Os desenhos ocupam uma parte significativa da nossa cultura pop. Eles são (em grande parte) para crianças, então eles podem ser mais tolos, mais estranhos, muitas vezes sem sentido e até um pouco idiotas. Seja como for, dizemos, com um encolher de ombros casual – é coisa de criança. No entanto, simultaneamente, estamos preocupados com o que nossos filhos – nossos filhos impressionáveis ​​e ingênuos – estão aprendendo com eles, especialmente na era da internet.

Com o passar do tempo a percepção do que é certo e errado sempre muda, e a mídia tem de se adaptar a essas mudanças se não quiser perder telespectadores. Confira, abaixo, alguns desses desenhos que foram considerados impróprios em algum momento da televisão.

 

Deadly Force

O episódio da primeira temporada de “Deadly Force” é uma história de compaixão, embora austera, sobre a segurança das armas, na qual a divertida gárgula Broadway atira acidentalmente na detetive humana Elisa com sua própria arma. Ela está gravemente ferida e mal sobrevive a uma cirurgia de emergência, e, na época, pessoas da Broadway fizeram uma cruzada frenética e cheia de culpa contra as armas.

Em última análise, uma lição muito importante é aprendida sobre o manuseio seguro de armas de fogo – mas não antes de quadros gráficos e respingados de sangue de Elisa com uma bala na barriga encherem a tela. “Deadly Force” foi tirada da programação da TV por um tempo, e subsequentes aparições nos canais Toon Disney e Disney XD recortaram a cena de modo que apenas o rosto angustiado de Elisa é visível.

Gargoyles

 

O laboratório de Dexter

Dexter's Lab

Essa rivalidade entre irmãos alcançou novos patamares no episódio “A Remoção rude de Dexter”. Neste episódio, Dexter desenvolve um “sistema de remoção rude” para remover as qualidades mais irritantes de Dee Dee. Isso sai pela culatra, e Dexter acaba criando duas versões de si mesmo e de sua irmã: um par polido, vagamente britânico, e um par cuja palavra é censurada por palavrões. Apesar de sua conclusão, “Dexter’s Rude Removal” nunca foi ao ar. O criador da série, Genndy Tartakovsky, menciona isso de tempos em tempos, aumentando sua lenda, até que finalmente apareceu no bloco de programação noturno do Adult Swim. Apesar do fato de que nenhum palavrão é realmente proferido, o episódio nunca havia passado no ar durante um horário que não fosse o noturno.

 

Tiny Toons: uma cerveja

Tiny Toon Adventures

“Tiny Toon Adventures” eram conhecidos por sua atitude irônica em relação às convenções de desenhos animados. Babs, Buster e o resto da gangue “Acme Looniversity” regularmente zombavam das expectativas dos fãs de desenhos, a ponto de de subverter piadas de pastelão envolvendo marretas e cascas de banana aos contrastes icônicos brincalhões como Pernalonga e Pato Patolino.

Mas isso saiu um pouco fora dos trilhos com o infame episódio “One Beer”. Patolino, Hamton. J. Pig (Gaguinho) e Buster Bunny (Pernalonga) vão em um redemoinho quando bebem (apenas uma) cerveja pela primeira vez, rapidamente provocando uma ira dos censuradores de plantão. Apesar do fato de que Buster abre a cerveja dizendo “neste episódio, estamos mostrando os males do álcool”, e terminando perguntando se eles podem fazer um “episódio engraçado amanhã”, “One Beer” foi banido até 2013, quando finalmente foi incluído em um lançamento em DVD.

 

Teletubbies: gay?

Resultado de imagem para tinky winky

O desenho onde quatro “ursinhos” tinham em sua barriga uma televisão fez muito sucesso durante os anos 90 e 2000. Os quatro irmãos se divertiam com diferentes lições a cada dia e não tinha nada que, teoricamente, influenciasse mal as crianças.

Os mesmos ursinhos tinham em suas cabeças uns símbolos, como antenas. Tinky Winky, o teletubbie roxo, tinha como “antena” o símbolo homossexual. Outro fator que criou polêmica no desenho era que o mesmo teletubbie usava bolsa feminina, o que fazia a censura considerá-lo gay. Os episódios de Teletubbies quase nunca foram censurados, mas as campanhas na internet e por meio de cartas para as emissoras de TV fizeram com o que o desenho fosse mal quisto entre pessoas mais religiosas e/ou tradicionalistas.

