Com ajuda dos internautas, Eduardo Kobra finalizou na sexta-feira (22) um mural com seis prateleiras, bem como 250 livros retratados em um painel com 14 metros.

Kobra e Mural de Livros em Sorocaba

O artista utilizou como base a pesquisa feita pelo Instituto Pró-Livro, à qual identificou que o Brasil perdeu quatro milhões e seiscentos mil leitores nos últimos quatro anos.

Por meio de um convite em vídeo, Kobra convocou os internautas a fim de sugerirem as obras que foram pintadas no mural histórico, na cidade de Sorocaba – interior de São Paulo, no “Colégio Ser”. As mais sugeridas foram Iracema (1865) de José de Alencar e Sagarana (1946) de Guimarães Rosa, num envio de mais de quatro mil sugestões.

Na pintura, o mural detalha um menino subindo a escada de uma prateleira de livros. Há traços realistas e cores vibrantes, características do renomado artista. A literatura foi o principal objetivo.

Para o portal do G1, Kobra disse:

“A pintura no meu trabalho se tornou secundária. O principal objetivo é qual é a mensagem que está sendo colocada ali, sabe? A arte é um veículo também de comunicação e conhecimento porque muitas vezes através desses painéis a gente pode estar incentivando as novas gerações, as pessoas, a questão da educação e da leitura”

O mural inaugurado pelo artista é o primeiro no interior paulista, assim como o primeiro feito por Kobra no ano. O menino que sobe as escadas para alcançar um livro simboliza o esforço pelo conhecimento — e os degraus vencidos são o caminho dos sonhos, dos objetivos de vida.

“A leitura nos leva a lugares mais altos”, disse o artista.


Sobre Eduardo Kobra

Artista brasileiro, começou sua carreira por volta de 1987 como pichador, tornou-se grafiteiro e hoje se define como muralista. Kobra se tornou conhecido pelo projeto “Muro das Memórias”, projeto da cidade de São Paulo, no ano de 2007, onde retratou cenas antigas da cidade. Além desses, ele também fez dois painéis de Ayrton Senna, assim como pintou a Anne Frank em Amsterdã, Holanda. Também pintou Davi de Michelangelo em Carrara, na Itália, dentre muitos outros.

Enfim, muitos afirmam que a característica mais marcante do artista urbano é o domínio do desenho e das cores. Mas “o olhar” é fundamental para o artista. Desde muito cedo, Kobra vivenciou muitos problemas. Amigos foram sucumbidos por drogas e criminalidade, alguns foram presos, outros perderam a vida. Conforme o próprio artista, foi “o olhar” que o salvou.


Leia mais notícias AQUI, no TG.