RESENHA | Série: Agente Carter – 1ª Temporada

Agente Carter - 1ª Temporada

Agente Carter foi uma série de duas temporadas, com dezoito episódios ao todo, que apresentou a vida de Peggy Carter (Harley Atwell) após a morte do seu grande amor, Capitão América (Chris Evans).

Sinopse

Em 1946, Peggy Carter se encontra marginalizada quando os homens retornam ao lar após a Guerra. Trabalhando para a SSR, Peggy precisa balancear o trabalho administrativo e missões secretas para Howard Stark, ao mesmo tempo em que leva uma vida solteira após perder o seu amor, Steve Rogers.

Ficha Técnica:

Título Original: Marvel’s Agent Carter (Season 1)
Ano produção: 2015
Direção: Joe Russo, Louis D’Esposito, Peter Leto, Scott Winant, Stephen Cragg, Stephen Williams e Vincent Misiano.
Produção: Tara Butters e Michele Fazekas (principais)
Lançado:15 de janeiro de 2015 (Brasil)
Duração: 336 minutos / 41 a 43 minutos por episodio.
Gênero: Ação, Aventura, Ficção, Científica
Número de temporadas: 02

Peggy Carter foi apresentada aos fãs na interpretação de Harley Atwell no filme Capitão América – O Primeiro Vingador. Neste primeiro momento não houve muito aprofundamento na personagem, ela apenas era a mulher que trabalhava com Steve Rogers e apaixonou-se por ele. Representando com a personagem de Peggy, como as mulheres começaram a entrar em trabalhos, que antes eram designados exclusivamente para homens, durante a Segunda Guerra Mundial. Assim, foram desenvolvidas duas sérias baseadas na vida de Peggy, nessa resenha será abordado a primeira temporada.

Um ponto muito importante apresentado na série é o pós-fim de guerra, quando os homens estavam voltando dos campos de batalha e assumindo seus antigos postos de trabalho. Logo, as mulheres voltaram a ser rejeitadas e inutilizadas para os trabalhos “formais”, como acontece com Carter, que antes era essencial e sempre presente em missões e agora é solicitada apenas para servir café e fazer os pedidos de almoço/janta dos seus colegas de serviço.

Assim, a primeira temporada, começa mostrando que a vida da britânica Peggy mudou um pouco depois que ela começou a trabalhar na SSR (Strategic Scientific Reserve), seu dia a dia está diferente sendo solicitada apenas para trabalhos bem abaixo do que antes lhe eram designados e sendo vista com pena pela perca do seu amado Steve Rogers.

Cansada de ser subestimada nas missões, Peggy aceita ser agente dupla para Howard Stark (Dominic Cooper), o pai de Tony Stark, para ajudá-lo a comprovar sua inocência nos crimes em que ele está sendo acusado. Assim, voltando a vida de investigações e perigos que vivia e fazendo novos amigos como Edwin Jarvis (James D’Arcy), que se transformou em um companheiro inseparável até o final da segunda temporada.

Outro personagem subestimado na SSR é Daniel Sousa (Enver Gjokaj). Após perder uma de suas pernas na guerra, ele é excluído e ignorado pelos companheiros de serviço. Ele consegue apoiar Peggy Carter em muitos momentos, porém ainda a vê como uma mulher para casar. Um personagem que fez toda a diferença na série foi Jarvis, conseguindo ser um bom companheiro de briga e um ótimo amigo, criando com a personagem principal, cenas de ação e de humor.

A atriz, Harley Atwell, deu vida à personagem, que nasceu sem nome nos quadrinhos. Ao mesmo tempo que ela é bonita e elegante ela, também, demonstra ser a heroína que todos precisam. Os cenários e figurinos, também, foram muito bem encaixados com o contexto da época, não deixaram a desejar em nenhuma cena, fazendo o espectador se transportar para dentro da época desde os pequenos detalhes.

Para saber mais sobre a participação de Peggy Carter em Vingadores – Ultimato e o futuro da personagem, acesse as matérias a seguir:
NOTÍCIA | Vingadores: Ultimato | Roteiristas confirmam teoria envolvendo os filhos de Peggy Carter
NOTÍCIA | Capitão América e Peggy Carter juntos em uma série?

Trailer Legendado:

//www.youtube.com/watch?v=iD3XVg8Spx4

~Camila Couto

Inscreva-se no canal do Teoria Geek no Youtube e nos acompanhe também nas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.