 

A vaca e o Frango

Resultado de imagem para Episódio Buffalo Gals A vaga e o Frango

“A vaca e o frango” tiveram certa popularidade quando passavam no Cartoon Network. Seus irmãos titulares, Vaca, a excêntrica garotinha do segundo ano, e Frango, de temperamento quente e garimpeiro, sempre se metiam em problemas que deixavam claro que estavam ali para fazer as crianças rirem e não fornecerem tutela moral.
Havia, no entanto, um limite que os censores norte-americanos não queriam que cruzassem, e “A Vaca e o Frango” descobriram-no com “Buffalo Gals”, episódio contendo comentários de piadas lésbicas. O episódio consiste em uma gangue de motociclistas de mulheres de cabelos curtos e tatuadas que invadem a casa da família e mastigam o tapete.

Por causa dessas supostas piadas a respeito do esteriótipo de mulheres homossexuais, o desenho não agradou nenhum dos lados: pais enviando e-mails e cartas, organizações LGBTs protestando na internet. Motivos não faltaram para que o episódio fosse banido do Cartoon Network durante um bom tempo nos EUA e alguns países da Europa. Atualmente ele pode ser encontrado no Youtube.

 

Filme “A canção do Sul” da Disney

Resultado de imagem para filme A canção do Sul

A Disney também já teve seus dias na censura. No ano de 1946, no filme A canção do Sul, surgiu uma acusação de racismo. A Associação Nacional para o Progresso de Pessoas de Cor acusou a Disney de racismo sob o argumento de que tinha uma relação bucólica entre senhores e escravos. Essa acusação fez com que o filme nunca fosse lançado. Cá entre nós: uma animação muito bonita e infantil. Nada demais. O desenho foi retirado das locadoras durante os anos 90 e só voltou a aparecer na mídia por causa da internet.

 

Os Simpsons no Rio

Resultado de imagem para Simpsons no Rio

Um dos desenhos mais tradicionais, Os Simposons,  também já sofreu com a censura em diversos países. O caso mais conhecido d’Os Simpsons censurado aqui, no Brasil, é o episódio que se passa na cidade do Rio de Janeiro. A família de Homer visita a cidade maravilhosa e presenciou cenas como filas de conga, mulheres dançando na televisão peladas, jogos de futebol em qualquer lugar e ratos (multidões destes) correndo pelas ruas. O fato é que esse episódio irritou o país inteiro e a prefeitura, na época,  do Rio de Janeiro ameaçou processar a FOX.

 

Pernalonga

//www.youtube.com/watch?v=TlquOmv7Kk8

Esse personagem do Tiny Toon sofreu uma censura e com toda a razão. O Pernalonga foi censurado na década de 40 por zombar de esquimós, orientais e até de indígenas. Também zombou de negros ao imitá-los pedindo para não apanhar. A censura avaliou esse comportamento no episódio “All This And Rabbit Stew” como preconceito excessivo. O desenho saiu de circulação das telinhas em 1968, podendo ser encontrado atualmente no Youtube.

 

South Park

//www.youtube.com/watch?v=XBhXbikX6uA

Todos sabem que South Park é um desenho adulto. Cheio de palavrões e comportamento imorais, o desenho já brincou (ou atacou) vários assuntos que geraram polêmica: celebridades, política, religiões (as mais diversas), morte. Falou da cientologia (aquela, do Tom Cruise) e não deixou passar nem a Igreja Católica, mostrando a imagem de Nossa Senhora menstruando na cara do Papa. South Park chegou a ser proibido em vários países do Oriente Médio e Europa por causa de seu teor extremamente ácido. Atualmente passa no canal pago Comedy Central.

 

Sailor Moon: Days of Destiny

Resultado de imagem para Sailor Moon nudity

As versões dubladas em inglês do anime megahit “Sailor Moon” cortaram e censuraram tantas coisas da versão japonesa original, que mereceriam um artigo próprio. Muitas dessas mudanças tornaram-se infames anos depois: Sailor Uranus e Sailor Neptune, originalmente amantes, foram transformados em “primos”, Zoisite, originalmente um homem gay efeminado, recebeu uma dubladora e várias ocorrências de nudez implícita foram descartadas nos EUA, Europa e América do Sul.

 

Pokemón: Eletric Soldier Porygon

Imagem relacionada

Ao contrário de outras lendas de propagação entre crianças, esta realmente se revelou verdadeira. “Electric Soldier Porygon” é o episódio em questão, e foi realmente banido das emissoras japonesas, americanas e brasileiras por razões de saúde pública. Centenas de crianças japonesas foram levadas para o hospital em 1997, sofrendo de convulsões e vômitos. Descobriu-se que, um breve momento da animação, uma luz brilhante e estroboscópica induziu a esses sintomas.

