Sendo uma das animações mais conhecidas e queridas da Disney, o 4º longa metragem animado do Estúdio conta a história de Dumbo, um elefante que descobre poder voar graças as suas grandes orelhas. Ele foi lançado no ano de 1941, bem no período da Segunda Guerra Mundial, onde a prioridade definitivamente não era o cinema. Visto que os 2 longas lançados anteriormente “Fantasia” e “Pinóquio” não foram bem de bilheteria, o Estúdio optou por cortar gastos e fazer um filme bem mais simples em comparação aos antecessores para economizar o máximo de gastos possível e colocar dinheiro em caixa. O resultado dessa economia é visível no filme que tem traços mais simples que os de costume visto nos longas anteriores. Entretanto, mesmo com essa simplicidade o filme cativou os corações das pessoas e se tornou um dos maiores sucessos do Estúdio em rentabilidade e críticas.

Ficha Técnica

Lançamento: 23 de outubro de 1941
Dirigido por: Bem Sharpsteen, Samuel Armstrong, Soman Ferguson, Wilfred Jackson, Jack Kinney, Bill Roberts
Vozes: Herman Bing, Edward S. Brophy, Cliff Edwards, Verna Felton, James Baskett
Gênero: Desenho Animado
Duração: 64 min

Sinopse

Dumbo é um bebê elefante de um circo que diferente dos demais paquidermes, possui orelhas avantajadas bem fora dos padrões de seus semelhantes. Ele sofre discriminação sendo ridicularizado pelos outros elefantes do circo, mas ao fazer amizade com um rato ele se transforma na principal atração quando descobre que, usando suas grandes orelhas, é capaz de fazer o que nenhum outro elefante consegue: voar.

Apesar da maioria das pessoas acreditarem que essa história é original Disney, ela é uma adaptação do livro infantil escrito por Helen Aberson e ilustrado por Harold Pearl. Após conhecimento dela em 1939, Walt comprou os direitos sobre a obra.

Na história somos apresentados a Jumbo Jr, um simpático elefantinho que inexplicavelmente após um espirro, tem suas orelhas aumentadas desproporcionalmente causando estranhamento em todos ao seu redor. Logo todos começam a zombar do pequeno pela sua anormalidade. Com exceção de sua mãe que sempre está ao seu lado defendendo seu filhote das agressões exteriores, todos fazem piadas e apelidam o animalzinho de “Dumbo”, um trocadilho com a palavra inglesa Dumb que significa idiota, estupido burro.

Após um evento onde ele acaba separado de sua mãe, ficando sozinho, ele faz amizade com um improvável amigo: Timóteo, um ratinho que o aconselha, incentiva e passa a acompanhar Dumbo onde quer que ele vá. Esse fato por si só é genial, visto a lenda de que todos os elefantes temem os ratos mais do que qualquer outro animal no mundo.

Com várias canções durante o filme, 2 destacam-se: “Pink Elephants On Parade” onde Dumbo ingere água com bebida alcoólica e tem vislumbres psicodélicos de elefantes coloridos dançando e cantando. A outra é “Baby Mine” onde o pequeno filhote é embalado por sua mãe que está presa num pequeno trailer e pode toca-lo apenas com sua tromba. Essa cena é de cortar o coração até da mais sisuda das pessoas.

Devido o pequeno orçamento destinado ao filme e consequentemente sua curta duração (64 min), percebe-se que a história poderia se aprofundar mais nos relacionamentos dos personagens. Isso poderia gerar cenas onde a dinâmica dos outros animais do circo com o elefantinho fosse exposta. Com isso poderíamos ver qual a visão deles em relação a anomalia de Dumbo. Mas independente disso, a história que possui como pano de fundo descriminação, bullying, superação e aceitação das diferenças, consegue passar a mensagem que independente das diferenças, todos são capazes de fazer grandes feitos.

O longa foi o filme da Disney mais rentável da década de 40 apesar de seu baixo orçamento. Venceu o Oscar de Melhor Trilha Sonora e também foi indicado a Melhor Canção (Baby Mine). Tem nota de 97% de aprovação no site Rotten Tomatoes e foi eleito pela revista Time em 2011 como um dos “25 Melhores Filmes de Animação de Todos os Tempos”.

Trailer

//www.youtube.com/watch?v=d2UegVznnzE

E na onda dos remakes em live action da Disney, estreia nessa semana a versão dirigida por Tim Burton que está gerando grandes expectativas nos fãs do desenho. Então o momento é mais que propicio para descobrir ou recordar essa obra prima, antes de conferir a nova versão.

~Marcos Viana


Inscreva-se no canal do Teoria Geek no Youtube e nos acompanhe também nas redes sociais FacebookTwitter e Instagram.