Monumento com marca das mãos de J.K. Rowling é vandalizado com ...

          No último mês, a autora J.K Rowling sofreu algumas consequências devido a falas preconceituosas via Twitter. Mas não é de hoje que a autora de Harry Potter mostrou ter esse tipo de visão. Ela já havia dado declarações transfóbicas antes, também via Twitter. Porém, nunca chegando à repercussão que conseguiu dessa vez.

                Talvez a (má)visibilidade que ganhou dessa vez se deva ao próprio período de pandemia. Com as pessoas em casa, o consumo na Internet aumentou e como foi nas redes sociais que a autora demonstrou (novamente) sua posição as pessoas começaram a compartilhar e acima de tudo a criticar.

Das telas para a realidade

                Uma série de “cancelamentos” foi criada, fãs fazendo tags e campanhas para que a saga Harry Potter fosse deixada de lado. Com um dos objetivos sendo que a autora percebe-se que o tipo de pensamento dela não é certo. E não demorou muito para que os atores dos filmes da saga começassem a se pronunciar contra as falas da autora,. Daniel Radcliffe (Harry Potter), Rupert Grint (Ron Weasley), Emma Watson (Hermione Granger), Evanna Lynch (Luna Lovegood) e Eddie Redmayne (Newt Scamander) foram alguns dos nomes que fizeram pronunciamento contra as falas da autora.

                Evanna fez seu pronunciamento via Twitter e mais de uma vez frisou que achava que aquele não era o lugar próprio para discutir esse tipo de coisa. Uma das melhores partes do seu discurso foi essa: “Imagino que ser trans e aprender a se aceitar e se amar já é desafiador o suficiente, e nós, como sociedade, não deveríamos acrescentar mais à essa dor. Se sentir como se você não se encaixasse ou não aceitassem quem você é um dos sentimentos mais solitários e piores que um ser humano pode experimentar, e eu não vou contribuir para que marginalizem ainda mais homens e mulheres trans”.

Evanna Lynch fala sobre Harry Potter em nova entrevista, e mais ...

                E após os comentários dos atores das próprias adaptações dos livros de JK, além dos fãs, a autora começou a sentir na pele o “cancelamento”. Para tentar se defender ela escreveu um texto de 45 parágrafos que, resumidamente, tentava desviar do assunto em si mostrando que já havia sido vítima disso e daquilo. Mas sem admitir que estava errada ou qualquer coisa do tipo, sendo alvo de novas críticas.

Fãs com fãs

                Com essa série de acontecimentos, diversas páginas e sites de fãs de Harry Potter saíram em defesa da comunidade trans que era adoradora da obra, mas passou a não se sentir mais acolhida nesse universo. Os representantes desses locais no mundo online mostraram que não pensam como a autora, que ela criou os livros, mas eles o fandom e o fandom deveria ser preservado.

Fãs de Harry Potter levantam varinhas em homenageam a John Hurt

                Mesmo assim, muitos foram os que decidiram deixar a autora e o universo que ela criou um pouco de lado. Exatamente para que ela parasse de lucrar e percebesse que o que fez foi errado. Assim, uma discussão entre fãs se iniciou, uns eram assíduos dizendo que largariam esse universo de vez, outros falando que dariam um tempo. E ainda houveram aqueles que falavam que não iam deixar de consumir nada, porque sabiam separar a obra do autor.

                A partir da última e da primeira opinião as discussões começaram a aumentar. Um lado dizendo que se não parassem de consumir ela continuaria ganhando dinheiro. Enquanto o outro lado batia na tecla do separar a obra do autor. Com isso, uma solução dada foi que se quisesse consumir produtos desse universo que fossem artesanais, feitos pela própria pessoa que te vende. Assim era possível se consumir os produtos, mas sem enriquecer a autora.

Voltando a atacar

                Parecia que depois de todo o rebuliço que causou, a autora havia dado um tempo em seus comentários. Porém, na semana passada voltou a aparecer com declarações transfóbicas comparando o processo de transição com a cura gay. Ela ainda afirmou que não se importa com as críticas negativas sobre ela.

JK Rowling's handprint vandalised with red paint amid 'transphobic ...

                Na manhã do dia 12 (domingo), uma homenagem feita para a autora em Edimburgo, que é uma espécie de calçada da fama, apareceu pintada de vermelho e com uma bandeira do movimento trans. Ainda não se sabe quem foi o autor do feito. Porém, isso claramente é um protesto contra as falas da autora que já ultrapassaram a liberdade de expressão e se tornaram preconceito.