ESPECIAL TG | DORAMA: Apresentação e curiosidades

Annyeonghaseyo!

Se você é um leitor assíduo de resenhas críticas de doramas, este espaço é para você. Aqui, no Teoria Geek, vamos, a princípio mensalmente, postar uma resenha crítica de algum dos doramas que assistimos, para você que curte lê-las antes, durante e depois de assisti-los, independente de o recomendarmos ou não. Tenho certeza que irá se identificar com este espaço! — Dorama? Mas o que é um dorama? — Você que não sabe, continue a leitura que já explicarei. Já você, que assim como eu, está no vício, trago algumas curiosidades e diferenças entre os doramas asiáticos de cada país onde são televisionados (os mais famosos, pelo menos).

Quer saber mais? Acesse: FÓRUMEU ♥ DORAMAS

Imagem relacionada

Doramas são séries asiáticas, geralmente, mas não obrigatoriamente, baseadas em animes e mangás. Quando isso ocorre, podemos chamá-los de “Live Action”, por suas adaptações em formas de ‘novelas’. Os doramas têm ganhado, dia-após-dia, mais visibilidade e, com isso, mais fãs, virando febre em vários países, inclusive no Brasil. 

Eles se destacam pelo dramalhão nas histórias de romance (ou com menor frequência de ação/suspense/terror) e têm suas características próprias em cada país onde é desenvolvido. Os mais conhecidos são os K-Dramas (coreanos), J-Dramas (japoneses), C-Dramas (chineses), Tw-Dramas (taiwaneses) e Thai-Dramas (tailandeses). Cada um deles têm suas características, mas vou citar apenas algumas elencando as regiões em que mais se investem neles (Japão, Coreia do Sul e China).

Doramas: Japoneses (jdramas)

Os dramas japoneses costumam ser transmitidos em temporadas que duram três meses, com novos dramas sendo exibidos a cada temporada. Elas seguem uma cronologia específica de acordo com as quatro estações do ano. A maior parte dos dramas japoneses contêm em média de 9 a 12 episódios exibidos semanalmente (noturnos) ou por vários meses (diurnos e vespertinos). O tema e o fundo musical definem o tom geral dos dramas japoneses. Existem um número de pessoas que também são grandes fãs da trilha sonora original dos dramas. A maioria das redes de televisão trabalham com as companhias de música a fim de produzir trilhas sonoras originais. A maior parte dos temas de abertura e encerramento são escritos especialmente para o drama, enquanto outros temas musicais são licenciados de outras fontes.
Os J-dramas têm uma carga de respeito e lição de moral em quase todos os doramas. Dado à religiosidade aflorada, típica do Japão, a maioria dos doramas apresentam templos budistas nas histórias, ou banhos em águas termais. São frequentes o uso do dialeto local como “-kun”, “-chan” e “-san” no final do nome dos personagens, que são formas de tratamento e diálogo, dependendo do grau de intimidade e cerimonialismo.

Doramas: Coreanos (kdramas)

Possui principalmente o formato de minissérie, com características distintas que o diferencia das séries de televisão e das telenovelas feitas no ocidente, sendo contudo semelhante aos dramas televisivos realizados por outros países da Ásia. Os dramas coreanos possuem um estilo e linguagem de direção distintos, e em sua maioria, terão apenas uma temporada, com uma média de 12 a 24 episódios. Contudo, os dramas do tipo histórico (chamado de sageuk) podem ser mais longos, com um número de episódios que podem variar entre 50 a 200 episódios, mas também possuem apenas uma temporada. A duração dos episódios varia de 45 a 50 minutos. As continuações são extremamente raras, embora aconteçam, e isso às vezes quebra o coração de pessoas acostumadas com séries e que queriam ver mais dos personagens. Embora o Japão tenha criado esse novo formato audiovisual, na minha opinião os coreanos possuem os doramas mais bem produzidos, em relação aos efeitos especiais, as histórias contadas e as técnicas de filmagem. As técnicas de filmagem e os efeitos especiais podem ser considerados uma consequência da relação da Coréia do Sul com os Estados Unidos. Ainda sobre os doramas coreanos, ou k-dramas como os próprios coreanos gostem que os chamemos, é importante dizer que uma das características principais é a existência de “Plot twist”, que são essas reviravoltas inesperadas nas histórias. Os coreanos não só sabem mexer com as emoções do público, como gostam dessas produções exatamente por isso. Para nós, ocidentais, esse dramatismo às vezes parece até excessivo, mas quanto mais você vê, mais fácil fica se apaixonar. (Lembra novela mexicana, só que melhor trabalhada, o dramalhão é BEM MAIOR: Quando você acha que o(a) protagonista já sofreu tudo o que tinha para sofrer, no finalzinho ele(a) sofre mais um pouco… e um pouquinho mais… e mais… e mais… e aí você já está entregue aos soluços). Outra característica é a trilha-sonora dos doramas, chamadas de OSTs (Original Soundtrack), que são muito importantes nas cenas. São elas que vão dar o tom na hora da emoção. Por isso, as músicas são todas originais. A maioria escrita já pensando em um personagem específico ou no dorama como um todo. E grande parte delas são gravadas por artistas famosos, grupos de k-pop (música pop coreana) ou, até mesmo, pelos atores do dorama. A maioria dos doramas possui pelo menos um ator que também faz parte de um grupo de k-pop. Isso atrai muita atenção do público, já que a Coréia é dominada pelo k-pop. Assim, as OSTs podem ter alguma música dele(a) ou de seu grupo favorito.
Os k-dramas são geralmente um pouco mais conservadores, têm romances mais infantilizados e inocentes, o que de forma alguma deixa a desejar nas histórias. É muito raro ver um “beijão ” ou grandes demonstrações públicas de afeto entre os casais. É tudo muito puritano e respeitoso. Com raríssimas exceções, tudo é muito meigo, até mesmo aqueles que possuem uma história mais voltada para a ação e violência… Você pode notar com o tempo algumas expressões comuns da Coréia como “oppa, kamashamida, noona, unnie” que são usadas para os tratamentos respeitosos à certos tipos de pessoas mais velhas, à quem tem admiração, etc…

