Olá leitores do Teoria Geek! Trazendo para vocês 5 combates marcantes na Saga de Asgard, importante dizer que terão SPOILERS.

A Saga de Asgard surgiu em decorrência do Anime ter alcançado a Saga de Poseidon, e o Masami Kurumada, criador da série, precisava de tempo para desenvolver com segurança a nova fase do mangá. Esta Saga não nasceu do nada: ela é baseada no capítulo do mangá chamado “Natassa do País do Gelo”, uma história solo do Hyoga.

A maioria dos fãs odeia fillers em suas séries favoritas; mas o oposto parece ocorrer com este em questão. A Saga de Asgard, apesar de seus clichês e defeitos, é totalmente aclamada pelos fãs com uma trama envolvente, associando à estória a Mitologia Nórdica. Então sem mais demora vamos ao top 5…

 

  • 5° Lugar – Shiryu vs Fenrir de Alioth.

Um combate mortal se inicia entre Shiryu e Fenrir junto dos seus lobos liderados pelo lobo-alfa Guing. O Guerreiro Deus fere o cavaleiro de bronze de tal maneira que ele não consegue manter seus olhos abertos pelo fluxo de sangue. Shiryu descobre a triste história de Fenrir: aos seis anos, enquanto cavalgava com a família e amigos, eles foram atacados por um urso feroz que mata seus pais. Ao pedir ajuda aos amigos, Fenrir se vê abandonado enquanto eles fugiam – neste momento, lobos liderados por Guing aparecem e o salvam. O menino passa a viver na floresta e cresce com os lobos. Sua família, antigamente tão importante, não eram mais nada, pois todos a haviam abandonado. O combate tem uma ótima animação, o ritmo é muito bom. Por mais que Fenrir seja o inimigo, você consegue criar empatia pelo personagem e até mesmo se importar com o mesmo. Por fim… o combate contra o lobo é difícil, mas Shiryu acaba vencendo no fim com seu Cólera do Dragão. Ele recolhe a Safira, mas acaba no fundo de um penhasco por um ato desesperado de vingança dos lobos de Fenrir.

 

 

  • 4° Lugar – Hyoga vs Hagen de Merak.

Hyoga começa seu combate contra Hagen que quer aniquilá-lo por crer que Freya se voltara contra a irmã por ter sido manipulada por ele. Hagen possui um cosmo duplo com poderes de gelo e fogo. Ele se lembra de sua infância quando já servia como guarda real de Hilda e Freya, nutrindo pela última muitos sentimentos. Ele atrai o cavaleiro de bronze para dentro de uma caverna com magma – o local mais quente de Asgard e onde Haqen treinou – Hyoga se vê em grande desvantagem. Kiki percebe que Hyoga corre perigo e conta à Freya que, desesperada, parte para o local. Hyoga se vê pouco a pouco perdendo para Hagen. Freya chega ao lugar no momento em que o Guerreiro Deus jogaria Hyoga na lava e pede para que ele pare com isso, explicando sobre o Anel de Nibelungo – Hagen não acredita nela. Ele usa seu golpe das chamas em Hyoga, sem se importar se poderia acertar Freya. Hyoga se coloca à frente dela, salvando-a que cai desmaiada. Hyoga vence Hagen com seu Execução Aurora. Freya chora por sua morte. Hyoga obtém a Safira, e Kiki aparece para levar a garota a um lugar seguro.  Sim, mais uma luta do nosso Hyoga que envolve sentimento, que em alguns momentos Cisne deixa a desejar. O comante tem um início muito bom, perde um pouco do ritmo na sua parte final, mas tem seu ponto alto com Hyoga utilizando a técnica Execução Aurora com seu mestre Camus fazendo uma pequena aparição, uma cena de arrepiar.

 

 

  • 3° Shun/ Ikki vs Mime de Benetnasch.

