O TEORIA GEEK CELEBRA A CARREIRA E O LEGADO DO LENDÁRIO BATERISTA TAYLOR HAWKINS

Na madrugada deste sábado (26/03) uma triste notícia ecoou pelo universo da música: o falecimento de Taylor Hawkins, icônico baterista e backing vocal do Foo Fighters de 50 anos, que estava em turnê com a banda pela América Latina e iria fazer o show de encerramento do Lollapalooza Brasil no domingo. Com uma técnica forte e marcante que casava perfeitamente bem com a sonoridade apresentada pelo grupo liderado por Dave Grohl, Taylor conseguiu deixar sua marca registrada no rock mundial através de um legado que sempre será lembrado por seus fãs.

Para mim, a melhor forma de se homenagear um artista que nos deixa de forma precoce é ajudar a continuar disseminando sua obra, fazendo com que seu nome seja sempre lembrado. Pensando nisso, o Teoria Geek traz hoje por aqui um pouco da carreira desse exímio músico, que chegou a ser eleito o “Melhor Baterista de Rock” em 2005 pela revista britânica Rhythm. Confira:

CARREIRA 

Taylor Hawkins
Imagem: reprodução

Nascido em 17 de fevereiro de 1972, Oliver Taylor Hawkins assumiu a bateria do Foo Fighters em 1997 sendo o álbum “The Colour and the Shape” sua primeira colaboração para a banda. Antes de entrar para o Foo Fighters, Taylor era o baterista de Alanis Morissette na turnê “Can’t Not tours” na época de seu álbum “Jagged Little Pill”. Transbordando carisma e talento, Hawkins também chegou a formar no ano de 2004 o seu próprio projeto paralelo chamado  “Taylor Hawkins and the Coattail Riders”, onde assim como no Foo Fighters, o artista tocava bateria e cantava.

Taylor entrou no Foo Fighters quando Dave Grohl entrou em contato com ele questionando se podia indicar alguém para o posto de baterista do grupo deixado por William Goldsmit. Ainda baterista de turnê da Alanis Morrissette, Hawkins “se indicou” para a vaga. Posteriormente, o músico fez testes se juntando à banda no lançamento do “The Color and the Shape”.

Além de sua colaboração como baterista do Foo Fighters, Taylor também cantava e tocava guitarra e piano. A primeira apresentação do artista nos vocais foi com um cover de “Have a Cigar” do Pink Floyd, lançado como um lado b de “Learn To Fly”. Além disso, Taylor também chegou a ficar nos vocais do Foo Fighters em alguns shows, enquanto Dave tocava bateria. Grohl brincava com a situação dizendo que “para um baterista, Taylor até que não é um mal cantor”.

CONCLUSÃO

É fato que o Foo Fighters é uma das bandas mais importantes e respeitadas no cenário da música recente. E também é fato que o Taylor Hawkins, com seu imenso carisma, talento e versatilidade, foi um dos principais fatores que fizeram a banda consolidar sua marca e legado, eternizados na história do rock mundial. Mais um grande ícone, que ajudou a moldar o gosto musical de muita gente, inclusive o meu, se vai cedo demais. Mas que, se depender de seus fãs e parceiros, estará sempre presente enquanto continuarmos apertando o play nas músicas das bandas das quais ele fez parte.

VÁ NA PAZ, TAYLOR! 

__________________________________________

Veja mais do meu conteúdo aqui.