Ficha Técnica

Formato: Série
Gênero: Fantasia, Drama
Duração: 50 – 82 minutos
Criadores: David Benioff e D. B. Weiss
Baseado em: As crônicas de Gelo e Fogo de George R. R. Martin

Produtores: Mark Huffam, Frank Doelger, Chris Newman, Greg Spence, Lisa McAtackney, Bryan Cogman e Duncan Muggoch
Produtores Executivos: David Benioff, D. B. Weiss, Carolyn Strauss, Frank Doelger, Bernadette Caulfield, Bryan Cogman, Miguel Sapochnik e David Nutter
Empresas de Produção: Television 360, Grok! Television, Generator, Entertainment, Startling Television e Bighead Littlehead

Emissora de Televisão Original: HBO
Transmissão Original: 17 de abril de 2011 – 19 de maio de 2019
N.º de temporadas: 8
N.º de episódios: 73

Sinopse
Série baseada nos livros de George R. R. Martin, que conta a saga de sete nobres famílias em luta pelo controle da mítica terra de Westeros, dividida depois de uma guerra. Num cenário que lembra a Europa medieval, cavaleiros e renegados usam todos os meios em nome do poder.

Após 8 temporadas, Game Of Thrones chega ao fim. Lançada em 17 de abril de 2011 a série baseada nos livros de George R. R. Martin chegou para despertar emoções ao público e se tornar uma das maiores da atualidade.
Ao longo dos 8 anos os fãs aguardavam ansiosos as estreias de novos episódios, existiam perguntas diversas sobre o que iria acontecer: Quem vai morrer? Quem irá ficar com o Trono de Ferro? Quantas revelações ainda estão por vim? Agora já sabemos as respostas, para muitos o final foi decepcionante, para outros memorável.
Mas o que levou a isso? Provavelmente não há uma maneira de agradar ao público em geral ao encerrar um “show” como esse. Afinal, foram anos de teorias de como cada coisa iria se desenrolar, como as profecias seriam inseridas e afins.
Após a série passar os acontecimentos dos livros, muitas coisas mudaram, os roteiristas agora precisavam criar um desenrolar para cada detalhe que foi abordado desde o início. Era preciso fazer isso com poucos episódios pela frente, o próprio George R. R. Martin falou que ainda era necessário mais algumas temporadas para que tudo fosse explicado da melhor forma, porém o que restou foi fazer tudo em um curto espaço de tempo.
Vale ressaltar que Game Of Thrones poderia ser tudo, menos bonito. Afinal, era uma guerra. E as coisas foram sendo conquistadas com “Fogo e Sangue”.
O último episódio contou com a excelente fotografia que estamos acostumados, um exemplo disso é a cena que Daenerys sai para falar com os seus soldados, nela é possível ver as asas de Drogon como se fosse da própria Dany. Outro momento importante envolvendo o Dragão é quando ele queima o Trono de Ferro logo após encontrar sua Mãe morta. Por falar nisso o que levou Jon a matar sua amada? Momentos antes ele procurou Tyrion para conversar, e o mesmo explicou a queda de Daenerys, como seria se ela continuasse a governar o reino, o que provavelmente levou Jon a pensar sobre as consequências que estavam por vir.
Depois da morte de Daenerys é possível notar que se passam algumas semanas, vários lordes estão reunidos para decidir o que acontece com Tyrion e Jon Snow. Verme Cinzento quer matar ambos, porém é impedido quando Tyrion decide que eles devem eleger um novo rei, a questão aqui é: – Por qual motivo eles ouvem um prisioneiro condenado por traição? E ainda decidem pelo o rei que o mesmo indicou? Talvez foi aqui que recuperamos o antigo Tyrion, inteligente e capaz de manipular com suas palavras.
Com a decisão de que Bran Stark seria o novo rei, Sansa informa que o norte não se ajoelhará e que será um reino independente. – Outra incoerência é o fato que todos aceitam esse fato e não exigem a independência de seu reino também.
A série termina com Arya Stark indo para o Oeste de Westeros, Sansa Stark sendo coroada como rainha do Norte, Jon Snow condenado a ficar na patrulha da noite, mas o mesmo vai embora com o “povo livre” e Tyrion se torna a mão do novo Rei Bran Stark.
Agora é esperar o lançamento dos livros, e ver qual o final George R. R. Martin tem a nos oferecer.