Doramas: Chineses (cdramas)

Eles são semelhantes aos dramas de televisão da América do Norte, entretanto, muitas vezes possuem um número maior de episódios. A China possui a emissora CCTV-8, que é um canal com transmissão de dramas vinte e quatro horas por dia, além disso, é o país que mais os produz. Em 2014 foram mais de 15.000 episódios. O gênero mais popular é o de romance e de fantasia, com 47 deles na lista dos 50 dramas mais vistos no país em 2016. Os dramas chineses são divididos em diversas categorias como: histórico (subdividido em ficção histórica, nacionalismo, reconstituição histórica e wuxia), polícia e política, comédia e dramas com conflitos familiares mais modernos. O início de cada episódio é a prolongação de um tema de abertura com seus créditos e no final de cada episódio, há um tema de encerramento, com a adição de mais créditos. Além disso, a maior parte dos dramas chineses se encerram com um gancho de suspense.
Os dramas chineses são frequentemente classificados de acordo com onde foram produzidos, como os dramas da china continental, dramas taiwaneses e dramas de Hong Kong. Cada um difere nos quesitos de estilo, formato de filmagem e edição. A maioria consiste de temas de romance, família e amigos com a combinação de temas da cultura pop.
Os C-dramas são mais liberais, seguindo um pouco a cultura socialista da China, não há “tanta restrição” aos beijos, mas também não é algo muito “escandalizado” como estamos acostumados em novelas aqui. Porém, pelo fato de o governo chinês ser ditador, já aconteceu de séries com temas homossexuais, chamadas de Yaoi ou Yuri, serem descontinuadas DO NADA por ordem do presidente chinês.

Doramas: Taiwaneses (twdramas) e Tailandeses (thaidramas)

Tw-drama: Eu, particularmente, não curto muito os chineses, preferindo os taiwaneses, que seguem praticamente o mesmo formato, mas são melhores trabalhados ao meu ver, principalmente, pela trilha sonora e a presença de uma continuidade melhor contada nas histórias, direção bem feita que te prende ao drama, etc.
T-drama ou Thai-drama: A única diferença para com os outros doramas é que os tailandeses curtem um pouco de dar uma certa continuidade à série (e não à história) como em U-prince que contém 12 temporadas de 4 episódios cada, com exceção da primeira que tem 8. As temporadas são histórias paralelas com novos personagens que ocorrem num mesmo ambiente, no caso, uma faculdade. Os personagens da temporada X aparecem na temporada Y dando a entender que todas elas ocorrem num mesmo momento. Este formato é bem exclusivo dos Thai-dramas!

