Annabelle 3: De Volta Para a casa
, é o sétimo filme da franquia de “A invocação do mal”, e posso dizer a vocês sem medo de errar que apesar dos clichês, o filme não decepciona.

Ficha Técnica:

Título original: Annabelle Comes Home
Nacionalidade: EUA
Gênero: Terror
Ano de produção: 2019
Estréia: 27 de junho de 2019 (Brasil)
Duração: 1h 46min
Direção: Gary Dauberman
Roteiro: Gary Dauberman
Produção: James Wan, Michael Clear, Michelle Morrissey, Peter Safran

Sinopse: Annabelle a boneca possuída mais uma vez está o solta, causando estragos. Desta vez o alvo é Judy (Mckenna Grace), a filha de 10 anos dos Warrens, Ed (Patrick Wilson) e Lorraine Warren (Vera Farmiga) que deixam sua casa durante um fim de semana, a filha do casal, a pequena Judy é deixada aos cuidados de sua babá Mary Ellen (Madison Iseman), e precisam se defender de todas as maneiras para sobreviver aos ataques das forças do mal comandadas pela boneca amaldiçoada..

“Perigo positivamente não abra!” Diz o sinal de aviso gravado em letras maiúsculas em negrito do armário sagrado, que segura a boneca do mal Annabelle. Você não precisa ser um fã de horror de saber que de alguma forma, o oposto acontecerá. Claramente, a imprevisibilidade não está entre os pontos fortes da Annabelle 3. No entanto, para um estreante, diretor e escritor Gary Dauberman oferece muito generosamente muitos sustos em um ritmo consistente. O cerne do é seu controle de câmera excelente e a estratégia para gerar medo constante.

O filme abre com Ed e Lorraine trazendo o boneca para casa, E já no meio do trajeto, coisas sinistras começam acontecer, antevendo as consequências de levar a encarnação do próprio mal para a casa.

Chegando em casa, eles a trancam no porão, junto com uma infinidade de outras recordações assustadoras de seus casos infames (Já conhecemos bastante esse porão né.) A sala está repleta de objetos fantasmagóricos e demoníacos, Enquanto isso, sua filha Judy (Grace Mckenna) está tendo problemas na escola com valentões por causa do que os pais dela fazem para viver. Esta parte é tratada com sensibilidade. Mas a narrativa rapidamente entra o modo de ação, quando o casal precisa se ausentar um fim de semana, deixando sua filha com uma jovem mas responsável babá Mary Ellen (Madison Iseman). Tudo bem, até que sua melhor amiga Daniela (Katie Sarife) vai bisbilhotar a casa, esperando encontrar algo que a ajude a se conectar com seu pai morto. sendo esse um ponto do enredo bem executado para fazer o emocional do espectador se conectar com a personagem e justificar suas ações.

O que se segue é um “spookfest” que irá transportá-lo a uma casa de horrores tradicional. A trilha sonora é muito eficaz e adiciona o impacto desejado quando usado com algumas novas ideias para induzir o medo. E assim começa o negócio fantasmagórico, há quase um momento de tédio (Mas é rápido).  e pra aliviar a tensão constante do filme, Dauberman lança mão de algum alívio cômico, quando um vizinho nerd – o jovem Bob (Michael Cimino) obcecado por Mary Ellen, tenta conquista-la, mas é pego no fogo cruzado.

Atuações:

Em termos de performance, a estrela mirim Grace Mckenna faz um excelente trabalho, mesmo durante os mais terríveis momentos da estoria, a jovem atriz consegue mostrar que foi a escolha certa para o papel. O Restante do elenco vai muito bem, a baba e a amiga também são bem convincentes. Vera Farmiga e Patrick Wilson sempre excelentes, tem pouco tempo de tela, mas com tanta ação sem parar, sua ausência quase não é sentida. Gostaria de destacar também os efeitos sonoros e a decoração da casa dos Warren, as cores escuras sutis adicionam bastante ao clima assombroso do filme.


Minhas impressões:

Annabelle 3: De Volta para Casa, É um filme que te da bastante sustos, mas não te mata de medo! Talvez por repetir a mesma formula de grande parte dos filmes de terror atuais, mesmo assim, entrega o que promete e entre todos os derivados do universo de “Invocação do mal” Annabelle 3, é pra mim sem sombra de dúvidas o melhor derivado  da franquia. Sem contar que o filme abre diversas possibilidades de estórias a serem contadas futuramente dentro da franquia.