Ficha Técnica

Gênero: Survivor Horror/Terror

Modos de Jogo: Multiplayer

Desenvolvido por: Behaviour Digital

Plataformas: PlayStation 4, Xbox One e PC (Nintendo Switch em breve)

Lançado em: 14 de junho de 2016

Sinopse

Dead by Daylight é um multiplayer que mistura ação cooperativa, perseguição e terror. No jogo para 5 pessoas, 4 jogam como sobreviventes e precisam fugir do local onde se encontram e 1 encarna o assassino encarregado obviamente de não deixar que os sobreviventes tenham sucesso na empreitada.

Trailer de lançamento

//www.youtube.com/watch?v=JGhIXLO3ul8

Sem contar com uma história, o jogo que é apenas multiplayer online, tem uma premissa bem simples: uma entidade misteriosa e sedenta por sacrifícios envia você e mais 3 pessoas em um local isolado e manda um assassino para caça-los e oferece-los como sacrifício para ela. A única forma de você sobreviver a isso é encontrar 5 geradores espalhados pelo mapa e consertá-los para que ao fim eles enviem energia para 2 portas de saída que estão bloqueadas, abrindo-as para que todos consigam fugir com vida.

A grande sacada do jogo é que além de uma premissa bem simples e direta, ele te dá a oportunidade de jogar tanto como sobrevivente ou como assassino. Isso confere ao jogo horas e horas de diversão, já que o leque de sobreviventes e assassinos não para de aumentar desde o lançamento do jogo, criando inúmeras possibilidades de combinações e gameplays distintos.

Com controles de fácil assimilação, o jogo tem uma boa jogabilidade sendo fluído no seu gameplay. Os gráficos não são comparáveis a um “triple A” de peso, mas não fazem feio e conseguem passar bem a atmosfera proposta pelo jogo e tanto Sobreviventes como Assassinos são bem detalhados. O destaque fica pelo som que é muito detalhado e muito importante para a experiência como um todo pois é baseado nele que você saberá quando o assassino se aproxima ou onde se encontra uma vítima ferida por exemplo. Se você puder jogar num home theater multi-canal, a experiência é ainda muito melhor e mais precisa. Além disso os desenvolvedores prometeram servidores dedicados para o jogo até a metade desse ano, além de suporte com novos conteúdos por pelo menos mais 3 anos.

JOGANDO DE SOBREVIVENTE

Jogar de sobrevivente geralmente é a primeira opção que a maioria das pessoas escolhem (e na minha opinião é a mais indicada de se fazer). E a primeira coisa que precisa ser dita aqui é que você não pode matar o assassino, tornando assim a experiência muito mais angustiante, já que você tem plena noção que se der de cara com ele, as chances de você se dar mal são bem grandes. Você tem a sua disposição apenas os seguintes: caixa de ferramentas (que acelera o tempo necessário para consertar os geradores e sabotar os ganchos), Kit médico (para curar machucados feitos pelo assassino), lanterna (para cegar momentaneamente o assassino e desarmar algumas armadilhas místicas), chave (que serve para abrir alçapão e antecipar a fuga) e mapa (que dependendo do addon usado, pode mostrar onde estão seus companheiros, geradores, portas de saída, as armadilhas e totens do killer). Você só pode usar um item de cada vez, então a escolha certa pode ser decisiva para a vitória da partida.

A perspectiva jogando com sobreviventes é em 3ª pessoa o que ajuda a ter uma visão mais ampla de todo o cenário. Enquanto anda pelo mapa, seu personagem pode recorrer a armários onde você pode entrar e ficar escondido caso perceba que o assassino está próximo, porém, ele pode resolver de checar os armários e encontra-lo ali dentro. Por padrão todos os sobreviventes precisam ser acertados 2x para caírem e serem pegos pelo assassino (salvo algumas exceções). Na primeira pancada, seu personagem começa a gemer e emitir gritos de dor, além de deixar um rastro de sangue facilitando a vida do perseguidor em rastreá-lo. Se for acertado novamente ele vai ao chão. O assassino pode então pegar seu corpo e levar a um dos inúmeros ganchos de sacrifício espalhados pelo local onde a entidade irá se materializar para consumir seu corpo após um determinado prazo de tempo. Essa janela de tempo até que ela apareça é o período que um de seus companheiros podem ir tentar resgatá-lo.

