Coisa mais linda é, sem dúvida, uma das séries mais brasileiras que existem em uma plataforma. Digo brasileira, porque o que você verá ali é tanto a cara sorridente e boêmia, quanto a cara elitizada e machista do Brasil nos anos 50~60. O que se percebe também é que muita coisa não mudou, a mesma realidade crua ainda está presente em pleno ano de 2020.

Ficha Técnica:
País: Brasil 
Gênero: Drama
Temporadas: 2 temporadas 
Direção: Caíto Ortiz, Hugo Prata, Julia Rezende
Duração: 50 minutos
Ano: 2019 – Presente 

  •  Sinopse: Na São Paulo do final da década de 50 está Maria Luiza, uma moça conservadora e completamente dependente de dois homens: seu pai, Ademar, e o marido dela, Pedro. Sua vida toma um rumo completamente diferente quando Pedro desaparece ao viajar para o Rio de Janeiro a fim de montar um restaurante. Maria Luiza, é claro, segue os rastros do marido, mas acaba transformando o sofisticado negócio numa casa noturna. Em terras cariocas, a jovem descobre então um novo mundo na companhia de mulheres feministas e liberais e ao som da Bossa Nova.

A trama se passa no final dos anos 50, tempo da bossa nova, também da política, do tempo onde mulheres não tinham vez, a não ser à sombra do marido. A história roda em volta de Malu, que se muda para o Rio de Janeiro para encontrar o marido e descobre que o mesmo tinha roubado todo o seu dinheiro. A par disso, quem a consola é Adélia, que durante a trama, se tornam grandes amigas e sócias, com apoio moral e liberal de Thereza e Lígia.

Resumo de temporadas

Dentro do universo da primeira temporada, conseguimos ver Malu lutando contra o mundo para ter sucesso no crescimento do seu negócio sem ser mais uma sombra, vemos, nitidamente o sonho de uma mulher sendo perseguido e quebrado por olhos masculinos. No mais, conseguimos ver a diferença de classes em poucos episódios, ou seja, a série consegue ter êxito, apesar de limitado, em tópicos sociais abordados como racismo estrutural, feminicídio, feminismo, desigualdade social, machismo, fazendo com que nós, telespectadores, tenhamos uma reflexão puramente necessária sobre esses assuntos.

A segunda temporada basicamente, na opinião da resenhista aqui, é a melhor, porque eles conseguiram, com mais sucesso ainda, que questões abordadas com uma pequena limitação na primeira temporada, fossem inteiramente mostradas na segunda. A corrida agora é também de Thereza (melhor personagem, e se você estiver com vontade de assistir, preste atenção nela), uma das lutas a serem vistas é a do ponto de alguém pobre e preto correndo atrás de um sonho onde, aqui no Brasil, continua sendo a realidade e a dificuldade de muitos.

//www.youtube.com/watch?v=gi5pXrQhZxQ

Conclusão:

Coisa mais linda é maravilhosamente o reflexo de uma realidade a qual a gente ainda vive, é a nossa luta de cada dia, é um dos mínimos espelhos, de nós mulheres, gritando sobre a igualdade que queremos. Por fim é sobre como o amor nunca deve ser, mas nos dá uma lição em poucos minutos como ele deve e deverá prevalecer.

As temporadas de Coisa mais Linda estão disponíveis no Netflix que provavelmente nos entregará uma nova temporada em breve, com o objetivo de fechar todos os ganchos deixados na segunda temporada e a gente já espera ansiosamente por isso.