A revista Bula, uma das mais conhecidas do país, fez uma seleção com os 10 livros mais vendidos pela Amazon no mês de março de 2021.

Apesar do período de pandemia, com suas dificuldades, o apreço pela leitura não diminuiu. Pelo contrário! A procura por livros e por temas diversos têm aumentado. Dessa forma, a revista Bula fez a seleção com os 10 livros mais vendidos no último mês. Há grandes sucessos, tais como a HQ “Maus”; bem como, os livros “Cem anos de solidão”, “Ensaio sobre a cegueira”, “Fahrenheit 451” e “Torto Arado” (este último já foi resenhado por nós, confira aqui).

Enfim, confira os 10 livros mais vendidos da Amazon em março, segundo a revista Bula:


Histórias jamais contadas da Literatura Brasileira – Edson Aran


Sucesso: Histórias jamais contadas da literatura brasileira

Sinopse: A literatura brasileira é um saco sem fundo de histórias. Alguns acham que é só um saco. Esse livro não é para eles. Em 1949, choveu tanto, mas tanto, que não tinha seca no país nem para fazer um haikai, que dirá um romance! Foi assim que começou a disputa entre João Cabral de Melo Neto e Graciliano Ramos, pra ver quem ficava com a pequena seca que ainda restava. Os poetas passadistas sempre foram um problema para os modernistas, mas o maior desafio de Oswald de Andrade era a infestação de ninjas assassinos na São Paulo dos anos 20. Certa vez, Machado de Assis comentou com Ruy Barbosa que José de Alencar só pensava em índio pelado e o pau quebrou na Confeitaria Colombo. Esses e muitos outros fatos, totalmente ignorados pela historiografia nacional, estão agora reunidos em “Histórias Jamais Contadas da Literatura Brasileira”, um livro escrito e ilustrado por Edson Aran.

Ficha técnica
Editora: Bula Livros
Lançamento: 31/12/2020
Gênero: Ficção / Humor
Páginas: 150

Adquira na Amazon.


Fahrenheit 451 – Ray Bradbury


Livro: fahrenheit 451

Sinopse: Guy Montag é um bombeiro. Sua profissão é atear fogo nos livros. Em um mundo onde as pessoas vivem em função das telas e a literatura está ameaçada de extinção, os livros são objetos proibidos, e seus portadores são considerados criminosos. Montag nunca questionou seu trabalho; vive uma vida comum, cumpre o expediente e retorna ao final do dia para sua esposa e para a rotina do lar. Até que conhece Clarisse, uma jovem de comportamento suspeito, cheia de imaginação e boas histórias. Quando sua esposa entra em colapso mental e Clarisse desaparece, a vida de Montag não poderá mais ser a mesma.

Um clássico da ficção científica e da literatura distópica, Fahrenheit 451 foi escrito originalmente como um conto: “O bombeiro”, contido no volume Prazer em Queimar: histórias de Fahrenheit 451. Incentivado pelo seu editor, transformou a ideia inicial em um romance, que se tornou um dos livros mais influentes de sua geração – e também um dos mais censurados e banidos de todos os tempos. Foi adaptado para o cinema duas vezes, a primeira pelas mãos do lendário cineasta francês François Truffaut, e depois para diversos formatos.

Escrito durante a era do macartismo – a sistemática censura à arte promovida pelo governo americano nos anos 1950 – Bradbury costumava dizer que a proibição a livros não foi o motivo central que o levou a compor a obra, e sim a percepção de que as pessoas passavam a se interessar cada vez menos pela literatura com o surgimento de novas mídias, como a televisão. Com o passar do tempo, Fahrenheit 451 ganhou muitas camadas de interpretação: a história de um burocrata que questiona a vileza do seu trabalho, o poder libertador da palavra, a estupidez da censura às artes.

Embora soubesse estar testemunhando uma transformação social única, Bradbury afirmava não acreditar que o cenário que imaginou se tornaria realidade tão rápido. Lançado em 1953, Fahrenheit 451 é hoje uma obra de leitura indispensável junto com 1984, de George Orwell, e Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley.

Ficha técnica
Editora: Biblioteca Azul
Lançamento: 01/06/2012
Gênero: Ficção Científica
Páginas: 216

Adquira na Amazon.


