RESENHA | Filme: A Liga da Justiça – Snyder’s Cut

A Liga da Justiça versão do diretor Zach Snyder, chegou como um arrasa quarteirão e com certeza virou um marco da indústria cinematográfica (Você gostando ou não)..

A Liga da Justiça Snyder Cut Poster
Ficha Técnica
Título: A Liga da Justiça: Snyder’s Cut
Ano de Produção: 2021
Dirigido Por: Zach Snyder
Estreia: 18 de março de 2021
Duração: 4h 02min
Classificação: 16 anos
Gênero:  Fantasia, Ação, Aventura
País de Origem: EUA
Sinopse: Depois de restaurar sua fé na humanidade e inspirado pelo ato altruísta do Superman, Bruce Wayne convoca Diana Prince para combater um inimigo ainda maior, recém-despertado. Juntos, Batman e Mulher-Maravilha buscam e recrutam um time de meta-humanos, mas mesmo com a formação da liga de heróis sem precedentes — Batman, Mulher-Maravilha, Aquaman, Ciborgue, e Flash — poderá ser tarde demais para salvar o planeta de um catastrófico ataque.
.
 A versão do diretor Zack Snyder (Snyder Cut), para a “Liga da Justiça” foi liberada nos diversos serviços de streaming de vídeo após uma grande mobilização de fãs do mundo inteiro pressionar a Warner/DC. Sem as “amarras” dos executivos burocratas, ávidos por arrecadar Bilhões em bilheteria ao “custo” de reduzir a faixa etária do público(em 2017, antes da Pandemia), somente para lotar as salas de cinema com crianças e adolescentes, consequentemente picotando as cenas mais violentas, palavrões, etc.
.
Liga da Justiça
Diante dessa enorme pressão do estúdio para “adiantar” o lançamento do filme e reduzir ao máximo sua duração para torna-lo comercial e palatável à uma extensa variedade de público: Agradar à todos, suprimindo completamente toda e qualquer “liberdade criativa” da visão de Snyder e também do diretor Joss Whedon (diretor dos dois primeiros filmes dos Vingadores), que teve de ser escalado às pressas para assumir o projeto. Já que Zack Snyder e sua esposa Deborah Snyder (diretores executivos do projeto do filme), tiveram de abandonar o projeto após o suicídio da filha do casal Autumn Snyder (aos 20 anos), em 22 de março de 2017, quando o filme já estava em fase de pós produção.
.
Então, com o “panorama” contextualizado, fica mais fácil entender a necessidade desse corte do diretor, e porque aquela primeira versão do filme lançada em 2017 finalizada às pressas por Joss Whedon era tão ruim, apressada, desesperada! Pois os Estúdios Marvel já estavam anos-luz de distância com seu UCM solidamente consolidado e, diferentemente da Warner/DC, teve como produzir um filme solo para cada um de seus personagens num projeto extremamente, meticulosamente planejado que começou com “Homem de Ferro” no ido ano de 2008… -Por Kevin Feige, presidente dos Estúdios Marvel, dando aula de competência, coesão, dedicação e persistência, elementos cruciais de qualquer se obter sucesso não só numa franquia de Hollywood, mas de qualquer coisa que se queira atingir na vida: Ter Foco, determinação! Coisas que a Warner/DC não só não tem, mas parece que faz questão de se auto sabotar. Seria a única explicação possível pra bagunça e diversos tiros no pé que a própria Warner/DC tem disparado, como uma metralhadora giratória… E esse “Snyder Cut” é um triunfo da persistência dos fãs mundo afora, e quando terminei de assistir fica uma certeza: É um amalgama de tudo que Zack Snyder já realizou no cinema, principalmente 300 e Watchmen! Está lá a fotografia deslumbrante, visual sombrio com paleta de cores reduzida e de cores frias, com a “câmera lenta” de 300 e a narrativa de Watchmen que devagar, vai contando a história e dramas de cada personagem para somente no ato final reuni-los num grupo.

