Um milhão de finais felizes
Ficha Técnica
Autor: Vitor Martins
Editora: Alt
Ano de lançamento: 2018
Sinopse: Jonas não sabe muito bem o que fazer da vida. Entre suas leituras e ideias para livros anotadas em um caderninho de bolso, ele precisa dar conta de seus turnos no Rocket Café e ainda lidar com o conservadorismo de seus pais. Sua mãe alimenta a esperança de que ele volte a frequentar a igreja, e seu pai não faz muito por ele além de trazer problemas. Mas é quando conhece Arthur, um belo garoto de barba ruiva, que Jonas passa a questionar por quanto tempo conseguirá viver sob as expectativas de seus pais, fingindo ser uma pessoa diferente de quem é de verdade. Buscando conforto em seus amigos (e na sua história sobre dois piratas bonitões que se parecem muito com ele e Arthur), Jonas entenderá o verdadeiro significado de família e amizade, e descobrirá o poder de uma boa história.

 

As vezes tudo que a gente precisa é ler um romance fofo que nos ocupe durante algumas horas, e é isso que “Um milhão de finais felizes” nos traz, porém além disso ainda temos uma história cheia de descobertas e superações. Descobrimos que família nem sempre é apenas aquela biológica, e o quanto a amizade é importante.

A história se passa em São Paulo, então se você mora aqui vai acabar se vendo em vários locais, como passeando na Avenida Paulista ou dando uma volta na Liberdade. Confesso que eu ficava super animada nessas partes e me sentia dentro da história, vendo meus locais favoritos sendo citados.

Um milhão de finais felizes

No livro conhecemos Jonas, um garoto que trabalha em um “cyber café” na Avenida Paulista e que vive anotando novas histórias para livros, mas não chega a concluí-las. Jonas esconde de seus pais o fato de ser gay, pois acredita que não terá apoio. Sua vida muda quando ele conhece Arthur, e agora o jovem se ver apaixonado e tendo que guardar esse segredo da família.

Apesar de toda a comédia romântica temos um ar bem realista. Afinal, o livro é uma bela história de amadurecimento e de como as vezes é necessário enfrentar desafios e desapegar.

“A felicidade não dura para sempre. Você precisa aproveitar enquanto ela está aqui.”

Além disso, temos o drama de Jonas de não saber o que quer ser da vida. Mas uma de suas paixões é a escrita, e após conhecer Arthur ele finalmente começa a escrever um livro que parece que terá um final.
Durante alguns capítulos da história principal, somos levados a ler o livro que Jonas está escrevendo, então é tipo um 2 por 1.

Uma das coisas que mais amo são histórias que mostram a beleza das amizades, e essa é um prato cheio. Jonas tem amigos que qualquer pessoa gostaria de conhecer pelo menos uma vez na vida, desde a amiga que passa o dia estudando e que você só encontra nas férias da faculdade, mas que você sabe que estará ali caso precise, até aquela que está disposta a dividir o apartamento com você.

“Acho que o grande problema é que eu leio demais. Fico imaginando sobre como as coisas podem acontecer comigo de um jeito mágico e orquestrado pelo universo.”

E para quem gostar de cultura POP vai amar as referências, desde falar mal dos efeitos visuais de Teen Wolf até ficar indignado de alguém não ter assistido high school musical.

“Um milhão de finais felizes” é a história perfeita para chorar de tanto rir e rir de tanto chorar. Um retrato de amor e amizade. É realista, com representatividade, jovem, autêntico e que merece ser lido.

Sobre a Leitura

Sou totalmente suspeita para falar da escrita do Vitor Martins, pois se tornou um dos meus autores nacionais favoritos. Assim, saiba que a leitura é leve e fluída e somos abraçados por cada pagina. O inicio do livro é a única parte que achei mais “parada”, mas isso logo se resolve com o decorrer dos capítulos.

Sobre o Autor

VITOR MARTINS é ilustrador, tradutor e autor dos livros Quinze dias (Alt, 2017), Um milhão de finais felizes (2018) e seu novo livro Se a Casa 8 falasse (Alt, 2021) está em pré-venda.

– ONDE COMPRAR –
Amazon