Torto arado – Itamar Vieira Junior


Amazon: torto arado

Sinopse: Nas profundezas do sertão baiano, as irmãs Bibiana e Belonísia encontram uma velha e misteriosa faca na mala guardada sob a cama da avó. Ocorre então um acidente. E para sempre suas vidas estarão ligadas ― a ponto de uma precisar ser a voz da outra. Numa trama conduzida com maestria e com uma prosa melodiosa, o romance conta uma história de vida e morte, de combate e redenção.

Ficha técnica
Editora: Todavia
Lançamento: 07/08/2019
Gênero: Ficção Histórica
Páginas: 264

Adquira na Amazon.


Admirável mundo novo – Aldous Leonard Huxley


Livro: admirável mundo novo

Sinopse: Um clássico moderno, o romance distópico de Aldous Huxley é incontornável para quem procura um dos exemplos mais marcantes da tematização de estados autoritários, ao lado de 1984, de George Orwell.

Ele mostra uma sociedade inteiramente organizada segundo princípios científicos, na qual a mera menção das antiquadas palavras “pai” e “mãe” produzem repugnância. Um mundo de pessoas programadas em laboratório, e adestradas para cumprir seu papel numa sociedade de castas biologicamente definidas já no nascimento. Um mundo no qual a literatura, a música e o cinema só têm a função de solidificar o espírito de conformismo. Um universo que louva o avanço da técnica, a linha de montagem, a produção em série, a uniformidade, e que idolatra Henry Ford. Essa é a visão desenvolvida no clarividente romance Huxley.

Ao lado de 1984, que criticava acidamente os governos totalitários de esquerda e de direita, o terror do stalinismo e a barbárie do nazifascismo, em Huxley o objeto é a sociedade capitalista, industrial e tecnológica, na qual a racionalidade se tornou a nova religião, a ciência é o novo ídolo, um mundo no qual a experiência do sujeito não parece mais fazer nenhum sentido, e no qual a obra de Shakespeare adquire tons revolucionários.

Entretanto, o moderno clássico de Huxley não é um mero exercício de futurismo ou de ficção científica. Trata-se, o que é mais grave, de um olhar agudo acerca das potencialidades autoritárias do próprio mundo em que vivemos. Como um alerta de que, ao não se preservarem os valores da civilização humanista, o que nos aguarda não é o róseo paraíso iluminista da liberdade, mas os grilhões de um admirável mundo novo.

Ficha técnica
Editora: Biblioteca Azul
Lançamento: 01/01/2014
Gênero: Ficção Científica
Páginas: 312

Adquira na Amazon.


Cem anos de solidão – Gabriel García Márques


Clássico: cem anos de solidão

Sinopse: O livro mais importante de Gabriel García Márquez.Em Cem anos de solidão, um dos maiores clássicos da literatura, o prestigiado autor narra a incrível e triste história dos Buendía – a estirpe de solitários para a qual não será dada “uma segunda oportunidade sobre a terra” e apresenta o maravilhoso universo da fictícia Macondo, onde se passa o romance. É lá que acompanhamos diversas gerações dessa família, assim como a ascensão e a queda do vilarejo. Para além dos artifícios técnicos e das influências literárias que transbordam do livro, ainda vemos em suas páginas o que por muitos é considerado uma autêntica enciclopédia do imaginário, num estilo que consagrou o colombiano como um dos maiores autores do século XX.Em nenhum outro livro García Márquez empenhou-se tanto para alcançar o tom com que sua avó materna lhe contava os episódios mais fantásticos sem alterar um só traço do rosto. Assim, ao mesmo tempo em que a incrível e triste história dos Buendía pode ser entendida como uma autêntica enciclopédia do imaginário, ela é narrada de modo a parecer que tudo faz parte da mais banal das realidades.Gabo, apelido de Gabriel García Márquez, costumava dizer que todo grande escritor está sempre escrevendo o mesmo livro. “E qual seria o seu?”, perguntaram-lhe. “O livro da solidão”, foi a resposta. Apesar disso, ele não considerava Cem anos sua melhor obra (gostava demais de O outono do patriarca). O que importa? O certo é que nenhum outro romance resume tão completamente o formidável talento deste contador de histórias de solitários – que se espalham e se espalharão por muito mais de cem anos pelas Macondos de todo o mundo.Cem anos de solidão é uma obra grandiosa e atemporal, sobre a qual é possível construir diversos paralelos com a nossa própria existência.

