Conversamos com a simpática Carol, durante a BGS!  

Foi um bate-papo muito divertido, além de toda simpatia notamos, conversado com a Carol, todo amor e empenho dela por Magic The Gathering


Carol, nos conta um pouquinho do que é o Magic? 

Bom eu brinco dizendo que Magic, não é o Pai de todos os Cards Games mas sim o Avô. Magic: The Gathering está  ai há 26 anos. Ele é conhecido por ter uma direção de arte linda, ter uma historia incrível com personagens marcantes e carismáticos, e além disso ele é um Card Game de estratégia muito denso. Ele pode ser tão acessível ou tão complexo dependendo da sua disposição a investir e mergulhar na estratégia dele.

Durante muitos anos vocês foram um jogo físico, mas decidiram investir também em um formato digital, qual foi a motivação para isso? 

Nosso objetivo foi entrar de cabeça nos E-sports, nosso game está muito bem estabelecido no mercado, não à toa ele estar aí há 26 anos. O E-sports é também uma forma de entretenimento, por isso, decidimos fazer um produto digital legal, para ser a melhor forma de você assistir e consumir o Magic como entretenimento também.

Hoje temos uma versão do game para PC, está nos plano de vocês também entrar para o mercado Mobile?

Essa é  uma pergunta que todos fazem, mas no momento não temos uma previsão de quando vamos expandir para outras plataformas, mas é claro que temos muito interesse sim! e estamos estudando para levar o Magic a cada vez mais pessoas e plataformas.

Nos fale um pouco do cenário competitivo do Magic. 

A gente chegou com tudo! Assim que abrimos o beta para MTG Arena poucos meses depois, durante a Vídeo Game Awards, fizemos um anúncio de 10 milhões de dólares em prêmios para os próximos campeonatos! A gente apresentou ao mundo a Magic Pro League, mostrando os 32 melhores jogadores de Magic do mundo.

No Brasil, jogos de cartas sofrem um pouco de preconceito por serem ligados a jogos de azar, o jogador de Magic enfrenta esse preconceito?

Hoje não! Acho que as pessoas assimilaram bem que se trata de um jogo de habilidade e estratégia. Uma forma excelente de se provar isso é apenas ver que são sempre os mesmos jogadores profissionais que chegam as finais. E eles chegam lá através de suas habilidades, inteligência… de fato são pessoas que estudam o jogo.

Eu sou mais acostumada com FPS, você acha que consigo virar uma jogadora de Magic?

Você pode se tornar uma jogadora de Magic agora! aqui mesmo no nosso estande, ou pode fazer o download do nosso game que é Free-to-play e possui um tutorial muito bem detalhado.

Jogos de cartas são vistos como um pouco mais “paradinhos”. O que dentro do Magic você acha que chamaria a minha atenção, sendo uma gamer acostumada com jogos mais “agitadinhos” (estilo FPS)?

Essa questão da imersão é relativa. Eu por exemplo sinto uma adrenalina imensa ao jogar Magic: primeiro eu tenho que montar um Deck, analisar o Meta Game e dentro da partida cada ação minha deve sempre levar em conta o que o outro jogador pode fazer: será que ele tem mesmo essa carta? ou está blefando? Eu particularmente acho isso muito emocionante, pode não ser algo tao expressivo como sair atirando, pegando cover etc, mas não deixa de ser uma experiência muuuuito emocionante.


 


Confesso a vocês que fiquei extremamente encantada com o universo de Magic, conversando um pouquinho em Off com a Carol, ela nos falou bastante da questão da representatividade no game (são diversos personagens dos mais variados gêneros, cores, êtnias) e também das infinitas possibilidades de customização. Se você quer saber mais sobre o jogo e mergulhar de vez no universo desse encantador Card Game, basta acessar o Site Oficial de Magic The Gathering  Nos vemos na Arena.

Acompanhe a Carol nas redes sociais: Twitter, Instagram.


Inscreva-se no canal do Teoria Geek no Youtube e nos acompanhe também nas redes sociais:  FacebookTwitter e Instagram.