Para os fãs, Vingadores: Ultimato é um filme deveras emocionante. Como diria o excelentíssimo Vinícius Brito: “Vingadores: Ultimato conclui uma história iniciada faz 11 anos de um jeito épico, que deixou todas as sessões insanas.”.

São cenas de arrancar sorrisos, outras de arrancar lágrimas e outras de arrepiar o corpo da cabeça aos pés e calar a nossa voz.

Como mulher, devo dizer que algumas conquistaram um lugar muito especial no meu coração fazendo-o assim sorrir de satisfação. Passo a explicá-las:


A morte de Natasha Romanoff:


“Nos últimos cinco anos eu apenas tenho tentado uma coisa, chegar aqui. É apenas isso que importa. Trazer todo mundo de volta.”


Em Vormir, a Viúva Negra e o Gavião Arqueiro tentam recuperar a Joia da Alma. Contudo sabemos que existe uma barganha a ser cumprida por aquele que deseja se apoderar da mesma: “Uma alma por uma alma”. Enfrentamos aqui um dos momentos mais tensos do filme, onde Natasha e Clint lutam para impedirem um ao outro de cometer o “ultimate sacrifice”. Após alguns minutos, a Viúva Negra, de uma forma extremamente heroica e emocionante, sacrifica a própria vida em prol de um bem maior. Apesar de não haver toda uma homenagem, fica nas entrelinhas o fato de que foi uma atitude louvável e de alto peso para o resultado final.

 

A luta da Feiticeira Escarlate contra o Thanos:

 

De forma resumida, sabemos que a Feiticeira Escarlate desenvolveu os seus poderes após contato com o cetro de Loki, o original hospedeiro da Joia da Mente. Os poderes de Wanda estão ligados diretamente às emoções dela, tornando-a assim… bom, altamente forte e perigosa.

Para todos que algum dia duvidaram do potencial de Wanda, esta cena, apesar de não ser decisiva na batalha, é certamente esclarecedora.
Depois de Thanos dar uma coça em todos aqueles que o enfrentaram, chegou a vez de ele também levar uma coça – muitíssimo bem dada – cortesia de Wanda Maximoff. Ela levanta o vilão no ar, deixa-o paralisado e remove peça por peça da sua armadura. Em meio ao desespero, Thanos tenta escapar, mas notem que ele não escapa por mérito próprio ou força, ele escapa por covardia: ordena que a sua nave abra fogo sobre todo o território de batalha. Confira:

 

 

Unidas em prol de um bem maior:

 

Em meio a um cenário de guerra caótico, onde todos tentam cooperar para evitar que a Manopla do Infinito caia nas mãos do Thanos, chega a vez da Capitã Marvel. Ela dirige-se ao Ho

mem-Aranha, para ajudá-lo e, com uma cara de preocupação, Peter questiona como ela irá conseguir enfrentar todo aquele ambiente de caos. Podemos ouvir logo em seguida um “Não se preocupe. Ela não está sozinha”. Juntam-se à Capitã Marvel: Nebulosa, Gamora, Okoye, Shuri, Valquíria, Feiticeira Escarlate, Hope Van Dyne, Mantis e Pepper Potts trajando a sua própria armadura Iron Man. Aqui, o corpo já se arrepia ao ver todas as personagens reunidas e prontas para a batalha numa sincronia indescritível. Veja abaixo:

 

 

Ao ver/ler sobre as cenas alguns irão revirar os olhos, talvez achá-las desnecessárias, supervalorizadas ou até mesmo forçadas. Contudo, a grande verdade é que foram impactantes e essenciais para o começo de uma nova era MCU onde a representatividade feminina é algo real e pertinente.

Nós, mulheres fãs de cultura pop, ganhamos algo que merecemos há muitos anos e isso é mais do que motivo para textão, sorrisos e lágrimas. Vimos personagens femininas destemidas abrirem novos caminhos, conquistarem nossos corações e eternizarem o seu legado.
E sabe qual é a melhor parte disto tudo? É que servirá de inspiração e empoderamento para gerações futuras.
Ainda temos um longo caminho a percorrer, mas quando esse caminho é iluminado, tudo se torna mais fácil.

 

“Custe o que custar.”

 

Existem várias outras cenas onde vemos a força feminina reinar, porém deixo com vocês a oportunidade de compartilhá-las nos comentários.

Siga o Teoria Geek  nas redes sociais e fique por dentro de todo o nosso conteúdo: FacebookTwitter, Instagram.

~Sara Melo