RESENHA | Filme: Do jeito que elas querem

Do jeito que elas querem

                Do jeito que elas querem é um filme de 2018, que apresenta a história de quatro amigas que possuem um clube do livro. O livro do mês é “Cinquenta tons de cinza”, até aí tudo bem, mas a questão é que são mulheres beirando os 60 anos que vão ler esse best seller. A comédia veio realmente para fazer rir. É incrível ver como apesar de terem realidades diferentes as quatro mulheres continuam extremamente amigas. É um filme leve, perfeito para quem quer se distrair da correria do dia a dia.

Pôster
Ficha Técnica
Título: Do jeito que elas querem
Ano de Produção: 2018
Dirigido Por: Bill Holderman
Estreia: 14/06/2018 (Brasil)
Duração: 1 hora e 44 minutos
Classificação: 12 anos
Gênero: Comédia, Comédia Romântica
País de Origem: Estados Unidos
Sinopse: Quatro amigas de anos tem um clube do livro. Todo mês uma é a representante que escolherá a história da vez. Até que no que parecia ser um mês comum, Vivian escolhe o Best Seller “50 tons de cinza. Assim, essas quatro mulheres que beiram os 60 anos vão embarcar nessa leitura e em diversas “aventuras engraçadas”…

Apresentação

                O filme segue a história de quatro amigas. Vivian (Jane Fonda) é uma empresária dona de um glamouroso hotel que faz sexo casual sem nunca dormir de fato com seus parceiros, ela foi pedida em casamento muitos anos atrás, mas recusou se mantendo solteira sem se apegar esse tempo todo. Sharon (Candice Bergen) é uma juíza divorciada que na época do divórcio comprou uma linda gatinha para acompanhar essa sua nova fase de vida, e além disso nunca mais teve ou quis um parceiro amoroso. Carol (Mary Steenburgen) juntou dinheiro como garçonete e abriu o próprio restaurante, é casada com o amor da sua vida há anos, mas tem alguns empecilhos sexuais com o marido. E por fim, Diane (Diane Keaton) que é quem narra o filme e se define como mãe.

Do jeito que elas querem: as quatro amigas

                Diane engravidou cedo e casou com o pai de suas filhas, viveu com ele até sua morte. Porém, ela mora em uma cidade diferente da que as filhas moram. E por se preocuparem com a mãe as mulheres vivem em seu pé e ficam fazendo com que ela viaje para vê-las e assim tentar convence-la a se mudar.

O livro do mês

                É Vivian quem escolhe “Cinquenta tons de cinza” como livro do mês e assim o filme ganha forma. Enquanto Vivian reencontra seu ex namorado, sim, o mesmo que a pediu em casamento, Diane viaja e conhece um charmoso homem no avião. Sharon acha o livro um absurdo e Carol fica empolgadíssima com o romance.

                Mas as coisas de fato mudam quando Diane descobre que o charmoso homem na verdade é um piloto de avião interpretado por Andy Garcia e que não perde tempo em chama-la para sair. No meio disso, elas dão início a leitura do segundo livro da trilogia e durante um bate papo desafioso entre amigas Sharon decide se inscrever num site de namoro.

Diane e Andy Garcia

                Assim, as amigas se metem em várias situações inusitadas e engraçadas. Suas vidas se enredam de maneiras próprias e cada uma tem que lidar com os próprios problemas, em especial os casos amorosos.

Ponto forte

                O filme apresenta pontos fortes, o primeiro é que realmente nos faz dar risadas comas situações que as meninas já não tão jovens se envolvem. Mas outro ponto é o modo como a amizade delas é representada no filme. Sim, elas são bem diferentes. Tem jeitos e realidades que se diferem bem uma da outra, mas são extremamente amigas e próximas. Enquanto Vivian quer a qualquer custo fugir de um relacionamento para não se apegar, Carol é uma romântica incorrigível mesmo depois de tantos anos de casada.

Evolução

                Outro ponto forte no final é a evolução de Sharon. Achei ela uma personagem bem interessante. Sharon começa como uma mãe totalmente preocupada com seu filho, chegando até a interromper uma audiência para falar com ele ao telefone. Porém, o filho parece não ligar tanto assim para ela. Além disso, ela se mostra um tanto ressentida com seu ex marido, principalmente, no momento em que descobre que ele vai se casar novamente com uma mulher bem mais jovem que conheceu em um site de relacionamento. Ela demonstra um claro preconceito quanto a isso, mas as coisas mudam da água para o vinho quando ela se sente desafiada pelas amigas. Ela entra de cabeça nesse novo mundo e se deixa levar o que dá origem a uma evolução da personagem.

Desafio

                Também tem Carol querendo reacender a chama com seu marido e entrando em conflitos inesperados com ele. E Diane que precisa de provar madura e auto suficiente pra suas filhar. Essa parte de Diane é muito bem feita e real, quantas vezes vemos os filhos se preocupando com os pais já mais velhos, mas nem tanto e isso os irrita? Os pais não gostam de ter esse papel trocado, mas também entendem o porque disso e não querem magoar os sentimentos de seus descendentes. Então guardam aquilo para si.

Opinião

                O filme é uma maravilhosa comédia para a família toda. Apesar de ter momentos que falam de sexo e ser um pouco de foco na trilogia de Christian Grey o assunto é inserido de maneira bem leve e natural. É ótimo para dar uma relaxada e algumas boas risadas que acho que é algo necessário nesse momento (ainda) pandêmico que estamos passando.

                Vale a pena conferir “Do jeito que elas querem” e acompanhar a história e evolução dessas quatro amigas na fase da maior idade. Já havia ouvido falar desse filme? Ficou interessado? Conta aí nos comentários.

                Para mais resenhas como essa é só clicar aqui. E lembrem-se aqui no Teoria Geek o importante é se divertir.