil oficial da produção na última semana. E isso, nos leva o pensamento de como será o gráfico do jogo nos próximos anos, por exemplo 2022 e 2023. É nítido que ainda assim não tivemos um salto gráfico entre as gerações, mas o uso das cores, iluminação, ambiente, chuva, são de um nível esplêndido. No entanto, o uso do Ray Tracing não senti um impacto assim como vimos em Marvel’s Spider-Man: Miles Morales, e entre tantos outros jogos de nova geração, exceto é claro, em CGs. O próprio estúdio admitiu o erro e tomou a decisão de retirar o Ray Tracing no PlayStation 5.

Com carregamentos praticamente instantâneos e gráficos de um nível esplêndido, o DualSense se destaca dando a máxima imersão de pilotar uma máquina da Fórmula 1 na palma das nossas mãos. No entanto, ainda assim, o título peca no uso do Ray Tracing e alguns pequenos bugs de áudio.

F1 2021, vale a pena?

Ser um piloto de Fórmula 1 é uma missão um tanto difícil e desenvolver um jogo desse mesmo meio é ainda mais complicado, e mesmo em meio a uma pandemia global chamada de COVID-19, tivemos uma experiência digna para os fãs de alta velocidade.

E, com isso, podendo ser um dos principais pontos negativos para nós brasileiros, o valor. Na PlayStation Store Brasileira, a versão Standard, que no caso é a mais básica possível, chega custando R$ 298,99. Por sua vez, a versão Deluxe Edition, que te promove acesso ao chamado My Team Icons Pack, chega custando R$ 368,99. Se é fã, pise fundo! Se não é e ainda está em dúvida e quer testar, pegue o capacete, coloque suas luvas e ligue os motores, porque você tem a nossa recomendação.


*Cópia de imprensa disponibilizada gratuitamente para PlayStation 5 pela Codemasters para a elaboração desta análise*