O arrasa quarteirão La Casa del Papel voltou com tudo para essa terceira temporada, que está extremamente tensa e explosiva.

Ficha Técnica

Título Original: La Casa de Papel
Duração: 376 minutos
Ano produção: 2019
Estreia: 19 de julho de 2019
Distribuidora: Netflix
Dirigido por:  Jesús Colmenar, Koldo Serra, Alex Rodrigo
Produtor(es) executivo(s): Álex Pina, Sonia Martínez, Jesús Colmenar, Esther Martínez, Nacho Manuben
Gênero: Drama, Ação, Suspense
Classificação: 16 anos
Países de Origem: Espanha

Sinopse

Após conseguirem roubar mais de 1 bilhão de euros, os envolvidos no assalto passam a ser procurados pelo país. Enquanto isso, o Professor está escondido em Palawan, nas Filipinas, onde vive recluso e despreocupado, como se nada tivesse acontecido, até que “Rio” um dos integrantes mais carismáticos do grupo é capturado, é então que o Professor resolve reunir a equipe para liberta-lo.

Parecia impossível, mas a nova temporada de La Casa de Papel consegue ser ainda mais emocionante do que as anteriores. Não falta drama e perrengue. Não há um momento de calmaria. Os oito episódios foram feitos para mexer com todos os tipos de sentimentos do espectador.

Se você já viu as duas primeiras temporadas, La Casa de Papel a terceira temporada (ou parte 3, como preferir) faz o seu melhor para tentar superar o original. E uma das formas de alcançar este objetivo, foi com ação mais explosiva, perseguições tensas e uma toda miríade de diferentes personagens, engajar-se no assalto. O retorno do macacão vermelho e as máscaras de Dali são sempre uma boa inclusão e logo no início, La Casa de Papel faz um surpreendentemente bom trabalho de amarrar as temporadas juntas após um perfeito final da última temporada. nesta parte temos zepelins, RPG, helicópteros, perseguições e tiroteios tensos entre todos os 8 episódios. Os produtores, roteristas e diretores, realmente se esforçaram bastante para fazer a terceira parte tão emocionante e cheia de ação possível. Tendo dito isso, a temporada não é perfeita. Com algumas caras novas desta vez e muito mais tempo de tela para o Professor e seu relacionamento complicado com a ex-inspetora Raquel Murillo (Lisboa), às vezes, Tóquio sente como uma personagem de apoio apesar da narrativa predominantemente giram em torno dela e Rio, Palermo é uma boa inclusão para a temporada e Ver Berlim volta em flashback mostra quão crucial era a ameaça antagônicas da última temporada. O grupo retornando tem química instantânea juntos, embora após sua reunião inicial emocional, e isso realmente ajuda a manter as coisas em movimento em um ritmo consistente.

Os novos personagens

Palermo (Rodrigo de la Serna) surge quase como um substituto de Berlim, já que o personagem ganhou também traços da característica do antagonista das partes 1 e 2, como os comportamentos machistas e o sangue frio no trato com os parceiros, Rodrigo de la Serna é argentino, assim como seu personagem, que inclusive é insultado na série com o termo pejorativo “sudaca”. O ator foi revelado em Diários de Motocicleta, filme dirigido pelo brasileiro Walter Salles, em que interpretou Alberto Granado, o amigo que acompanhou Che Guevara na jornada do Brasil ao Peru. Por esse papel, ganhou vários prêmios e uma indicação ao BAFTA como melhor ator coadjuvante. Antes da estreia de La Casa de Papel, o ator tinha 240 mil seguidores no Instagram. Após surgir como Palermo, o número mais que dobrou, e hoje ele soma 510 mil seguidores só na rede social.

