Teoria Geek: Então, como surgiu a idéia de criar um canal, e porque o nome PeeWee?

Leonardo: Eu estava no final da minha pós-graduação e precisava de um projeto digital para fazer uma análise de audiência. Já o Miguel estava na reta final da graduação e também tava buscando alguma coisa pra usar como trabalho de conclusão. Como ele sempre desejou ter um canal e nós curtíamos muito falar sobre filmes, séries e games, decidimos fazer alguns vídeos para usar nos nossos projetos. Curtimos a brincadeira e, posteriormente, seguimos fazendo para nós e nossos amigos, até que uma hora muita gente descobriu o PeeWee e isso virou o nosso trabalho.

Teoria Geek: Quais foram as primeiras dificuldades em realizar os videos para o canal? E o que evoluiu ao longo do tempo?

Leonardo: Com certeza a nossa desenvoltura. No início os vídeos eram cheios de hum, hãms e ehhhhh. Hoje em dia a gente liga a câmera e toca ficha sem maiores problemas. Acredito que essa tenha sido a maior evolução ao longo do tempo.

Teoria Geek: Uma pergunta que todos os iniciantes de ‘Youtube’ querem saber, como você lida com os ‘Haters’ e com as criticas negativas?


Leonardo: Absorvemos as críticas negativas e descartamos os haters. Se é ofensivo ou sem nexo, entra por um ouvido e sai pelo outro. Mas felizmente o PeeWee tem muuuuuito mais apoiadores do que haters, então é algo que não nos causa grandes problemas.

Teoria Geek: E como surgiu a parceria de vocês dois? Já se conheciam, algum parentesco? Vejo que tem muita Química na parceria e apresentação de vocês.

Leonardo: Trabalhávamos juntos em uma agência de publicidade e eu dava carona pro Miguel até o local. Eram 45 km de casa até lá e dava tempo de sobra pra falar mal dos colegas, do dia a dia e, principalmente, gastar tempo falando sobre as coisas que hoje em dia a gente fala no PeeWee.

Teoria Geek: Tem algum tipo de conteúdo que vocês mais gostam de produzir?

Leonardo: Gostamos de produzir conteúdo sobre coisas que nós realmente gostamos – ou não gostamos e temos motivos para isso. Evitamos coisas com as quais não temos afinidade porque, por mais que esse seja o nosso trabalho atualmente, é a paixão por fazer que nos motiva. Se tivéssemos que falar sobre coisas com as quais claramente não temos afinidade alguma, tipo alguns filmes ou séries que simplesmente não se encaixam nos nossos gostos, certamente isso afetaria o resultado final.

Teoria Geek: Qual é a franquia de filmes preferida de vocês?


Leonardo: São tantas… Posso dizer que as franquias mais marcantes para mim são Senhor dos Anéis, Robocop e Rocky, enquanto o Miguel é mais fã de Star Wars, Blade Runner e Rocky (compartilharmos essa paixão hahaha)

Teoria Geek: Vocês já participaram de alguma convenção ou deram algum tipo de palestra?

Leonardo: Já recebemos alguns convites, mas por conta do deslocamento e da hospedagem não conseguimos fechar.

Teoria Geek: Assistindo o canal de vocês, percebi que na playlist sagas, tem muita coisa sobre o gênero terror, seria essa a preferência de vocês?

Leonardo: A gente é muito fã de filmes de terror e entendemos que existe um nicho bem rico para se explorar. No entanto, até o fim do ano pretendemos variar um pouco mais.

Teoria Geek: Vocês indicariam algum outro canal, site ou programa de tv para nossos leitores?


Leonardo: Somos fãs do Jovem Nerd desde sempre, então certamente essa é a nossa maior indicação entre produtores de conteúdo brasileiros. Fora daqui, recomendamos o Angry Video Game Nerd e as publicações da Wired. Com relação a programas de TV, por favor, assistam à primeira temporada de True Detective. É uma bênção e pouca gente assistiu.

Teoria Geek: Nos últimos anos a tendência do cinema hollywoodiano tem sido produzir, relançar ou até mesmo continuarem grandes franquias clássicas como Star Wars, Jurassic Park, Mad Max, entre outras. Gostaria que vocês falassem um pouco dessa possível tendência uma vez que existem comentários e discussões na internet dizendo que o cinema de Hollywood está perdendo a criatividade.

Leonardo: Não creio nisso. Os remakes e reboots hollywoodianos são pensados para atender a uma demanda existente. As pessoas que assistiram Star Wars quando tinham 15 anos cresceram e querem mais. Hoje, são elas que têm poder de compra, filhos e podem se tornar potenciais disseminadores desses conteúdos para a nova geração, que já nasce com um celular na mão e assistem pessoas enchendo banheiras com slime e Nutella. Muitas vezes um remake é feito única e exclusivamente para obter grana, mas também existem casos de paixão, como é o próprio caso de Mad Max. Não vejo o cinema perdendo a criatividade, até porque sempre foi assim: meia dúzia de precursores ditam as tendências e trazem novidades, enquanto o restante faz o que pode para atender à demanda natural da indústria cinematográfica, que precisa de grana pra se manter.

Teoria Geek: Falando um pouco sobre games agora, vocês jogam alguma coisa? Tem alguma preferência?

Leonardo: Curtimos sim. Atualmente o Miguel tá mais ligado nisso, costuma jogar PUBG, Battlefield, entre outros. Jogamos os principais lançamentos de PS4 também, mas a verdade é que com o PeeWee decolando, fica difícil tirar um tempo pra jogar.

Teoria Geek: Animes, Vocês assistem? preferência? acompanhando algum no momento?

Leonardo: Temos pouca familiaridade com animes. Assistimos os ‘mainstream’, tipo Death Note, Cavaleiros do Zodíaco, DBZ e, por último, Castlevania, da Netflix. Não é a nossa praia, mas reconhecemos que as tramas são incrivelmente profundas.

Teoria Geek: Esse ano vimos uma polêmica envolvendo o filme de Pernas pro Ar 3 com Vingadores Ultimato, em relação a número de salas disponíveis e cota para filmes nacionais, o que pensam sobre isso?

Leonardo: O Brasil tem muitos cineastas de qualidade, mas infelizmente o cenário é dominado pela Globo Filmes e seu padrão de produção estilo novela. O problema vai muito além das cotas, envolve um sistema monopolizado e baixíssimo investimento da iniciativa privada, que não bota fé alguma no cinema nacional. Francamente, tenho mais esperança de ver um projeto tupiniquim coeso e redondinho em uma plataforma de stream do que nas salas de cinema.

Teoria Geek: Agora algumas perguntas no estilo Responda rápido/Modo Turbo

TG: Um livro?


Leonardo: 1984

TG: Um Filme?


Leonardo: Um pra cada um: Blade Runner e Robocop – os originais 🙂

TG: Um passatempo?


Leonardo: Ler os comentários do canal

TG: Um remake?


Leonardo:O Iluminado

TG: Não recomendo?


Leonardo: Comer manga e tomar leite enquanto assiste um filme do Michael Bay

Teoria Geek: Mensagem final para os leitores


Leonardo: Obrigado por investirem seu precioso tempo nessa entrevista e, principalmente, por curtirem o PeeWee