Surpreendentemente divertido, esse remake do clássico dos anos 80 é mais uma consequência do sucesso de produtos como Stranger Things

 

Título Child’s Play (Original)
Ano produção 2019
Dirigido por Lars Klevberg
Estreia
22 de Agosto de 2019 ( Brasil )
Outras datas 
Duração 90 minutos
Classificação  16 – Não recomendado para menores de 16 anos
Gênero
Países de Origem

 

  • Sinopse
  • No aniversário de seu filho (Gabriel Bateman), Karen (Aubrey Plaza) o presenteia com o boneco mais aguardado dos últimos tempos. Quando crimes estranhos começam a acontecer pela vizinhança, eles passam a suspeitar que o brinquedo pode não ser tão inofensivo quanto parece.

 

Aliando a novidade com a nostalgia e um punhado de referências, saem de cena o ocultismo e a violência urbana e entram no lugar a paranoia tecnológica e uma clássica trama de obsessão que vemos aos montes de filmes por aí. Mark Hamill não é Brad Dourif e seu Chucky, embora soe bastante como um Coringa de brinquedo, é bem mais “humano” que o original. É necessário muita suspensão de descrença (mas afinal, é um filme de um boneco que ganha vida!) e algumas coisas simplesmente não têm explicação alguma, mas num mundo cheio de remakes e reboots com defeitos de fábrica, qualquer coisa que fuja da programação é lucro.

A ideia de atualizar o filme para uma nova época é até interessante, mas achei que poderia ter sido melhor executada, vi muitas possibilidades no filme. Eu gostei do novo visual, acho que funcionou no filme e acredito sim que teriam pessoas para comprar o boneco. O que eu não gostei foi da “personalidade” nova do Chuck, na verdade ele não tem uma. É simplesmente um boneco com “defeito”, o Chuck perdeu toda aquela malícia e seu ar místico, mas para mim funcionou e agradou. Mas penso também que poderiam ter colocado a alma de um psicopata em um novo boneco com todos esses recursos tecnológicos, mantendo aquela personalidade clássica, seria fantástico. As mortes porém são bem legais, criativas, podem dizer que pouco provável, mas como mencionei acima, se trata de um filme de um boneco que ganha vida.

Quanto ao elenco, gostei muito nesse novo Brinquedo Assassino, as atuações são boas e satisfatórias, em nenhum momento vi algum problema e comprei a idéia dos personagens.

Se você estiver interessado em um filme que apele a sua nostalgia da década de 80 ou quiser simplesmente se divertir com muito sangue jorrado na tela e mortes criativas, então você deve assistir a Brinquedo Assassino, posso dizer que está longe de ser um dos piores remakes nessa nova onda de Hollywood.

Para quem é saudosista e gosta de pescar referências em filme, esse aqui tem várias em diversas partes do filme.

Bem, é isso e até a próxima.