Annyeonghaseyo! Hoje, a resenha é de um Twdrama bonitinho chamado Pleasantly Surprised, ou também conhecido por Love Myself Or You, um jogo de palavras chinês que significa “eu gosto de ficar sozinho” e, ao mesmo tempo, “gosto de uma pessoa” ou ainda Love Meets Cupid. O dorama traz várias citações de One Piece mas a história, em si, nada tem a ver com o mangá. É que Du Kai Qi e Hao Wei são apenas viciados em One Piece, mas aqui, quem importa é o Louis, nome ‘francês’ de Fu Zi Jie.

Calma, eu explico!

  • GêneroRomance/Drama/Comédia
    Episódios: 22
    Exibição: 2014

    Sinopse:  Pode alguma coisa ser mais importante do que quadrinhos e boa comida? Du Kai Qi (Puff Guo) é uma mulher solteira e independente que adora One Piece e seu trabalho como chef no requintado restaurante francês Figaro Cuisine. Quando descobre que seu estagiário na cozinha, Fu Zi Jie (Jasper Liu), é seu vizinho de porta, eles imediatamente começam a brigar sobre assuntos triviais. Mas, o que nem Du Kai Qi, nem os outros chefs do restaurante sabem é que Zi Jie é um chef com formação clássica que acabou de voltar da França e que Figaro Cuisine é na verdade o restaurante do pai dele. É que Zi Jie foi convencido pelos seus pais de ficar, pelo menos, 1 mês em Taiwan com eles, sem saber que Zi Jie havia prometido ao irmão nunca mais voltar. 

Então, nós temos:

Dois melhores amigos que se ajudam e se apoiam, quando crianças e que, infelizmente são obrigados a se separarem por forças maiores a suas vontades. Ambos são apaixonados pela gastronomia, sobretudo a francesa. Um porque seu pai é o cozinheiro e seu sonho é o de se tornar um chef tão qualificado quanto ele. Outra porque, vivendo a vida pobre que tinha, ao experimentar seu prato, sentiu pela primeira vez, felicidade. Sua mãe nada mais era que a babá de seu amigo.

Um chef de cozinha com restaurante próprio que assina seus pratos com seu nome francês “Louis”, cujo restaurante, não sabemos que fim deu, que posteriormente se aventura a ser estagiário por 1 mês no restaurante de seu pai, sem contar sua verdadeira identidade, e que logo de cara é o escolhido para avaliar quem das suas chefs cozinhou o melhor prato, para então torná-la a sous chef do Figaro Cuisine. Seu passado é triste e se sente obrigado a viver solitário por conta de uma promessa feita a seu irmão.

Uma moça com um temperamento extremamente arrogante e frio, que sonha em se tornar sous chef do restaurante onde trabalha, desde que experimentou um prato do pai de Fu Zi Jie, ainda quando era pequena. Ela faz da comida e do One Piece, sua forma de viver um amor e por conta de seu passado nebuloso, marcado por erros familiares e decepções, e também porque ficou afastada de seu melhor amigo de infância, não reconhece Fu Zi Jie. Ela tem sérios problemas em confiar nas pessoas e interagir com elas. Para completar, na vida adulta, não tem uma relação saudável com seu pai, sua mãe carece de atenção e seu sobrinho ficou com sua guarda desde a morte de sua irmã mais velha.

  • Um amigo de Du Kai Qi que há anos é apaixonado por ela e um eterno friendzone. Ele é o irmão da sous chef do restaurante Figaro Cuisine e também viciado em One Piece, além de um nerd apaixonado por astronomia. Hao Wei seguiu no ramo da gastronomia para um dia reencontrar Du Kai Qi, que precisou rapidamente fechar matrícula na faculdade por problemas que não podia resolver, fazendo com que o rompimento do relacionamento dos dois fosse mal interpretado.

Temos, ainda o grupo de cozinheiros do Figaro Cuisine, cada um com sua história paralela, não muito bem desenvolvida como eu acho que deveria ter sido, mas que ajudou a compôr o núcleo de drama e comédia da história, fazendo de algumas cenas memoráveis, e algumas situações bizarras e engraçadas. Aliás, não só eles, mas o próprio casal principal, também, diga-se de passagem…

Aparentemente, não é um roteiro muito diferente, quase caindo no clichê, mas aí não sei dizer como, a história não ficou arrastada. Eu gostei. É bom, mas não é ótimo. Jasper Liu tem as roupas mais horríveis que EU já vi num dorama, parecia que os estilistas pegaram a capa do sofá da avó e o vestiu. – Mas, é claro, estou criticando baseado em meu gosto, porque pareciam ridículos os padrões de camisa e gravata. – Acontece que ele é modelo e usava a moda primavera/verão 2014, cujo o tema era floral. Logo, os estilistas se mantiveram fiéis às tendências da passarela em Paris/2014: bermudas e camisas de flores foram comuns na passarela daquele ano.

