A.I.C.O. é um anime de 12 episódios produzido pela Netflix. Nesta ficção cientifica nos encontramos em um futuro onde organismos artificiais estão muito desenvolvidos. Em meio a trajes, partes de corpos e até corpos inteiros encontramos Tachibana Aiko, a primeira pessoa a ter um cérebro real e um corpo artificial.

Após um terrível acidente com células artificiais, boa parte do Japão teve de ser isolada. O prolíferamento sem controle dessas células criou uma enorme massa chamada ”Matéria”. A Matéria é agressiva para com os demais seres vivos e, por isto, os cidadãos vivem isolados em uma área.

Em meio a este caos encontramos Aiko, uma aluna de um colégio que se encontra dentro de um hospital. Depois de perder seu pai em um acidente de carro e sua família para a Matéria, ela pensa que está sozinha, mas Yuya Kanzaki a convence do contrário.

Primeiramente Yuya é um aluno transferido que, em breve, começará seus exames no hospital. Ele é simpático, mas sua atitude muda quando sequestra Aiko e a leva para a cidade. Lá ele explica que após o acidente ela ficou muito ferida e os médicos optaram por transferir seu cérebro para um corpo artificial. Para piorar, seu corpo verdadeiro, com um cérebro artificial, pode ser a chave para parar a Matéria

Assim, com a promessa de que sua mãe e seu irmão estão vivos, ela ruma para o ” ponto zero”. Ciente de que passará por uma nova cirurgia para, dessa forma, recuperar seu corpo e de que o artificial será destruído.

Apesar do número de informações que temos de absorver em poucos episódios, A.I.C.O. é um anime muito interessante. Ele lentamente nos prende em sua trama para, enfim, nos passar uma mensagem muito clara. Nós só nos importamos com o que estamos ligados, independente de nossa noção do que é vida.

 

 

~Lari