Ficha técnica
Editora: Record
Lançamento: 01/04/1977
Gênero: Clássicos de Ficção
Páginas: 448

Adquira na Amazon.


Andira – Raphael de Queiroz


Livro Andira

Sinopse: Andira, um livro infantil da consagrada escritora Rachel de QueirozAndira é a história de uma andorinha que, por ser muito pequena e ainda não saber voar, é deixada para trás quando as outras andorinhas se preparavam para a migração de inverno. Nascida em uma igreja, ela passa a ser criada por uma família de morcegos, que ensina a ela tudo sobre seus curiosos e diferentes hábitos.A presente edição conta com projeto gráfico assinado pela designer Isabella Perrota e ilustrações do artista Cláudio Martins.Uma história para toda a família, Andira aborda temas como o convívio com as diferenças empatia, amor e amizade. A diversão e a emoção são certas!

Ficha técnica
Editora: José Olympio
Lançamento: 23/09/2014
Gênero: Ficção Infantojuvenil
Páginas: 64

Adquira na Amazon.


Maus – Art Spiegelman


Livro "Maus"

Sinopse: Maus (“rato”, em alemão) é a história de Vladek Spiegelman, judeu polonês que sobreviveu ao campo de concentração de Auschwitz, narrada por ele próprio ao filho Art. O livro é considerado um clássico contemporâneo das histórias em quadrinhos. Foi publicado em duas partes, a primeira em 1986 e a segunda em 1991. No ano seguinte, o livro ganhou o prestigioso Prêmio Pulitzer de literatura. A obra é um sucesso estrondoso de público e de crítica. Desde que foi lançada, tem sido objeto de estudos e análises de especialistas de diversas áreas – história, literatura, artes e psicologia. Em nova tradução, o livro é agora relançado com as duas partes reunidas num só volume. Nas tiras, os judeus são desenhados como ratos e os nazistas ganham feições de gatos; poloneses não-judeus são porcos e americanos, cachorros. Esse recurso, aliado à ausência de cor dos quadrinhos, reflete o espírito do livro: trata-se de um relato incisivo e perturbador, que evidencia a brutalidade da catástrofe do Holocausto. Spiegelman, porém, evita o sentimentalismo e interrompe algumas vezes a narrativa para dar espaço a dúvidas e inquietações. É implacável com o protagonista, seu próprio pai, retratado como valoroso e destemido, mas também como sovina, racista e mesquinho. De vários pontos de vista, uma obra sem equivalente no universo dos quadrinhos e um relato histórico de valor inestimável.

Ficha técnica
Editora: Quadrinhos na Cia
Lançamento: 24/06/2005
Gênero: Graphic Novel
Páginas: 296

Adquira na Amazon.


Ensaio sobre a cegueira – José Saramago


Amazon: ensaio sobre a cegueira

Sinopse: Um motorista parado no sinal se descobre subitamente cego. É o primeiro caso de uma “”treva branca”” que logo se espalha incontrolavelmente. Resguardados em quarentena, os cegos se perceberão reduzidos à essência humana, numa verdadeira viagem às trevas.
O Ensaio sobre a cegueira é a fantasia de um autor que nos faz lembrar “”a responsabilidade de ter olhos quando os outros os perderam””. José Saramago nos dá, aqui, uma imagem aterradora e comovente de tempos sombrios, à beira de um novo milênio, impondo-se à companhia dos maiores visionários modernos, como Franz Kafka e Elias Canetti.Cada leitor viverá uma experiência imaginativa única. Num ponto onde se cruzam literatura e sabedoria, José Saramago nos obriga a parar, fechar os olhos e ver. Recuperar a lucidez, resgatar o afeto: essas são as tarefas do escritor e de cada leitor, diante da pressão dos tempos e do que se perdeu: “”uma coisa que não tem nome, essa coisa é o que somos””.

Ficha técnica
Editora: Companhia das Letras
Lançamento: 03/04/2020 (nova edição)
Gênero: Ficção Clássica
Páginas: 317

Adquira na Amazon.