Os beijos, aiai.. finalmente, beijos técnicos e apaixonados, diferentes daqueles que você vê nos doramas coreanos, mais conservadores. Os cenários em que eles ocorriam, sinceramente? Vários melhores dos que já tinha visto. Mas, não são o ponto alto da história. Vejam bem, Fu Zi Jie cria para si, a obrigatoriedade de trazer “luz” e “felicidade” para Du Kai Qi, ensinando-a a interagir com seus colegas de trabalho e a acreditar nas pessoas, aprender a confiar nelas, tirar seu bloqueio. E, sinceramente, é o que mais gostei nele – embora, às vezes, eu tivesse dó ou raiva dele engolir a estupidez dela.

Como todo dorama taiwanês, ele tem seus exageros nos dramas e comédias, mas o conjunto da obra o torna gostosinho de assistir. Eu, geralmente, quando assisto alguma história, tento me colocar no lugar da pessoa, com a cabeça dela, senão a empatia não estaria completa, mas não consegui me ver realmente na pele dos personagens, não sei se por falha no roteiro ou se por não conhecer a cultura de Taiwan (república da China), ou se, desta vez, a minha habilidade de empatia falhou e não me permitiu mergulhar na personalidade dos personagens como fiz nas outras, mas…

Por exemplo, acho que o bloqueio que a Du Kai Qi desenvolveu por conta do que ela passou, embora fizesse sentido, não se conectava e era extremo demais. Tanto quanto injusta a maneira de Fu Zi Jie ter crescido por conta de seu irmão mais velho e a maneira pela qual este desenvolveu uma repulsa pelo próprio irmão mais novo. Sério, eu achei exageradas as consequências comparadas aos acontecimentos. Por mais que eu tentasse, simplesmente, não conseguia aceitar tão tranquilamente que aquelas coisas do passado pudessem modificar tanto as pessoas a tal nível… Talvez, porque não foi muito bem trabalhado! Mas, quem sou eu para julgar? Ninguém, né…
Agora, não me entendam mal, eu amo dramas taiwaneses porque eles tendem a ser longos e eu adoro ver momentos fofos em um drama e isso eles fazem muito bem, mas o fato de o drama poder terminar a qualquer momento com um final feliz, e não terminar porque foi atrasado para jogar mais drama de baixa qualidade, me incomodou. Acho que o drama foi um pouco exagerado no final da série… Acrescentaram tanta coisa nos dois últimos episódios, que eu senti falta de um desenvolvimento mais envolvente. Não deixou a desejar, mas poderia ter sido melhor e se prolongado mais…

Fora isso, há comida, há amor e há uma fatia de vida real. Na verdade, o dorama se concentrou em torno da comida francesa e das carreiras dos personagens, o que não foi ruim e também não se afastou do romance completamente. A comida também foi muito bem filmada. – E porque é comida, me deixou com fome enquanto assistia. Vi a primeira cena do dorama e o estômago já roncou. Não diminuiu com o passar do tempo.

O que mais gostei foi o amadurecimento das pessoas envolvidas no círculo amoroso da história. – Círculo, porque no começo dele eram tantos friendzones que eu gargalhava pelo exagero. – Sabe aquela quadrilha de Carlos Drummond de Andrade? “João amava Teresa, que amava Raimundo, que amava Maria, que amava Joaquim, que amava Lili, que não amava ninguém.”? Então… quase isso. – Mas, o drama te surpreende por não haver aquela disputa maldosa, embora decidida, e quaisquer tentativas de destruir o outro. Todos crescem e amadurecem conforme o decorrer da história. – Bem, alguns mais do que outros, e dois ficam o ápice do que se pode chamar de brega, mas dorama que segue e… ainda bem!

E, por fim, um elenco de tirar o fôlego (porque onde tem Jasper Liu, Lee Sean, Jolin Chien, Yorke Sun e Deyn Li, você não precisa de mais nada)! 

Ah, antes de eu ir, uma curiosidade: Três dos quatro membros da banda do grupo taiwanês 4ever participaram deste dorama. São eles: Jolin Chien (Chen Hao Wei), Yorke Sun (Wang Da Zhi) e Deyn Li (Xiao Qiang). Seu quarto membro, David Hsu, esteve no dorama  In Time With You, junto com o Jasper Liu. Jolin Chien também encenou o friendzone em Murphy’s low of love. Já o Lee Sean (Ji Yong Qian) participou de Bromance e Behind Your Smile.

______________________• ONDE ASSISTIR? •_______________________

Viki • 
~ Resenhas de minha autoria, também disponíveis em: EU ♥ DORAMAS ~
~ RackysEU ♥ DORAMAS