Conto de King adaptado ao cinema pelas mãos de Darabont ganha pontos por não se ater apenas ao óbvio do gênero, consegue ser fiel ao material original de forma satisfatória e competente, e um final de cair o queixo.

Ficha Técnica

Duração: 2h 00min
Direção: Frank Darabont
Elenco: Thomas Jane, Marcia Gay Harden, Laurie Holden
Gênero: Terror
Nacionalidade: EUA

Sinopse

Depois que uma violenta tempestade devasta a cidade de Maine, David Drayton – um artista local – e seu filho de 8 anos correm para o mercado, antes que os suprimentos se esgotem. Porém, um estranho nevoeiro toma conta da cidade, deixando David e um grupo de pessoas presas no mercado – entre elas um cético forasteiro e uma fanática religiosa. David logo descobre que o nevoeiro esconde algo sobrenatural e que sair do mercado pode ser fatal. Mas conforme o grupo tenta desvendar o mistério, o caos se instala e fica evidente que as pessoas dentro do mercado podem tornar-se tão ameaçadoras quanto as criaturas do lado de fora.

O Nevoeiro é uma história de terror, mas levando para o lado ideológico, que acaba motivando as pessoas a cometerem atos de violência, apenas por que acreditava que isso iria trazer paz. Extremismo? Poderia dizer que sim, afinal durante toda a história da humanidade, os atos de extremismo sempre foram motivados pela religião, e o filme faz uma crítica quanto a isso. Por isso, é importante mencionar que as criaturas são como coadjuvantes, que seus ataques não são o principal foco do filme, o centro das atenções são os personagens de diferentes opiniões que discutem durante o filme todo, foi exatamente essa a proposta do filme, não um terror onde haveria apenas a luta contra os monstros. Ele deixa bem claro que o verdadeiro terror é o próprio ser humano, ainda mais no seu estado mais primitivo e ainda faz a abordagem sobre como ele reage a esses medos.

Em relação as criaturas, eu achei que foram bem criativas, todos eles com habilidades mortíferas. Se bem que algumas pessoas tenham exigido mais aparições desses bichos, mas isso era apenas um aperitivo para a violência e o medo psicológico que iria ocorrer nas dependências daquele mercado, onde os verdadeiros monstros podem ser nós mesmos. Acho que funciona de forma muito satisfatória, toda a tensão e mistérios em volta dessas criaturas, o pouco que mostrou em algumas partes me deixou a sensação que o CGI poderia ser melhor, mas nada que atrapalhe a experiência.

Gosto muito das atuações nesse filme, um ponto positivo, certas situações e atuações fazem o expectador mergulhar ainda mais na história e até torcer para que alguns personagens tenha um fim rs.

O final é divisor de opiniões, mas me agrada muito pela coragem, foge dos clichês com os quais estamos acostumados. É um final aterrorizante, digno de um bom filme de terror.

Trailer:

//youtu.be/ho9fmduWcaU