RESENHA | Mangá: Gantz

Gosta de mangás com clima mais pesado e conteúdo totalmente incomum? Cenas de violência explicita, muitos palavrões e apelo sexual? Então você não pode deixar de ler Gantz! Mas calma, a obra de Hiroya Oku não é só isso, continue lendo para conhecer um pouco mais dessa história eletrizante, cheia de loucuras e coisas de outro mundo.

Gantz

Origem: Japão (Resposta em itálico e cinza claro)

Gênero: Ação, drama, terror e ficção científica (Resposta em itálico e cinza claro)

Escrito: Hiroya Oku

Editora: Shueisha (Japão), Panini Group (Brasil)

Volumes: 37 edições

Publicação: Julho de 2000 – Junho de 2013

  • Sinopse: A trama de Gantz começa a se desenrolar durante o encontro de dois velhos amigos de infância (Kei Kurono e Katou Masaru) no metrô. Ambos (mesmo contra a vontade de Kurono) ajudam a salvar um bêbado que caiu nos trilhos do trem e no processo algo terrível acontece, mas graças ao Gantz eles podem ter uma segunda chance de viver, que pode ser realmente perigosa, esquisita e muito assustadora.

Kei Kurono, personagem principal de Gantz

O início de tudo

O personagem principal é Kei Kurono, um jovem egoísta, individualista e com complexo de superioridade. Katou Masaru, seu amigo de infância que sempre procura agir de forma correta, seguindo seus princípios e ideais. Eles se encontram no metrô e Katou, quando vê um bêbado cair nos trilhos do trem tenta ajuda-lo, porém não consegue sozinho. Kurono, mesmo contra sua vontade, também acaba entrando nos trilhos para salvar o bêbado. Logo após o tirarem do local o trem estava a caminho e acaba atingindo-os bruscamente.

Acidente de Kei e Katou no metrô

Mas nós não morremos?

Após a morte dos dois eles aparecem como por mágica em uma sala, aonde estão outras pessoas que supostamente também morreram, e lá se encontram com uma esfera negra muito caçoadora chamada Gantz que lhes passará algumas missões a serem realizadas. Missões que podem colocar em risco essa segunda chance de viver.

Sala do Gantz

A história de Gantz gira em torno principalmente desses dois personagens principais mas também aborda muitos outros secundários. Alguns duram muito tempo, outros nem tanto, mas vale a pena acompanhar o desenrolar e o desenvolvimento de todos ao longo das loucuras que acontecem durante as missões. As missões por sua vez são compostas por uma criatura, armas e roupas absurdas que o próprio Gantz disponibiliza, além de uma pontuação por missão executada com sucesso, todos tem o objetivo de completar 100 pontos.

Menus dos 100 pontos

Várias opções!

Gantz pode ser encontrado em Mangá, em anime (mas no anime a história não é tão aprofundada), em um filme chamado Gantz:O disponível na Netflix e em três live actions com uma história um tanto diferente do mangá. Quer ter um gostinho de tudo isso e saber se realmente vale a pena? Veja o Gantz:O disponível na Netflix, mas não se esqueça que lá você terá alguns spoilers do contexto do mangá.

Conclusão

Gantz pode parecer um pouco raso para algumas pessoas no início mas é muito mais do que somente um jogo de sobrevivência com mortes brutais, muitos palavrões e pessoas nuas, isso tudo é somente a ponta do iceberg. Com o desenrolar da história surgem muitos fatos surpreendentes a serem explorados e é incrível como os personagens evoluem com tudo isso. Gantz é um ótimo pedido para aqueles que procuram um conteúdo totalmente fora do normal e que tenham um estômago forte para cenas exageradas e com muito sangue.

Natasha Sanches
Arquiteta dedicada a construir ambientes para nerds e geeks. Nerd, Gamer, Otaku... Acompanhe meus trabalhos pelo instagram @casageek.com  e  @i2.arquitetura