Bogotá (Hovik Keuchkerian) tem uma das funções mais importantes no plano do assalto do Banco da Espanha. Ele abre o cofre que guarda o tesouro nacional e salva a pele do grupo em planos B e C. Sua técnica aprimorada permite até mesmo que ele trabalhe embaixo d’água, já que o cofre é inundado pelo plano de segurança do próprio banco. Machista, o personagem se vê comandado por Nairóbi e leva uma resposta atravessada da colega ao fazer um comentário sobre o corpo dela. O ator é filho de um armênio e uma espanhola, Hovik Keuchkerian nasceu no Líbano e se mudou para a Espanha aos 3 anos de idade. Antes de virar ator, ele teve sucesso como boxeador e ganhou duas vezes o campeonato nacional na categoria peso-pesado, Ele também é comediante e escritor e publicou quatro livros: Diarios y Desvarios, Lokura, Cartas Desde El Palmar e Resiliente.

Marselha (Luka Peros) o grandalhão de 1,90 m não entra no Banco da Espanha com o bando, mas tem a importante função de despistar a polícia circulando discretamente pelos arredores para espalhar o sinal do sistema de comunicação arcaica usada pelos assaltantes. Marselha apareceu pouco na parte 3 de La Casa de Papel, o que levanta a suspeita que o seu personagem deve ter um destaque maior na parte 4, que foi gravada quase que simultaneamente com os episódios já liberados. No entanto, ainda não há confirmação da data de estreia dos novos episódios, O croata Luka Peros antes de La Casa de Papel, já havia participado de mais de dez séries de TV e cerca de 30 filmes europeus. É também o ator que mais tem produções engatilhadas depois da série, com quatro filmes em produção.

Cincinnati (Luca Anton) o filho que quase foi abortado por Mônica (agora com a alcunha de Estocolmo) na primeira parte da série finalmente aparece na parte 3. Denver assume sua paternidade, mas o pai biológico, Arturo, também demonstra interesse em conhecer o menino, que tem 2 anos. Nascido depois do assalto à Casa da Moeda, ele também ganha o nome de uma cidade: Cincinnati. Este é o primeiro o papel de Luca Anton. O pequeno não participou dos eventos de pré-estreia da série da Netflix e só se sabe o nome do jovem ator, que deve voltar na parte 4

A Inspetora Alicia Sierra (Najwa Nimri) é a responsável pelas torturas que Rio sofreu antes de ser negociado na troca por reféns do Banco da Espanha. Ela também mostra seu lado impiedoso ao usar o filho de Nairóbi como isca para atingir a assaltante. Grávida, a policial é viciada em açúcar e está sempre comendo uma guloseima enquanto arma seu próximo passo contra os assaltantes. Sierra chega para ocupar a lacuna deixada pela Inspetora Raquel Murillo, que se apaixonou pelo Professor e agora está do lado dos bandidos como Lisboa. Sobre a barriga de grávida da atriz na série, saibam que: a barrigona é falsa! Najwa Nimri é mãe de um rapaz de 15 anos e não estava realmente grávida enquanto gravava La Casa de Papel. A atriz espanhola de ascendência jordana também é cantora e só fez seu primeiro trabalho para a TV em 2015, com a série Vis a Vis, que também tem Alba Flores, a Nairóbi, no elenco. No cinema, estreou como atriz em 1995 e, desde então, participou de mais de 30 produções, entre elas Lúcia e o Sexo, em que atuou com Paz Vega.

Minhas considerações

Se você gostou da duas primeiras temporadas de La Casa De Papel, você gostará da terceira. A série pode não ter o mesmo fascínio e a surpreendente tensão que as duas primeiras temporadas tiveram em abundância, mas mesmo assim consegue recriar o mesmo nível de ação excitante, acelerado, que vimos antes. Há alguns bons temas, desta vez com mais profundidade, sobre o amor e os acenos na direção do “plano perfeito” como sendo um mito, faz bem para dar uma sensação mais errática, humana. O “cliffhanger” final é  chocante, com bastante emoção, mesmo que o show  não tenha atingido o mesmo nível alcançado das primeiras 2 temporadas. a promessa da guerra que está por vir, pode elevar o seriado a outro nível.

Quem sabe até onde La Casa De Papel pode chegar? Mas tendo em conta o que já vimos antes, duvido que vamos conseguir um final de conto de fadas, já que rola uma teoria que como é a Tóquio que narra o seriado, com um certo tom melancólico, é possível que ela seja a única sobrevivente do grupo.