A INFLUENCIA DE WATCHMEN E A IMPORTANCIA DE AQUAMAN, FLASH E CIBORGUE

Watcmen de Zach Snyder
Quem assistiu Watchmen vai sacar logo de cara a influência. O que é maravilhoso pois a adaptação de Watchmen para o cinema é uma obra-prima que muitos disseram antes ser uma obra “impossível” de ser convertida da HQ para a sétima arte… E a narrativa foi dividida por Snyder em seis capítulos e um epílogo, que muda por completo a forma como a estória é contada. Aquaman (Jason Momoa), Ciborgue (Ray Fisher), e Flash (Ezra Miller), tiveram muitas cenas cortadas em Liga da Justiça de 2017, fazendo com que fossem jogados como membros da Liga sem nenhum desenvolvimento e eram meros alívios cômicos.
.
Já no Snyder Cut, explora muito melhor as histórias desses personagens e as motivações que fizeram eles ajudarem Batman (Ben Affleck) e Mulher-Maravilha (Gal Gadot), contra o vilão Lobo da Estepe (Ciarán Hinds). E que atuação fantástica de Ray Fischer como o Ciborgue, quase que um filme à parte inserido no corte que tem duração de quatro horas!!! Mas, na boa, parece ter duração de duas horas, e isso se deve à narrativa “enxuta”, que acredite, mesmo com essa duração não é cansativo, pelo contrário, ao final ainda fica com gostinho de quero mais. E quem não quer ver mais e mais cenas e arcos tão bem desenvolvidos no que já está sendo chamado de “Snyderverso”??? Coeso e muito mais estruturado do que as cagadas da Warner/DC.
.
Flash - Liga da Justiça
O arco do Flash também ganhou cenas incríveis, em especial a do “acidente do caminhão”, que espetáculo visual com o apuro técnico que só Zack Snyder poderia ter realizado! É como se desde 300 ele já viesse nos preparando pra isso… Como disse antes quem também assistiu Watchmen de 2009 vai perceber muita, mas muita similaridade na narrativa e nos arcos de cada personagem, inclusive o do Lobo da Estepe, que mais parace aqui um “Guerra Infinita” da DC, assim como o Thanos teve praticamente um filme “todo seu”, nessas quatro horas de projeção deu pra encaixar as motivações do vilão em querer a sua “redenção” perante DarkSeid. Até mesmo as cenas do Superman (Henry Cavill), foram bastante aperfeiçoadas, com direito à ondas de choque com os derradeiros gritos do azulão agonizando e ecoando por todo o planeta, inclusive no reino das Amazonas e Atlântida! -Já a inclusão de cenas com o coringa de Jared Leto, sinceramente? Desnecessárias!!! Muito mais pra “tentar” redimir o ator pelo desastre de seu coringa gangster de “Esquadrão Suicida” do que uma real necessidade de acrescentar algo, que sem dúvidas, não acrescenta.
Darkside - Liga da Justiça


CONSIDERAÇÕES FINAIS

Enfim, foi um trabalho maravilhoso esse corte do Snyder, mas tem defeitos: A trilha sonora tema da mulher maravilha com aquele coro toca sempre que a personagem aparece em cena, chega a ser cômico… Porém, é sim um triunfo dos fãs, pioneiro nessa indústria que anda cada vez mais cansada de tantos filmes de herói. Talvez esse seja o caminho: Fazer tais filmes com um apelo mais adulto, sem restrições, censuras e amarras que restrinjam a criatividade e visão dos realizadores, mas também sem descaracterizar esses ícones das HQ’s. Entregando trabalhos muito mais autorais e muito menos “comerciais”(ainda que o feito de Snyder Cut dificilmente se repita, os servidores dos serviços de streaming ficaram fora do ar devido à alta procura do filme), e apenas uma palavra pode descrever com “justiça” esse filme: Épico!!!


Gostou da resenha? AQUI tem mais!