O Enigma de Outro Mundo (orginalmente intitulado de The Thing) é um longa-metragem de gênero Sci-Fi e terror dirigido por John Carpenter, considerado por muitos uma lenda dos filmes Trash que ajudaram a compor a cultura da década de 1980, e estrelando Kurt Russell no papel principal, que já havia trabalhado com Carpenter em Fuga de Nova York, no ano anterior. É baseado em um livro de 1937 de nome Who Goes There? (em uma tradução livre Quem Vem Lá?) escrito por John W. Campbell, uma história que já fora interpretada nas telonas no filme The Thing From Another World, em 1951, porém, esse acaba por divergir muito da obra original, enquanto no livro a criatura era um alienígena meta morfo, o monstro no filme era também extraterrestre, porém composto por vegetais (sim, é sério) e que tinha a aparência do monstro de Frankenstein, entre outras diferenças.

Resumidamente, o filme conta a história de um time de pesquisa norte-americano isolado em uma base na Antártica tentando lutar contra uma forma de vida alienígena que mata e assimila suas vítimas, tornando-se cópias idênticas das mesmas, criando outro problema para o grupo, a desconfiança. Aos poucos vemos cada um dos integrantes sucumbindo a paranoia, alianças entre pequenos grupos são formadas e uns acusam os outros de terem sido assimilados pelo monstro.

John Carpenter mostra sua maestria no suspense nesse filme, diversas cenas extensas e visões panorâmicas do ambiente interno da base americana servem para envolver o espectador, dando uma necessária noção de espaço e o ajudando a se localizar. Isolamento é uma estratégia amplamente utilizada no gênero do terror, e aqui não é diferente. Nossos protagonistas estão em uma situação parecida com os do filme Alien O Oitavo Passageiro, escapar da base claustrofóbica não é uma opção, uma vez que as planícies gélidas da Antártica acabariam com eles em questão de minutos.

Existe um ditado de que o que você não conhece e não pode ver causa mais medo, por conta de sua imaginação preencher essa lacuna. Carpenter personifica isso em seu filme, o sentimento de estar sendo observado, de saber que alguém do grupo não é humano, mas não ter como tirar nenhuma conclusão, e de que o alienígena pode atacar a qualquer momento deixa tanto os personagens quanto o espectador estressados e tensos. Alguns membros do grupo são mortos fora de cena, sem pistas do que aconteceu, nenhum barulho, absolutamente nada, e é ai que a imaginação de quem está assistindo faz sua parte, cada um tenta interpretar de sua maneira o que aconteceu.

A criatura do filme, chamada apenas de A Coisa, é certamente um dos monstros mais aterrorizantes do cinema. Ela não possuí uma forma definitiva como o Xenomorfo da franquia Alien, sempre se transformando de formas diferentes para atacar suas vítimas, isso brinca com as expectativas do público, que sempre se questiona sobre a próxima bizarrice que vai dar as caras na tela. As atuações também não deixam a desejar. Diferentemente de diversos filmes do gênero, O Enigma de Outro Mundo conta com um elenco mais velho e totalmente composto por homens, dando uma dinâmica diferente dentro das cenas mais tensas. R.J. MacReady (Kurt Russel) é o clássico protagonista badass de filmes de ação, não gosta muito de papo, é o primeiro a tomar iniciativa dentro do grupo, mesmo que não seja o líder, e possui cabeça fria, sendo observador e cético, conseguindo assim entender como A Coisa age, e as estratégias para tentar acabar com ela. Os outros personagens também são memoráveis e cada um é distinto.

Um dos pontos mais fortes da obra definitivamente são seus efeitos especiais, criados por Rob Bottin (que trabalhou em diversos filmes como Robocop e Vingador do Futuro), que deu vida e designs inconfundíveis as criaturas do filme. Uma vez que naquela época efeitos por computação gráfica eram inviáveis, todos os monstros foram feitos de forma prática, utilizando máquinas hidráulicas, maquiagem pesada, bonecos e até efeitos em stop-motion em uma cena no confronto final (mais cenas de stop-motion seriam usadas e a batalha final seria mais extensa, mas Carpenter não gostou dos resultados e não havia mais tempo nem dinheiro).

Quando saiu nos cinemas em 1982O Enigma de Outro Mundo foi mal recebido tanto pelos críticos quanto pelo público, o filme foi criticado por sua violência e efeitos de gore e avaliado como mais um “lixo de seu gênero”. Apesar disso, atualmente o longa-metragem é considerado uma obra-prima pelos saudosistas de filmes Trash e Sci-Fi. Com atuações ótimas, trilha sonora arrepiante composta por Ennio Morricone (conhecido dos filmes de Western) e pelo próprio Carpenter e efeitos especiais que envelheceram bem, O Enigma de Outro Mundo é uma excelente escolha para ser revisitado.