Shun encontra Mime, mas tem muita dificuldade em confrontar o inimigo, já que suas correntes não reagem à presença do inimigo, por ele não gostar de lutar, e hesitam atacá-lo – o cosmo do inimigo não é ameaçador. Percebendo não ter escolha, Shun retira sua armadura, atacando Mime com a Corrente Nebulosa e ativando a Tempestade Nebulosa. Mime não perece por usar as cordas de sua harpa, segurando-se durante a tempestade. Ele elogia Shun e usa seu Réquiem de Cordas, enforcando e comprimindo Andrômeda com as cordas da harpa. Prestes a ser degolado, Ikki surge e rompe as cordas. ( Sim! mais uma vez Ikki aparece para resgatar Shun hehe )

Shun explica ao irmão sobre as Safiras, e ele assume o combate. Ikki passa pelas mesmas dificuldades que Shun e tem um combate intenso com Mime. O guerreiro deus lhe conta sobre seu passado: quando criança, seu pai Folken queria que ele se tornasse um guerreiro, obrigando-o a lutar sempre, enquanto ele queria apenas tocar sua harpa. Mime era solitário e vivia com medo do pai, mas acaba treinando como ele queria. Na adolescência, ele descobre que Folken era seu pai adotivo na verdade, sendo ele mesmo quem tirara a vida de seus verdadeiros pais. Mime em fúria assassina o pai.

Ikki utiliza o Golpe Fantasma de Fênix que mostra ao Guerreiro Deus a verdade: Folken era realmente rude e duro, mas sempre amara e protegera Mime. Folken, na verdade, havia tentado poupar a vida dos pais de Mime, mas não teve escolha. Aquilo tudo não era uma ilusão, mas sim a verdade, tocando o Guerreiro Deus. Ikki pede que Mime assuma a verdade: ele amava verdadeiramente Folken – ele assim o faz e desperta um cosmo furioso, fazendo as correntes de Shun reagirem. Mime assume odiar a si mesmo na verdade por tudo que fizera.

Ikki consegue escapar do Réquiem de Mime, e os dois lutam sem armadura. Mime, antes de falecer, diz que gostaria de renascer como amigo do cavaleiro de bronze, feliz por se juntar a Falkon. Shun pega a safira, deixando Ikki descansando para trás.

Com toda certeza um dos momentos mais épicos da saga, em nenhum momento o combate é previsível, tem um ótimo ritmo e com certeza vale destacar.

 

 

  • 2° Lugar – Shun vs Shido – Ikki vs Bado.

Após a derrota do quinto guerreiro deus, Alberich de Megrez , Shido de Mizar resolve entrar em ação e passa a esperar os cavaleiros de Athena nos corredores do palácio Valhala afim de mata-los, Shun é o primeiro que ele encontra e é atacado, nesta hora Seiya e Hyoga aparecem pra ajudar, mais Shun pede pra que eles sigam em frente que ele mesmo derrotaria Shido e mais tarde os alcançaria.

Shido usa seu cosmo gelado para congelar o ar a sua volta e assim inutilizar a corrente de Shun, que sem sua proteção se torna pressa fácil para o golpe Impulso Azul de Shido.

Shun fica muito ferido com o ataque e sem ter outra opção retira sua armadura (e você achando que só o Shiryu tinha esta frescura né?) e resolve atacar Shido com a Tempestade Nebulosa, Shun consegue derrotar Shido mas é derrotado covardemente por Bado de Alcor, irmão gêmeo de Shido. Shina tenta ajudar Shun mais também é facilmente derrotada por Bado.

Bado e Shido sempre lutam juntos, mas Bado nunca aparece só fica esperando uma oportunidade para atacar os adversários covardemente pelas costas (parece aquele seu amigo camper em algum FPS da vida rs).

Quando Bado vai dar o golpe final em Shun adivinha quem aparece? Sim é quem você esta pensando mesmo, Ikki de FênixSabe com é né, só pra variar.

Após uma luta difícil, Ikki derrota Bado, porem quando Ikki vai desferir o golpe fatal, Shido, em seu suspiro final, se levanta e segura Ikki por trás e pede que Bado ataque com toda sua força, porem isso significaria a morte de ambos.

