A cantora e compositora Branca Lescher lançou o single e clipe “Rapaz da Aldeia”; em dueto com o cantor Zeca Loureiro, d’O Teatro Mágico.

Em suma, a canção escrita em parceria com Sergio Bello é um samba/bossa cantado em português e inglês. Além disso, fala sobre o amor romântico que traz leveza em momentos de caos.

Branca Lescher e Zeca Loureiro, d’O Teatro Mágico, em novo single e clipe 2

Branca Lescher e Zeca Loureiro, d’O Teatro Mágico, em novo single e clipe

A cantora e compositora Branca Lescher se une a Zeca Loureiro (O Teatro Mágico) na canção “Rapaz da Aldeia”; um samba/bossa com letra em português e inglês. Aliás, o single é também uma parceria com o músico Sergio Bello e traz a ideia do amor romântico que embriaga o ser de leveza e alegria. Ademais, esta sensação é impressa no clipe que traz um casal de bailarinos que, embora fisicamente separados, são atraídos pelo doce sentimento que os cerca. A música está disponível nas principais plataformas de streamings.

Branca Lescher explicou assim:

“A ideia do clipe surgiu a partir da letra da canção, que fala de um amor tranquilo, remonta a um romance idílico, um samba leve e o arranjo captou muito bem o sentimento da canção.A diretora perguntou-se como captar o amor entre duas pessoas que não estão compartilhando o mesmo espaço físico. A partir da indagação veio a ideia da sombra e da presença física dialogando juntas em uma dança. Com o roteiro aprovado, foram definidas as cores utilizadas, tons de azul, rosa e amarelo. O sentido surge a partir do encontro dos bailarinos.”

Assista “Rapaz da Aldeia”:

Sobre Branca Lescher


A cantora Branca Lescher traz em sua discografia quatro discos, sendo dois de interpretações de clássicos da MPB, do samba e da bossa nova; lançados em 2002 e 2005.

O primeiro disco autoral, “Branca” (2017) contou com turnê patrocinada via ProAC (Programa de Ação Cultural), do Estado de São Paulo. Além disso, o trabalho também levou a artista para palcos portugueses, chegando a ser considerada Artista Revelação (2019); bem como, a participar do IV Festival de Poesia e a tocar no MIMA (Museu Internacional da Mulher de Lisboa). Já o segundo álbum, “Eu não existo” (2020) contou com os arranjos de Marcelo Segreto (Filarmônica de Pasárgada) e foi elogiado pela mídia especializada.

Branca define:

“Comecei a cantar desde sempre e a estudar canto também. Comecei cantando os clássicos americanos e muita  bossa nova, mas sou da geração dos anos 80 e a vanguarda paulistana foi a música da minha adolescência, o que fica claro no meu modo de cantar, quase falado. Compor foi um processo natural que anda de mãos dadas com a escrita e com a poesia. As letras das canções são sempre minhas e em algumas também criei a música. Sem ser clichê, a vida só faz sentido para mim se puder me expressar artisticamente, seja cantando, compondo ou escrevendo.”

Entre as principais influências musicais de Branca Lescher estão Gal Costa, bem como, Nana Caymmi e Joyce. Embora também seja inspirada por Itamar Assumpção, João Gilberto, Caetano, Gil, Dorival Caymmi, Tom Jobim, Paulo Cesar Pinheiro, Jorge Drexler, Chet Baker e muitos outros.

Branca Lescher e Zeca Loureiro, d’O Teatro Mágico, em novo single e clipe 1

Sobre o single “Rapaz da Aldeia”


O single Rapaz da Aldeia traz letra de Branca Lescher e música de Sergio Bello, com tradução para o inglês de Matthew Rinaldi. Além disso, participam os músicos Zeca Loureiro (voz, violão e baixo), Sidney Ferraz (piano), Chrys Galante (percussão), Willbone (flugelhorn, sax soprano e flauta). Zeca Loureiro realizou a produção, arranjo, bem como, mixagem  e masterização. O clipe conta com direção de Amabile Barel, e conta com coreografia de Sofia Tsirakis; com co-autoria dos bailarinos Camila Bosso e Ricardo Januário. Ademais, o vídeo foi gravado no Studio Boop (SP) e contou com Cecília Pompéia (cinegrafista), Diego Carvalho (direção de fotografia) e Rafaela Soli (edição).

Ouça “Rapaz da Aldeia”https://tratore.ffm.to/rapazdaaldeia

Acompanhe Branca Lescher

Site Oficial | Instagram | Facebook | Youtube


Leia mais sobre música AQUI, no TG.