Apesar de não ter sido o primeiro videogame doméstico da história (glória do Odyssey), nem o primeiro a usar cartuchos (Fairchild F, também conhecido como VES ou Channel F), nem primeiro em outras coisas, ele é invariavelmente lembrado como o início de uma jornada, o ponto de partida para inúmeros jogadores, e de uma indústria bilionária.

Como bom jogador de Atari que fui(e sou), frequentemente me vejo pensando quais seriam os 10 melhores games do console, ou ainda, quais são os meus preferidos. Mas qual é a definição de o melhor jogo? Uma escolha puramente subjetiva e pessoal, se você me perguntar, afinal nenhuma lista é definitiva. Vale lembrar também que, para quem jogou Atari na infância ou adolescência, a memória de um bom jogo pode estar diretamente relacionada à sensação da época, a momentos de nostalgia, imaginação, ou mesmo opções disponíveis. Sem mais demora vamos à lista.

10° lugar Megamania


Nesse frenético shooter, você enfrenta inimigos bastante desafiadores de uma forma nada convencional – scroll lateral que vai abaixando progressivamente até achatar sua nave no canto inferior da tela.

Um jogo que, até hoje, exige a máxima concentração do jogado

9° Lugar Demon Attack


O objetivo aqui é enfrentar hordas de demônios alados. O diferencial do jogo é que os inimigos possuem movimentos erráticos e soltam toneladas de bombas. Enquanto no Phoenix, se os inimigos não forem atingidos no centro, perdem uma asa e continuam vivos, no Demon Attack, a partir de certa fase, os demônios se dividem em seres menores após atingidos.

8° Lugar Montezuma’s Revenge


Lançado pela empresa Parker Bros., esse game de plataforma cujo layout lembra uma mistura de Mario Bros.com Pitfall!, é um dos preferidos pelos jogadores mais hardcore, que o consideram bem produzido e único.

De fato, pode-se perceber a variedade de telas que compõem esse criativo game, o que não era comum na época, sem falar de sua grande dificuldade.

7° Lugar Keystone Kapers


Oficial Kelly persegue Harry Hooligan em uma loja de departamentos. Em uma clara sátira/homenagem aos policiais britânicos, seu objetivo é chegar ao bandido no menor tempo possível, desviando de uma série de obstáculos, podendo escolher entre elevadores e escadas rolantes para chegar ao andar seguinte.

Esse jogo é bastante desafiador e suas fases mais avançadas são extremamente difíceis. Aviões, ioiôs e carrinhos de supermercado se movem em velocidade cada vez maior, exigindo coordenação perfeita para completar a fase. A diversão entre os amigos era garantida, ainda mais quando se tratava de quem poderia chegar mais longe no jogo.

Sem dúvida, Keystone é um dos games mais interessantes da geração Activision.

6° Lugar Frostbite


Um dos meus preferidos na época, em suas fases mais avançadas exige intensa coordenação, concentração e raciocínio rápido, desafiando até os jogadores mais experientes ainda nos dias de hoje.

Novamente, a criatividade da Activision levou ao desenvolvimento de um conceito único. As bases para os games de hoje em dia foram todas criadas na época, quando muitas das ideias eram originais e pioneiras, e Frostbite é uma prova disso.

5° Lugar Seaquest


Jogo divertido e interessante, certamente fez parte das minhas sessões de videogame.

Mais uma vez, pode-se observar a diversidade de tarefas que cabe ao jogador, características dos games da Activision: derrotar ondas de inimigos resgatando mergulhadores e levando-os à superfície. Ao mesmo tempo, abastecer o submarino com oxigênio, um dos jogos mais divertidos do console.

4° Lugar H.E.R.O


H.E.R.O. ou simplesmente Hero – sem dúvida alguma, um dos melhores e mais criativos games de todos os tempos até hoje, o que dirá na época em que foi feito.

Um dos poucos jogos com “level design” da época Atari, esse game vai muito além dos seus precursores ao proporcionar desafios cada vez mais elaborados – e isso com apenas 8Kb de ROM.

De fato, Hero é tão fantástico que torna impossível simplesmente descrevê-lo para quem não o conhece.

3° Lugar Pitfall


As aventuras de Pitfall sempre me fascinaram, desde criança. Imaginem que, na época do Atari, esse tipo de jogo simplesmente não existia. Super Mario foi surgir anos depois.

Dessa forma, mais que pular na cabeça de crocodilos, a criançada era levada a imaginar o que se esconderia atrás da próxima tela. Dúvida tais como “Será que o jogo tem fim?” eram verdadeiros enigmas em uma época em que a Internet não existia. Simplesmente não havia Google para pesquisar.

Implementação genial a partir de uma ideia bem concebida: Pitfall!, na época, foi o segundo jogo mais vendido. Até hoje é desenvolvido em novas versões, demonstrando que o tema não cansa.

2° Lugar Enduro


É quase impossível acreditar que Enduro não tenha entrado na lista dos jogos mais vendidos.

Aparentemente, o sucesso desse jogo no Brasil era bem maior que em outros países, pois, na indústria nacional, a pirataria do cartucho disputava a colocação com River Raid e Pitfall!

Seja pela devoção do brasileiro ao automobilismo ou outro motivo qualquer, fato é que esse jogo podia ser visto na tela de todo garoto feliz proprietário de um Atari.

Até hoje, alguns de meus amigos nerd’s passam horas jogando Enduro e batendo seus recordes. Interessante e gostoso de jogar, ainda assim nunca esteve na minha lista de favoritos.
A primeira vez que você recebe a bandeirada é algo emocionante e muito legal.

1° Lugar River Raid


O famoso “jogo do aviãozinho” é, antes de tudo, um prodígio de programação. Em uma época em que os recursos de hardware eram limitados, Carol Shaw, programou esse fantástico jogo com 256 telas ou fases em apenas 4Kb de ROM.

Isso foi possível devido a uma complexa equação. As fases não são desenhadas como nos games atuais, mas sim geradas a partir de um algoritmo incremental que define diversos elementos e seus posicionamentos na tela.
8º mais vendido da marca. Outro grande destaque, em minha opinião, é a soberba combinação de cores, que contribui para a imagem clássica que qualquer apreciador sempre lembrará – além de ser uma excelente opção para regular as cores de nossos Ataris antigos.

Curiosamente, Carol Shaw nunca mais fez um game de destaque como esse. Aliás, suas posteriores contribuições foram escassas e muito diversas de sua obra-prima, com destaque para Happy Trails (Intellivision) e Super Breakout (Atari), este último, um dos meus preferidos.
River Raid possui até hoje campeonatos, inclusive torneios no Museu do Vídeo Game itinerante, muito legal e divertido.

E você, jogou no Atari? Qual o seu jogo preferido? comente! Até a próxima.