Olá galera, estivemos na Game XP 2019, e vamos contar pra vocês o que rolou neste grandioso evento que está maior, com mais atrações, E uma boa organização. Mas peca bastante nos quesitos alimentação (variedade e preços altos) e na demora exaustiva para usufruir das atrações por causa das filas enormes! a menos que você tenha adquirido um ingresso da categoria “Player one” que garante bem menos espera.

O que é a Game XP?

A Game XP é um feira de games que se mistura com parque de diversões e que foi realizada entre os dias 25 e 28 de julho, no Parque Olímpico, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. Este ano marca a terceira edição do evento, que desde 2018 já é realizado fora do Rock in Rio, ao contrário da primeira edição. Entre as atrações há estandes de empresas de games, shows de música, desenvolvedores independentes e artistas de quadrinhos. Confira nossas impressões do evento, a seguir:

No maior evento gamer do país teve opção para todos os gostos. Na imensa área externa da feira, havia roda gigante, teleférico, tirolesa, parede de escalada, montanha russa com realidade virtual, pista de kart elétrico inspirada em Crash Team Racing Nitro-Fueled e até uma torre de queda “livre” de 40 metros (equivalente a um prédio de 15 andares) batizada em homenagem a Fortnite.

Torneios oficiais

Este ano houve os seguintes torneios oficiais em sua arena: rodada do Campeonato Brasileiro de Counter-Strike masculino e feminino, Legends of League of Legends, final do brasileirão masculino de Rainbow Six Siege, Final do Campeonato Feminino de Counter-Strike: e Global Offensive. Outros games famosos também foram transportados do universo virtual para o real como o campo de batalha do próprio Fortnite e a arena de futebol de PES 2020, além do retorno do labirinto de PacMan e do palco de Just Dance, sucessos absolutos no ano passado.

Atrações especiais

Atrações especiais da Game XP, além da Arena Oi, incluem a Art Street, um corredor com artistas de quadrinhos e desenhistas que venderam seus produtos e fizeram desenhos para os visitantes; e o DevPark, que era uma espécie de “área independente”, onde desenvolvedores indie mostravam seus jogos ao público em primeira mão, antes do lançamento.

Gamezone

Não faltou nostalgia! Com seus 1.200 metros quadrados da GameZone, os amantes dos jogos clássicos puderam se divertir com diversos arcades, mesas de totó, fliperamas e pinballs espalhados em 140 máquinas para jogar à vontade. Para quem é mais moderno, também era possível experimentar novidades como o simulador de Fórmula 1 e Mario Kart.

Shows nos palcos

Houveram diversos Shows: Cat Dealers, IZA, Dubdogz, Projota, Zeeba, Kvsh, Mano Brown e Banda Boogia Naipe, Anavitória e Nova Orquestra que tocou diversos temas clássicos dos videogames, houve  também o já tradicional concurso de Cosplay, que em sua maioria estavam muito próximos da perfeição, com caracterizações fantásticas, sempre dispostos a serem fotografados junto com o público presente.

Mundo jurássico

Realidade virtual de primeiro mundo, o público pôde visitar o DinoMundi, que, por meio do VR e 4D, ofereceu um passeio imersivo ao universo tão famoso pela franquia Jurassic Park. Com 120 metros quadrados distribuídos em duas arenas, nele foi possível sentir cheiros, ouvir sons e tocar como se estivesse dentro de um Parque dos Dinossauros.

Lançamentos e VR

Diversas empresas participam da Game XP, seja como apoiador ou organizador. Mas, em termos de empresas de games,  A Epic com uma arena de Fortnite, Sony com estações de jogo, incluindo o inédito Iron Man de PS VR, onde a fila pra ter a sensação de ser o Bilionário Tony Stark por alguns minutos, estava enorme! Além de a Galápagos Jogos, com jogos de tabuleiro modernos. A Activision. Houve também alguns lançamentos e jogos que foram anunciados há pouco tempo, como Ghost Recon Breakpoint, da Ubisoft.

E o melhor de tudo era que Todos os torneios estavam inclusos no ingresso e podiam ser assistidos na arena do evento, Assim como os torneios, os shows e jogos, também estavam inclusos no ingresso.

Infraestrutura

Meios de Transporte: A organização do evento disponibilizou ônibus ao custo de  R$ 45 e saiam de cinco pontos da cidade para dentro do evento: Niterói, Botafogo, Ipanema, Barra, Rio Design e Tijuca
Além disso, o transporte público também pode ser uma boa opção, já que o Parque Olímpico conta com uma estação do BRT (Ônibus de Transporte Rápido), e havia uma boa infraestrutura montada pela UBER

Banheiros: Bem limpos, arejados e bem localizados

Atendimento e informações:
Estafe bem treinado, onde qualquer dúvida era esclarecida imediatamente

Segurança: Você sabe que a segurança de um lugar é boa quando você se sente tranquilo, e foi assim que me senti

Pontos negativos

Alimentação: comparando com o ano passado, tinha pouca variedade e com isso os preços estavam abusivos, mais caros até do que da CCXP, senti falta dos Food Truck’s do ano passado

Filas Intermináveis: Tinha fila pra tudo literalmente, era muito difícil participar de alguma brincadeira ou usar alguns dos brinquedos principais,  a espera nas filas era demasiadamente longa (chegando a passar de seis horas) e alguns reclamavam que pessoas com ingresso Player One – que custava mais que o dobro da entrada normal e dava direito a pegar filas menores – estavam sendo privilegiadas acima do tolerável, o que causava revolta nos demais.

Minhas Impressões

Definitivamente a Game XP veio pra ficar! Ela cresceu bastante, sem perder a qualidade.  Este ano passaram por lá cerca de 95 mil visitantes, e a tendencia é aumentar, mas os organizadores precisam se organizar melhor para que não se repita os vários incidentes que houveram nas filas para as atrações. E também credenciar mais empresas do ramo de alimentação, pois como eu já disse, os preços estavam bem acima do aceitável.

E que venha a Game XP 2020!

Galeria de Fotos

HEX 101 Unit 00147R-1280x720
Aperture: 6
Camera: ILCE-9
Iso: 25600
Orientation: 1
« de 12 »