Bado exita em matar seu irmão mas mesmo assim Shido morre, entristecido com a morte do irmão, Bado desiste da luta e parte carregando o corpo inerte de seu irmão.

Com certeza um dos melhores momentos de toda a saga, ótimo ritmo de combate, mesmo com as estórias sendo contadas em alguns momentos do combate, em nenhum momento se tornou arrastado, um dos poucos momentos em que vi Ikki tendo muito problema para confrontar um inimigo. Outro ponto positivo no confronto, foi confrontar os irmãos Shun/Ikki vs Shido/Bado, e durante todo o combate e desenrolar da estória, você notar algumas semelhanças entre as duplas de irmãos.

 

 

  • 1° Lugar – Bronzes vs Siegfried de Dubhe.

Seiya começa a enfrentá-lo, tentando convencê-lo sobre o Anel Nibelungo sem sucesso e perecendo diante do golpe do Guerreiro Deus. Hyoga, Shun e Ikki chegam ao local, e Ikki assume o combate, sendo derrotado também. Shun e Hyoga também acabam derrotados. Siegfried pega as Safiras reunidas pelos cavaleiros de bronze. Seiya tenta enfrentá-lo de novo, mas perece junto a Shina que quis salvá-lo ao chegar no local por causa do Vendaval do Dragão.

Shiryu chega ao local também, perdendo também para o Guerreiro Deus. Em um ato desesperado, ele decide usar o Último Dragão, mas desiste por medo de destruir a Safira da armadura de Siegfried, perecendo diante dos golpes do guerreiro. Shiryu descobre o ponto fraco dele e consegue enfim atingi-lo. O Dragão conta a Seiya sobre o ponto fraco, e o Pégaso assume a luta no lugar do amigo cansado.

Enquanto isso, Hilda recebe a visita inesperada de um enviado daquele que lhe dera o Anel de Nibelungo. Esse homem pede para que ela não subestime os cavaleiros de bronze.

Seiya tem uma luta difícil contra Siegfried, mesmo sabendo de seu ponto fraco, mas com o auxílio do cosmo de seus amigos (como sempre, né?), ele consegue enfim derrubá-lo. Quando ia pegar sua safira, ele é interrompido por alguém. Hilda aparece no local com o misterioso guerreiro que se revela Sorento de Sirene, um dos Generais Marinas de Poseidon tocando sua flauta. Ele revela que Poseidon havia retornado ao mundo, desejando dominar a Terra e destruir Atena. Para tanto, o deus tornou Hilda escrava do Anel de Nibelungo para alcançar seus objetivos, destruindo os cavaleiros; mas ficou decepcionado em ver que os Guerreiros Deuses eram fracos demais para atingirem tal meta.

Sorento fala que levará Hilda e Siegfried consigo, mas Seiya não permite, pois precisa destruir o anel de Hilda. Sorento começa uma luta com Seiya, usando sua flauta. Siegfried interfere, dizendo que não permitirá que Poseidon continue manipulando Hilda, entregando sua Safira a Seiya. Ele começa um terrível combate contra Sorentoque o tortura com sua flauta. O Guerreiro Deus fura os próprios tímpanos acreditando se livrar da música demoníaca de Sorento, mas tudo é em vão, pois o golpe musical atinge o cérebro diretamente. Siegfried agarra o General Marina violentamente e, com todas suas forças, o leva ao céu, sacrificando-se em nome da paz.

O melhor combate da saga na minha opinião, aqui você tem um ótimo oponente, Siegfried, ótimas cenas de ação, um dos poucos momentos em que podemos ver todos os bronzes juntos, lutando lado a lado, aqui tem todo um clima de apreensão, tem o plot twist do enredo, e se encerra com uma das cenas mais emocionantes de toda a saga.

 

Bem, vou ficando por aqui e espero que gostem, grande abraço.

 

Inscreva-se no canal do Teoria Geek no Youtube e nos acompanhe também nas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.