Curiosidades

Para começar, para alguns é quase um pleonasmo dizer “dorama japonês”, já que tem quem diga que os japoneses além de terem sido pioneiros deste tipo de série, criaram a palavra, mas pesquisando aqui e acolá, soubemos que é uma palavra que não tem origem japonesa, por isso é escrita em katakana (alfabeto para palavras estrangeiras) ao invés do hiragana (alfabeto para palavras japonesas). Dorama vem do inglês drama e o significado nada mais é do que novela. Há quem diga, também, que algum asiático tentando falar ‘drama’ falou ‘dorama’ e o nome pegou (Confesso que, a priori, eu era uma dessas XD).
Muitos utilizam drama e dorama para se referir a mesma coisa, o que dá a entender que possuem o mesmo significado. Porém, segundo o Mundo Fama Corea, ambas palavras são distintas em origem. Drama é novela de origem sul coreana. Dorama é novela de origem japonesa. Temos como exemplo de drama e dorama Boys Over Flowers e Hana Yori Dango, respectivamente, ambos live action, ou seja, baseados no anime japonês Hana Yori Dango, cujos direitos autorais pertencem a Yoko Kamio, Shueisha, Bandai e Toei Animation. OBS: Há também a adaptação taiwanesa chamada Meteor Garden.
De acordo com o Mundo Fama Corea, os sul coreanos não gostam que chamem suas séries de doramas porque é como se falassem que são chineses ou japonesas, mas, como tudo abrasileiramos, vamos usar ‘dorama’ para esse tipo de série em geral.

Onde assistir?

Como os Dramas não são muito populares aqui no Brasil, não existem canais na tv paga ou aberta para assistir. No entanto, existem sites (fansubs) que disponibilizam os episódios online ou para download, gratuitamente, e em várias línguas. Alguns fansubs e outras plataformas você pode encontrar abaixo, mas se preferir, temos o projeto EU ♥ DORAMAS com um Grupo no Facebook super organizadinho, com sessões no tópico fixo para iniciante nenhum botar defeito, um Site Próprio e um Fórum, especialmente para falar de doramas, trazendo resenhas de minhas autorias, alguns reviews de álbuns do SHINee e outras notícias:

Eu tinha que fazer a propagandinha! ^^

Opinião

De modo geral, os doramas são a melhor ponte para você que quer conhecer um pouco da cultura asiática. Além de serem viciantes e bem familiares, não trazem a carga política para dentro das histórias — como as novelas brasileiras em geral e nem ficam tratando de temas muito pesados como “lutas e movimentos sociais” que em excesso cansam — motivo pelo qual eu cansei das novelas globais, por exemplo.
Para ser bastante sincera, quando você começa a assistir os doramas a primeira reação, para além do choque de realidade é pensar: “Mas, todos os personagens são iguais!” Fisicamente falando, a primeira impressão é essa mesmo. Leva um tempo até você distinguir quem é quem… o formato dos olhos, do nariz, da boca, o jeito de sorrir, a atuação, tudo corrobora para que você consiga distinguir um do outro. Exceto o cabelo! Este eles mudam como trocam de roupa. Verdade seja dita: não é uma tarefa fácil, mas o seu olho se acostuma. Chega ao ponto de você começar a perceber diferenças entre os coreanos, os japoneses, os chineses, taiwaneses e tailandeses… seja nas questões físicas, nas vestimentas e até nas falas. (Sim, cheguei neste ponto.) Seus olhos e seus ouvidos se acostumam. Acredite!
Os doramas não são exclusividade do público feminino e embora os temas sejam mais voltados ao romance já tem bastante cara curtindo. O único problema, então, é que algumas meninas, vislumbradas pelo movimento feminista ocidental, não entendem a cultura asiática e acabam achando as histórias com um apelo mais machista — coisa que particularmente, eu acho exagero. Antes de assistir os doramas, portanto, é necessário não julgá-los conforme SUAS CRENÇAS. Eles não vão mudar a cultura deles, nem tampouco seus doramas, muitas vezes baseados em animes antigos ou história do próprio país, porque você acha aquilo machista ou agressivo demais — como o choque que eu levei ao ver que os professores no Japão e na Coréia do Sul são tão respeitados como seus próprios pais, podendo bater nos alunos como forma de repreensão. Aqui, no Brasil, a palmatória foi abolida, lá não. É importante eu deixar as minhas crenças de lado se eu quiser acompanhar os doramas de uma forma light, afinal, minha opinião não vai mudar a cultura e os costumes deles, né!?
E, deixando essa questão de lado, como eu sou mulher, não poderia deixar de falar dos Oppas, nome dado aos rapazes mais velhos ou àqueles que admiramos muito, na cultura coreana, como Ji Chang Wook, Lee Min Ho, Lee Jong Suk, Park Hyun Sik, Gong Yoo, etc, etc, etc… que são lindos! Maravilhosos! Ótimos atores (e alguns cantores, também), cujos melhores doramas os têm como protagonistas… Aos poucos, vou tecendo algumas resenhas de doramas com eles, dando preferência por aqueles que são baseados em animes e mangás, mas não exclusivamente.

Achou interessante? Aguarde as resenhas e sejam todos bem-vindos à nova guia do Teoria Geek: Doramas!

~ RackysEU ♥ DORAMAS