A primeira parte dessa matéria você pode conferir aqui: //teoriageek.com.br/evento-3-sao-jose-anime-fest/

O AnimeFest está em sua 3ª edição e os participantes puderam doar 1 kg de alimento não perecível para ajudar uma instituição de caridade, que foi escolhida pelos organizadores do evento.

O evento foi organizado pela Avalon e aconteceu no Parque Tecnológico em São José dos Campos no interior de São Paulo, dia 09 de junho. Movimentou a comunidade geek durante o dia todo. Foi interessante ver a mistura de várias comunidades geeks reunidas, como os otakus, k-popers, gamers, cosplayers, entre outros…

Pontos positivos:

A equipe estava bem empenhada em fazer uma ótima vivência para todos que estavam ali, mesmo enfrentando alguns problemas que podem acontecer em qualquer evento.

Para os cosplayers rolou 2 tipos de concursos – o Circuito Cosplay e o Desfile. O Circuito era para quem quisesse fazer uma apresentação mais elaborada, como se fosse uma peça  teatral, enquanto o Desfile era apenas entrar e apresentar cada personagem.

O Artist Alley estava bem completo, contando com artes incríveis e desenhistas geniais!

Também tinha um local para alimentação que contava com algumas opções interessantes, como hamburgueres, comidas e petiscos japonesas e coreanas, doces, mas poderia ser mais diversificada. E havia também algumas bancas vendendo produtos nerds como bonecos, camisas, blusas de frio, artesanatos, enfim… E o guarda-volumes era por um preço super acessível o que foi bem bacana!!

Os convidados do evento eram bem interessantes, como a atriz Bianca Alencar, dubladora da Mabel Pines de Gravity Falls e a dupla de Rappers 7 minutoz… O evento também contou com atividades para os diversos grupos – havia competições cosplayers, gamers, k-popers, tinha um espaço especializado para board games e cards games.

Haviam banheiros limpos e suficientes e estacionamento gratuito e grande.

Pontos negativos:

Agora vamos falar sobre algumas coisinhas que não agradaram ao público presente como confusão com os horários, por exemplo o horário do desfile coincidiu com a sessão de fotos com a dubladora e alguns cosplayers não conseguiram uma foto com a Bianca…

Outro detalhe que faltou foi administrar melhor o espaço que era grande, mas mal utilizado… além da falta de um camarim e um ponto de ajuda para os cosplayers poderem se arrumar e consertar algo que precisasse do cos.

Confira algumas perguntas que fiz para a Coordenação geral da Avalon (organizadores do Animefest)

O evento alcançou a expectativa?

“Chegamos bem próximo do pretendido nessa edição e esperamos melhor para o futuro”, afirma a organização

O que vocês acharam da reação do público presente?

“Todos pareciam bem envolvidos e satisfeitos com as atrações desenvolvidas no palco e nas salas. É sempre muito legal ver o público interagindo com nossos convidados, dançando junto nos concursos de Kpop e Just Dance e vibrando nos torneios de games!”, segundo o Coordenação da Avalon.

Conversei com alguns participantes para mostrar as visões que o povo teve sobre o evento

Perguntas para a cosplayer e jurada Ana Galocha

Como foi ser parte da banca?

“Emocionante e desesperador, foi uma honra participar da banca, nunca tinha feito isso antes então foi uma ótima experiência, foi desesperador porque eu sei como é estar do outro lado e sentir o nervosismo de apresentar, e é muito difícil julgar, muito mesmo, porque são trabalhos ótimos e infelizmente não são todos que ganham, acredite, é muito difícil julgar um cosplay/cosplayer, eu entendo o trabalho que dá pra chegar no resultado final, e agora entendo o quão difícil é dar as notas. Foi uma experiência incrível e desafiadora, e eu amei isso.”

Aconteceu um momento lindo de ver entre dois jovens, pois além de ser jurada Ana recebeu um pedido de namoro em pleno palco do namorado Victor dos Santos, então perguntei para ela o que ela achou e a resposta foi linda demais:

“Eu fiquei sem palavras com aquele pedido de namoro, bom, nós estamos juntos a quase 2 meses (sim, quase), pra mim foi muito significativo porque foi assim que nos conhecemos, de cosplay em um evento há 3 anos atrás. Confesso que eu fiquei muito nervosa com aquela apresentação, quando recebemos o convite pra participar da banca, achei que nem iriamos mais apresentar, porém ele insistiu, e eu fui já que ele estava tão empolgado, e aquele nervosismo de medo do palco sumiu quando eu percebi o que não era uma simples apresentação. A única coisa que eu pensava era em como ele é doido, e em como eu sou apaixonada por ele. Posso dizer que eu estou sendo a versão mais feliz de mim ao lado dele.”

Nós, do Teoria Geek, desejamos Felicidades ao casal!!

Já para a cosplayer Laressa Carvalho a experiência não foi tão positiva e então perguntei o que ela achou do evento e a resposta foi:

“Primeiro ponto, o evento foi totalmente desorganizado, no concurso de cosplay tiveram muitos participantes, mas não postaram a foto de todos. Segundo ponto, o evento teve concurso cosplay, mas não disponibilizaram um camarim, para que a gente pudesse se trocar, vieram cosplayers de outras cidades, apenas “reservaram um espaço que era embaixo de uma escada, com 3 espelhos encostados, sem iluminação, sem privacidade, não tínhamos um espaço com mesa, cadeira e tomadas, realmente falharam nesse ponto. E terceiro ponto, achei o lugar apertado, sorte que não tinha cosplay com armadura grande, tem uns que usam asas, aparatos grandes, pois se tivessem ali, não iriam conseguir andar, pra um mega espaço, tava apertado. O local era enorme, tiveram tempo e falharam em pontos cruciais na minha opinião, a única parte boa foi a premiação, distribuíram bem, fazendo com que vários cosplayers ganhassem, isso valoriza nosso trabalho que é tão puxado, gastamos dinheiro tempo nos trajes. Por fim, esse e outros eventos do ramo precisam começar a colocar e a entender o cosplay como atração do evento sim, como foi no Anime, assim que acabou o concurso e o pessoal foi embora, o publico também foi, cosplay é atração sim!”

Fazendo um balanço foi um evento bem interessante para todas as idades.