Ficha técnica:

Desenvolvedor(es): David Shore e Daniel Dae Kim

Produtor(es): Ron French, Freddie Highmore, Konshik Yu, Min Soo Kee, Shawn Williamson

Produtor(es) executivo(s): David Shore, Seth Gordon, Daniel Dae Kim, Erin Gunn, David Kim, Sebastian Lee, Mike Listo, Thomas L. Moran

Elenco: Freddie Highmore, Nicholas Gonzalez, Antonia Thomas, Chuku Modu, Beau Garrett, Hill Harper, Richard Schiff, Tamlyn Tomita

Distribuída por: Sony Pictures Television

Sinopse:

Dr. Shaun Murphy (Freddie Highmore) é um jovem cirurgião diagnosticado com autismo que se muda de uma cidade do interior para San Jose a fim de trabalhar em um hospital de prestígio. Lá, além de enfrentar os desafios profissionais de praxe, ele ainda precisa provar aos colegas e superiores que é competente o bastante. Para isso, ele conta com a ajuda do Dr. Aaron Glassman (Richard Schiff).

 

Resenha

The Good Doctor é uma série que nos faz refletir como tratamos os outros apenas pelo julgamento inicial, como o preconceito contra o autismo ainda é muito pesado e como cada um pode ser o que bem quiser independente das suas condições, basta querer, se esforçar e correr atrás de seus sonhos.

A série é um mix entre drama e histórias médicas, que nos revela o dia a dia de um hospital, o trabalho desde o pronto socorro até cirugiões e residentes, além do trabalho administrativo que cuida do hospital. A transmissão fica por conta do canal ABC, no exterior, e aqui no Brasil do canal a cabo GNT, além de estar no streaming do Globoplay. Já possui 3 temporadas com aproximadamente 18 episódios por temporada.

Dr. Shaun, vivido pelo ator Freddie Highmore, é um residente com autismo e enfrenta inumeros obstaculos, a maior dificuldade de Murphy não é com ele próprio, mas sim com os outros, por exemplo lidar com os preconceitos dos outros, profissionais e pacientes, por sua condição.

No começo Shaun entra como indicação do diretor do hospital e logo de cara os médicos e até os outros residentes mostram todo o preconceito e acham que ele não deveria ser um cirurgião, mas aos poucos, com muita determinação e um trabalho excelente, vai quebrando todos os conceitos pré existentes… Porém a cada personagem que entra ele acaba passando por todo o processo de quebra de paradigmas das pessoas novamente.

O residente possui a Síndrome de Savant (palavra de origem francesa que significa “sábio” – daí a síndrome do sábio, pela qual também é conhecida) que é um distúrbio psíquico raro que faz com que algumas pessoas tenham habilidades intelectuais extraordinárias, por exemplo uma memória acima da média, no caso de Shaun ele consegue memorizar o corpo humano de forma médica e assim definir quais são os resultados de cada paciente e as possibilidades de tratamento para cada um. Ele consegue memorizar tudo que estudou e aprendeu apenas colocando a cabeça para funcionar e imaginando os problemas e procedimentos a serem tratados e as vezes até a taxa de funcionalidade. Mas na real os poucos problemas do jovem residente são a falta de habilidade em comunicação com outras pessoas, inclusive com os pacientes, inabilidade em esconder alguns fatos, ser muito sincero (eu me identifico muito por esse detalhe… rs), ter uma rotina especifica dele.

O que mais me angustia é que o preconceito revelado durante a série e que infelizmente muitos comentem na “vida real”! Já houveram episódios que senti vontade de chorar, tanto pelos pacientes, quanto por tudo que Shaun passa!

A narrativa é bem movimentada e acabei querendo ver todos os episódios em curto espaço de tempo. Por mostrarem os casos que aparecem no hospital acaba ganhando velocidade e há vários casos em que é possível se impactar com o que é revelado durante os episódios. A paleta de cores deles é em azul claro o que reforça a dramaticidade da rotina hospitalar.

O ator principal Freddie Higmore é conhecido pela extensa lista de filmes e série que já participou, como Bates Motel atuou como Norman Bates, a Fantástica Fábrica de Chocolate (um dos meus filmes preferidos!) onde interpretou Charlie Bucket.

Já a minha segunda personagem predileta é a Lea, interpretada pela atriz Paige Spara, é a vizinha que se torna a amiga inseparável de Shaun e no começo promete fazer muito bem para o residente…

Também sou fã da parceira de hospital Claire Browne, que ganha vida através da atriz Antonia Thomas, a residente que se torna amiga de Shaun e o ajuda passar por diversos momentos bons e ruins.

Há também o personagem Aaron Glassman, vivido por Richard Schiff, que ajuda o residente desde a infância de Shaun. Ele que o ajudou a encontrar o emprego dos sonhos como cirurgião e também é o “anjo da guarda” de Shaun, que sempre que possível o ajuda. Ele sabe de todo o potencial de Dr Murphy e se torna um verdadeiro e fiel amigo. Dr. Shaun também encontra formas de retribuir tudo que Glassman fez.

Shaun me mostrou que com determinação, não importa o que pensem de você, você pode chegar onde quiser!

//www.youtube.com/watch?v=ogw3ax8WJfs