RESENHA | HQ: Valente Para Sempre.

Você se lembra da sua primeira paixão, aquela que te faz chegar em casa pensando que tudo lembra aquela pessoa, tudo é aquela pessoa. Normalmente esse amor platônico é alguém da sua sala de aula, naquela fase do ensino fundamental onde estamos aprendendo tudo, aprendendo sobre nós mesmos.

Valente sou eu, você, aquele seu amigo que joga vídeo game contando sobre a nova garota, ou garoto, que acabou de aparecer e tudo acabou ficando em câmera lenta, parecendo até filmes do Zack Snyder, sim esse momento abusa da câmera lenta.

amigos no video game


Valente tem tirinhas fofas. 

Aqui temos a história de Valente, um cãozinho antropomorfizado, que tem uma rotina comum de um pré-adolescente, acordar, ir pra escola, conversar com os amigos, se apaixonar perdidamente por uma linda jovem misteriosa.


Uma história que lembra a infância.

A HQ segue nosso herói em busca do amor de sua donzela, mas não sei para vocês, mas Valente sofre o mesmo baque que eu mesmo já sofri, sua donzela tem outro príncipe.

Nisso o sofrimento de um coração partido, dá um novo rumo a nosso protagonista, além claro de um novo amor.


Essas tirinhas são de encher os olhos. 

São ótimas tirinhas, que abordam momentos que normalmente ficam guardados para quem os viveu, no máximo reservado àquele melhor amigo. Revi muitos momentos de adolescência nessas páginas, um trabalho muito legal do Vitor Cafaggi.

Valente Para Sempre é o primeiro de cinco volumes do nosso herói canino.

Se gostou dessa, dá uma olhada na minha última resenha, sobre a Graphic MSP Jeremias – Pele aqui.