Após a conclusão de Fragmentado (2017), Kevin Crumb (James McAvoy), o homem com 24 personalidades diferentes, passa a ser perseguido por David Dunn (Bruce Willis), o herói de Corpo Fechado (2000). O jogo de gato e rato entre o homem inquebrável e a Fera é influenciado pela presença de Elijah Price (Samuel L. Jackson), que manipula seus encontros e guarda segredos sobre os dois.

O final da trilogia do Shyamalan era muito esperado pelos seus fãs, sendo assim, a expectativa de todos estava bem alta, o que prejudicou o andamento do filme. O início é lento e até bom de assistir, mas a partir do momento que os personagens se encontram no hospital psiquiátrico, a história desanda. As justificativas para manter eles ali são rasas, e insistem em explicar que é um filme de super heróis, algo que quem está assistindo já percebeu desde a primeira cena.

O encontro dos três personagens poderia ter sido uma cena épica do cinema atual, mas não foi. O Shyamalan teve medo de ousar no roteiro, deixando algo tão esperado quase que mediano, apenas mais uma parte do filme com umas piadinhas que assistimos para chegar no desfecho.

(Foto:Divulgação)

Entretanto, as atuações do elenco são incríveis! James McAvoy brilhou mais uma vez interpretando Kevin, e dessa vez conhecemos mais algumas de suas personalidades, mesmo que por pouco tempo, onde McAvoy consegue mostrar a sua habilidade de atuação mudando de um personagem para outro em poucos segundos. Bruce Willis e Samuel L. Jackson reprisam seus papéis quase 20 anos depois, com a mesma maestria do primeiro filme. Outro destaque vale para Anna Taylor Joy, que transmite muita emoção em tela em suas cenas com McAvoy. Infelizmente não foi o mesmo que aconteceu com Sarah Paulson, que não conseguiu convencer os espectadores com a fria Dr. Ellie Staple.

Uma das características de M. Night Shyamalan sãos as representações das cores, e isso não foi diferente em “Vidro”. Assim como nos filmes anteriores, Senhor Vidro é representado pelo roxo, Kevin pelo amarelo e David Dunn pelo verde, cores que acabam sendo usadas respectivamente pela mãe do Elijah (Charlayne Woodard), Casey (Anna Taylor Joy) e Joseph Dunn (Spencer Creat Clark), filho de David.

“Vidro” pode não ser tudo o que os fãs esperavam, mas foi um bom desfecho para a história dos seus personagens. Embora o longa tenha deixado uma abertura para uma possível expansão desse universo, a história de Elijah, David e Kevin foi contada. E mesmo com uns alguns pontos fracos, o filme tem ótimas cenas de ação e um plot twist interessante no final, o que faz valer assistir no cinema.

//www.youtube.com/watch?v=Noi8mDg-8Ik

Ficha técnica

Título Glass (Original)
Ano produção 2019
Dirigido por M. Night Shyamalan
Estreia
17 de Janeiro de 2019 (Brasil)
Duração 129 minutos
Classificação  14 – Não recomendado para menores de 14 anos
Gênero
Drama Ficção Científica Mistério Suspense
Países de Origem
Estados Unidos da América