Nesta sexta-feira (21), a Netflix lançou em seu catálogo, o filme Caixa de Pássaros (Bird Box). O longa é baseado no livro homônimo do autor americano Josh Malerman, publicado no Brasil, pela editora Intrínseca. Caixa de Pássaros, é o livro de estreia de Malerman, lançado em 2014.

CAIXA DE PÁSSAROS:

Título original:
Bird Box
Gênero(s): Ficção Fantasia Terror Suspense Drama
Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 14 anos
País: EUA

Sinopse: Quando uma força misteriosa dizima a população mundial, só uma coisa é certa: se você a vê, tira sua vida. Diante do desconhecido, Malorie encontra amor, esperança e um novo começo apenas para desvendar. Agora ela deve fugir com seus dois filhos por um rio traiçoeiro para o único lugar que possa oferecer paz. Mas para sobreviver, eles terão que empreender a perigosa jornada de dois dias vendados.

A estória se passa alternando-se entre 2 linhas do tempo que são bem fáceis de perceber quando ha a passagem de uma para a outra, o filme começa com Malorie (Sandra Bullock) que é Artista plástica e mãe solteira,  vivendo uma vida tranquila e despretensiosa entre suas tintas, telas e pinturas. Sua irmã, Jessica (Sarah Paulson), a convence ir ao hospital realizar uma ultrassonografia – até esse momento da trama, Malorie está grávida. Pela TV, as irmãs assistem ao noticiário de que uma alguma coisa está deixando as pessoas enlouquecidas, agindo de maneira estranha. É exatamente nesse momento em que o filme se inicia. A partir dai, o caos e desespero são apresentados ao espectador e se faz entender que ao olhar para algo, seus olhos se transformam e quem olhou, comete suicídio de maneiras absurdas: entrando em carros em chamas, atirando-se do alto de prédios, jogando-se na frente de carros em movimentos, perfurando-se com objetos cortantes, etc.

O grande segredo é não olhar para a tal coisa (criatura,entidade…), por isso, todos os personagens mantém-se com vendas sobre os olhos. a curiosidade para tentar saber o formato da tal criatura que causa toda essa loucura é inevitável. Até que Gary (Tom Hollander), um homem misterioso e até então sobrevivente, junta-se aos demais com a justificativa de está em busca de um abrigo.

Neste momento acontece um Plot twist na trama, que se dá a partir do nascimento das crianças. Cinco anos depois – e você vai entender perfeitamente essa passagem de tempo e mescla entre flashbacks (passado) e tempo atual, as crianças crescem e recebem os nomes de “Garoto” (Julian Edwards) e “Garota” (Vivien Lyra Blair), Malorie se torna uma pessoa extremamente rigorosa e desconfiada.

AS ATUAÇÕES:

A atuação de Sandra Bullock é convincente e faz com que quem assiste o filme, sinta o mesmo que sua personagem. Tom (Trevante Rhodes) é incrível, sua presença no longa é extremamente necessária, na dose certa, atuação impecável. Outro destaque –não podia ser diferente!- é John Malkovich. Seu personagem, Douglas, é um homem amargo, frustrado sentimentalmente e frio. A perda de sua esposa, logo no início do filme, não o faz chorar ou sentir sua partida. “Ela era a minha esposa!“, dirá para Malorie, de maneira fria e banal. O talento de Malkovich fará você sentir uma certa raiva de seu personagem, porém seu personagem é fundamental.
Apesar de pequena, a participação de Sarah Paulson é extremamente marcante. E tocante.

PARTE TÉCNICA:

Desde cenário até figurino, tudo foi muito realista. Os efeitos especiais são muito bons da para convencer o espectador de que a tal coisa, exista. Sua presença é notável através de folhas, como alguém invisível ou um redemoinhos.

O QUE NÃO COLOU…

Em alguns momentos do filme, a trama se arrasta, com diálogos longos que não acrescentam nada a estória -o filme poderia ter de 15 a 20 min a menos-, E apesar de ser uma obra de ficção, algumas ações que acontecem, são totalmente inverossímeis, justamente por se tratar de pessoas que precisam ficar com os olhos vendados praticamente o tempo todo para sobreviver. Alguns personagens, são totalmente descartáveis, a ponto de que quando 2 deles “saem” do filme, não faz diferença nenhuma.

MINHA OPINIÃO:

Casa de pássaros, é um sucesso absoluto da Netflix, -acho ninguém tem dúvidas quanto a isso- Porém é um filme que está dividindo opiniões, Tem gente que odiou (incluindo quem leu o livro)na mesma proporção de quem o  amou, inclusive parte de quem assistiu e gostou, colocam o filme no patamar de “Cult”… Eu fico no meio termo! Acho um exagero de quem não gostou dizer que é um filme ruim, e também, Não faço coro com os que acham Caixa de pássaros a ultima cereja do bolo.

Caixa de pássaros, é um bom filme que cumpre com muita competência sua função de entreter os espectadores.

O filme é tenso, não tendo nenhum alívio cômico ou sub-tramas, parece que a diretora procura nos passar a mensagem de que “estão todos no mesmo barco”, há momentos muito bons tanto quanto desnecessários.

Considero “Caixa de pássaros”, uma grande metáfora de nossos sentimentos e percepção das “coisas” que nos rodeiam no nosso dia a dia, o filme é uma boa diversão, que merece ser conferido! principalmente para quem gosta do gênero (apocalíptico), e pela minha experiência nesse tipo de filme, arrisco em dizer que vem continuação por ai, pra alegria dos que gostaram e indiferença dos que não gostaram.

MINHA NOTA: 07/10

—————————ONDE ASSISTIR—————————
NETFLIX

FICHA TÉCNICA:

Título original: Bird Box

Gênero(s): Ficção Fantasia Terror Suspense Drama

Classificação indicativa: NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS

País: EUA

Idioma:Inglês: (Cópias dubladas disponíveis)

Diretor: Susanne Bier

Roteirista: Eric Heisserer

Elenco: Sandra Bullock, Sarah Paulson, Rosa Salazar, David Dastmalchian, John Malkovich, BD Wong, Parminder Nagra, Machine Gun Kelly, Tom Hollander,Jacki Weaver

Duração: 124 minutos

Estreia no Brasil: 21 de Dezembro de 2018

TRAILER:

//youtu.be/JeGdtrLQoiY