Falando em companheiros, esse jogo é baseado em cooperação. Você até pode tentar fazer os objetivos sozinho mas saiba que a tarefa será muito mais difícil e lenta do que se todos na partida cooperarem e se ajudarem mutualmente. Então se 3 pessoas estão consertando um gerador e percebem que o assassino se próxima, uma delas pode tentar atrair a atenção do mesmo correndo para longe do local, deixando assim os outros 2 companheiros terminarem o trabalho em segurança. Outra sacada genial do jogo que confere aquele clima de tensão, são os minigames colocados enquanto você conserta os geradores. Enquanto você os conserta, aleatoriamente um dos aparelhos, aleatoriamente um prompt de comando irá aparecer na tela e se você errar o momento certo de apertar o botão sugerido, seu gerador irá dar um estouro avisando o assassino onde você está. Isso faz que além da preocupação constante de não ser encontrado, você precisa ficar sempre atento para não errar no conserto e acabar se expondo.

Gameplay jogando como survivor:

//www.youtube.com/watch?v=uHowl1zMnBA

JOGANDO DE ASSASSINO

Se você escolher ser o assassino seu objetivo é mais simples ainda, matar todos que encontrar no seu caminho antes que consigam ligar os geradores e fugirem em segurança. A perspectiva jogando de killer é em 1ª pessoa, limitando um pouco mais a visão se comparado aos sobreviventes, mas isso é compensado pela velocidade dos assassinos que geralmente é maior do que suas vítimas e seus poderes exclusivos que ajudam e muito na missão de exterminar todas as pessoas da partida. Além de vários personagens originais do jogo, algumas carinhas bem conhecidas do público fã do terror dão as caras no jogo como DLCs: Freddy Krueger dos filmes Hora do Pesadelo, Leatherface do Massacre da Serra Elétrica, Michael Meyers de Halloween e a Pig dos Jogos Mortais.

Gameplay como Killer:

//www.youtube.com/watch?v=JjvS8Op8HnI

Cenários (Mapas)

O jogo possui atualmente 27 mapas disponíveis, distribuídos em 12 territórios distintos. Indo de pântano a hospital psiquiátrico, passando por fazendas com plantações de milho e até lugares famosos do cinema como Haddonfiel (cenário do filme Halloween) e as instalações de Jigsaw de Jogos mortais, a variedade de locações é muito boa. A localização de baús de itens, geradores, totens, portões de saída e ganchos de sacrifício são gerados de forma aleatória a cada nova partida, independente do cenário escolhido, o que significa que dificilmente uma será igual a outra.

Poucos jogos me causaram enorme satisfação e diversão ao jogar quanto Dead By Daylight. Talvez a semelhança das antigas brincadeiras de esconde-esconde que cresci brincando na minha infância onde o objetivo era não ser pego pela pessoa que estava “contando” ou pelo sentimento de perigo sempre iminente, fizeram que esse jogo me entretece por tantas horas. Com boa jogabilidade, gráficos, som e constante atualização de conteúdo, esse jogo é diversão garantida para os entusiastas de filmes de terror slasher e daquelas pessoas que gostam de uma diversão descompromissada que é elevada ao máximo se jogado com amigos. Este foi o jogo que mais joguei no ano passado (com mais de 220 horas de gameplay) e ainda continuo jogando com frequência pois a diversão é sempre garantida. Recomendo.

Dead by Daylight está disponível para as plataformas Playstation 4, PC e Xbox One, e contará com uma versão para Nintendo Switch que será lançada mais tarde esse ano.

~Marcos Viana


Inscreva-se no canal do Teoria Geek no Youtube e nos acompanhe também nas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.