Rua do Medo Parte 3: 1666 une perfeitamente tudo nesta trilogia em mais um ótimo filme com um festival de sangue.

Ficha Técnica
Título: Rua do Medo 1666
Ano de Produção: 2021
Dirigido Por: Leigh Jeniak
Estreia: 16/07/2021
Duração: 112 Minutos
Classificação: Não recomendado para menores de 18 anos
Gênero: Mistério/Terror
País de Origem: Estados Unidos da América
Sinopse: Em 1666, uma cidade colonial é aterrorizada por uma histérica caça-às-bruxas com consequências mortais que reverberam nos séculos seguintes. Cabe aos jovens em 1994 tentar descobrir uma maneira de pôr um fim à maldição da cidade, antes que seja tarde demais.

 

A Netflix fez o impensável – eles lançaram uma trilogia de filmes consecutiva, dando-nos três filmes em três semanas que têm sua própria história para contar, mas se unem no final para criar algo incrível. As partes 1, 2 e 3 de Rua do Medo estão agora disponíveis para assistir e, se você ainda não mergulhou, agora é a hora de fazer isso. 

Para os fãs dos livros de RL Stine, Rua do Medo, ficará rapidamente óbvio que esta não é uma história que ele contou. No entanto, eles se encaixam perfeitamente no universo que ele criou e podem facilmente ser uma história dele em Rua do Medo. Há muito o que amar nesta trilogia para fãs de terror – especialmente aqueles que gostam de um bom festival de sangue.

Sobre o Enredo

A melhor parte deste último filme da trilogia é a maneira como ele revela toda a história para o público. Finalmente as coisas estão sendo encaixadas e a origem da maldição de Sarah Fier é explicada. Trabalhar de trás para frente em uma trilogia é uma maneira única de fazer as coisas, mas realmente funciona com Rua do Medo. A forma como tudo se encaixa é incrível e com certeza vai ter espectadores com as mandíbulas no chão. Embora alguns possam ter juntado as peças bem antes, é provável que a maioria não o tenha feito, e isso é uma grande surpresa.

Rua do Medo – Cr: Netflix © 2021

Mesmo que essa parte se chame Rua do Medo 1666, ela não fica no passado o filme inteiro, ou seja, é uma coisa muito boa. Essa é de longe a parte mais fraca do filme. Não me interpretem mal, serve ao seu propósito e a maior parte é fantástica, é que toda a história realmente se junta quando os espectadores voltam para 1994. 1666 tem um ritmo um pouco lento às vezes, até mesmo arrastado, e o que seria seus pontos altos, não são os melhores. Coisas super minuciosas, porém, já que o filme no geral é muito bom.

Mantendo a Qualidade

Quase tudo o que foi incrível nos dois primeiros filmes é incrível neste também. A atuação, a escolha da música e a cinematografia são excelentes. É o mesmo que os espectadores esperam depois dos dois primeiros e fiquei muito feliz por esses elementos permanecerem no mesmo nível dos filmes anteriores. Este filme é tão bom em reunir tudo, que torna os outros filmes mais fortes no processo, ou seja, identificamos ainda mais o ponto forte dos anteriores.

Uma vez que a verdadeira história é exposta, as coisas sobem um degrau. As últimas cenas de luta são tudo o que um fã de terror pode esperar, e tudo se encaixa muito bem. Embora parte disso seja previsível, a história geral é um pouco difícil de entender. Existem algumas voltas e reviravoltas para os fãs dessas coisas também e, claro, muito mais sangue!

Considerações finais

As origens da maldição de Sarah Fier são finalmente reveladas conforme a história se completa em uma noite que muda a vida dos Shadysiders para sempre. Tudo se encaixa muito bem. Pode não ser a melhor parte da trilogia, mas tem seu desfecho satisfatório, ou seja, não vai lhe decepcionar.

Minha nota para esse filme é:


Para mais RESENHAS, siga-me os bons! AQUI