Dizem que na época em que foi veiculado no Japão, o capítulo levou mais de 700 crianças ao hospital, que haviam entrado em crise epiléptica – com acessos de vômito e desmaios – devido a alguns poucos segundos de luzes piscando no desenho.

 

As meninas super-poderosas: “See me, feel me, Gnomey”

The Powerpuff Girls

O episódio “See me, feel me, Gnomey” foi censurado durante vários anos nos EUA. O criador Craig McCracken finalmente forneceu algumas respostas através de seu Tumblr: “Eles proibiram isso porque alegaram que as vigas de metal nos prédios destruídos pareciam muito com cruzes e um dos hippies parecia com Jesus”. A equipe ficou surpresa e os fãs ficaram privados, mas tudo deu certo: o episódio está agora disponível para qualquer um que queira assisti-lo no Hulu, iTunes ou nos DVDs da série original.

 

Ursinho Pooh

12 Desenhos famosos que estão proibidos em alguns países

Onde está proibido: China.

Por quê? Pela semelhança entre o personagem principal e o líder do país.

Medidas: tanto o filme como o desenho foram proibidos no país.

Tudo começou com memes inofensivos na Internet em que o ursinho era comparado ao recém-reeleito presidente Xi Jinping. Segundo os chineses, o desenho e a pessoa real se parecem não apenas fisicamente, mas também pelo caráter.

 

Esquadrilha Parafuso

12 Desenhos famosos que estão proibidos em alguns países

Onde está proibido: no começo, nos EUA e nos Japão. Depois, no mundo todo.

Por quê? Noções erradas sobre a lei e preconceito em relação aos países asiáticos.

Medidas: o capítulo 1 foi proibido no mundo todo. O capítulo 2, no Japão e, temporariamente, nos EUA.

Em um dos episódios, Baloo tinha que transportar uma caixa com um presente em que havia escondida uma bomba. O urso não recebeu nenhum castigo por isso, já que não conhecia o conteúdo da caixa. Segundo os críticos, isso levou as crianças a pensarem que não conhecer a lei livra as pessoas da responsabilidade.

Outro episódio polêmico e tirado temporariamente do ar se chama ’Last Horizons’. Segundo a trama, pandas hostis usam Baloo para determinar a localização de uma cidade escondida para o próximo ataque. Muitas pessoas viram na história analogias com a história real.

 

Gravity Falls

12 Desenhos famosos que estão proibidos em alguns países

Onde está proibido: Rússia.

Por quê? Propaganda de hábitos nocivos, violência e pornografia.

Medidas: Eliminação de cenas e frases.

O desenho aparece na TV russa, mas foi modificado. Algumas piadas foram tiradas e algumas cenas eliminadas. Além disso, a censura é de 12 anos. Um exemplo é o episódio 2, em que Dipper acidentalmente deita sobre o sutiã de Wendy, personagem que tem 15 anos. O episódio foi considerado provocativo no país.

 

Outlaw Star: Hot Springs Planet Tenrei

Os animes explodiram em popularidade no final da década de 1990, e Toonami, um bloco de programação do Cartoon Network voltado para a multidão pós-escola faminta por ação, foi uma grande parte do motivo do amor por esse tipo de animação.

Resultado de imagem para Outlaw Star: Hot Springs Planet Tenrei

Outlaw Star, uma série de ação espacial, muitas vezes foi considerado inapropriado. Um episódio inteiro, “Hot Springs Planet Tenrei”, foi considerado inaceitável, impossível de ser editado. Não é nenhuma surpresa o porquê: “Hot Springs Planet Tenrei” vê o herói Gene Starwind enviado ao mundo de lindas saunas cheias de mulheres ainda mais bonitas – e sempre despidas -. Editar uma cena de topless aqui e ali era factível, mas esse episódio era simplesmente muito dependente de muitas, muitas cenas cheias de nudez. No final, os espectadores mais novos tiveram que lidar com a falta de continuidade – até que, muitos anos depois, foi ao ar na Toonami e atualmente pode ser encontrado no Youtube e DVD’s.

 

Shrek 1 e 2 

12 Desenhos famosos que estão proibidos em alguns países

Onde está proibido: Israel.

Por quê? Temas sexuais e insultos a figuras públicas.

Medidas: retirado de 20 cinemas do país.

No desenho, aparece o verbo ’to bobbit’. O verbo surgiu após o caso da família de John Bobbit, nos EUA, em que a esposa cortou o pênis do marido com uma tesoura.

Na dublagem, foi feita uma piada sobre um cantor com uma voz peculiar, conhecido do público local. O cantor não gostou da piada e processou os autores da dublagem.