Viagem ao redor do meu quarto – Xavier de Maistre


Livro: viagem ao redor do meu quarto

Sinopse: Confinado em seu quarto após se envolver num imbroglio pré-carnavalesco (devidamente seguido de duelo), um oficial de família nobre vinga-se do aperto castrense e do despeito amoroso escrevendo um pequeno prodígio de leveza verbal e garantindo seu posto ― singular, vale dizer ― nas letras francesas. Parece bem contado demais para ser verdade, mas assim nasceu esta Viagem ao redor do meu quarto. Redigido na fortaleza de Turim e publicado pela primeira vez em 1795, o livrinho do tenente (e conde) Xavier de Maistre (1763-1852) é um exercício de risonha subversão de hierarquias, sejam elas militares, metafísicas ou literárias. Zombando das circunstâncias, o autor transforma os quarenta e dois dias de castigo em ponto de partida para uma paródia dos relatos de viagem, das dissertações eruditas e dos tratados de filosofia, confrontados aqui ao zigue-zague dos caprichos, ao curso errático dos pensamentos ou ainda às inclinações incontornáveis do corpo. Aos poucos, o sentimento e a fantasia vão tomando conta do cenário com uma irreverência que, sendo graciosa como só o século XVIII sabia ser, mostrou-se cheia de sugestões sediciosas para as gerações seguintes: Nietzsche foi leitor da Viagem, e Machado de Assis havia de saber o que estava fazendo quando inscreveu suas Memórias póstumas de Brás Cubas na linhagem da “forma livre de um Sterne ou de um Xavier de Maistre”. “A Viagem ao redor do meu quarto é uma das autobiografias mais originais e atrevidas já escritas.” (Susan Sontag)

Ficha técnica
Editora: Editora 34
Lançamento: 31/08/2020
Gênero: Ficção
Páginas: 88

Adquira na Amazon.


Grama – Keum Suk Gendry-Kim


Livro Grama da Amazon

Sinopse: Grama é uma poderosa graphic novel antiguerra que narra a história real da sul-coreana Ok-sun Lee, vendida pela própria família na infância e forçada à escravidão sexual pelo Exército Imperial Japonês. Ela é uma das várias mulheres que foram capturadas para servir aos soldados nas chamadas “casas de conforto”, espalhadas pela China e por territórios ocupados pelo Japão durante a Segunda Guerra Sino-Japonesa e a Segunda Guerra Mundial, em um dos episódios mais vergonhosos do passado da humanidade. Ok-sun Lee, hoje com mais de 90 anos, se tornou uma importante ativista pela indenização das “mulheres de conforto”, e é por meio de seus relatos à autora Keum Suk Gendry-Kim que acompanhamos sua triste história de vida. Lançada na Coreia do Sul em 2017, a obra já ganhou publicações em outros seis idiomas e tem colecionado prêmios e elogios da crítica no mundo todo. Venceu o Prêmio Especial Bulles d’Humanité, do tradicional diário francês L’Humanité; entrou para as listas de melhores histórias em quadrinhos de 2019 dos jornais The New York Times e The Guardian; venceu os prêmios The Cartoonist Studio Prize, Big Other Book Award e VLA Graphic Novel Diversity Award; e agora, em 2020, está indicada em três categorias do célebre Prêmio Eisner, como Melhor escritor/artista, Melhor trabalho baseado em fatos e Melhor edição americana de material asiático. O grande êxito de Grama está em trazer à tona a questão desse gravíssimo crime de guerra em uma narrativa leve e chocante ao mesmo tempo, sempre com ênfase na força e determinação de sua protagonista para superar adversidades e manter-se viva. A edição da editora Pipoca & Nanquim, traduzida diretamente do coreano, tem 492 páginas em papel offset 90g, capa dura macia ao toque e com verniz localizado, lombada redonda e fitilho de tecido.

Ficha técnica
Editora: Pipoca e Nanquim
Lançamento: 21/07/2020
Gênero: Graphic Novel
Páginas: 488

Adquira na Amazon.


E aí? Gostaram da seleção? Quais desses livros e HQs vocês já leram?

Confiram mais AQUI, no TG.